Meditações Diárias | 16 de Maio | J.C. Philpot

|

❝ E será aquele homem como um esconderijo contra o vento, e um refúgio contra a tempestade.❞ (Isaías 32:2)

Quem é esse homem? Preciso perguntar? Não há resposta em todo coração que teme a Deus? E o homem Jesus Cristo, o homem que é o companheiro de Deus. Quão abençoado é ter uma visão bíblica e espiritual da humanidade do Senhor Jesus Cristo, vê-lO não apenas como Deus, verdadeira e essencialmente Deus, um em substância, glória e poder com o Pai e o bendito Espírito, mas também Homem, feito em todas as coisas semelhante a nós, a não ser pelo pecado.

E que adequação existe na humanidade do Senhor Jesus, quando a vemos em união com essa divindade gloriosa! Como homem Ele sofreu, como homem Ele sangrou, como homem Ele morreu, como homem Ele é um Mediador por Seus semelhantes entre Deus e os homens; como homem, Ele tem um coração afetuoso, compassivo e simpatizante com o sofrimento  humano; como homem, Ele obedeceu a lei em todos os seus aspectos; como homem, Ele suportou todos os sofrimentos da humanidade, assim se tornou o Irmão nascido para adversidade, carne da nossa carne e ossos dos nossos ossos; ainda assim, perfeitamente puro, inocente, imaculado, separado dos pecadores e agora exaltado cima dos céus.

Porém, que beleza, graça, glória e adequação vemos no Homem Jesus Cristo até que Ele seja revelado à alma pelo bendito Espírito? Nenhuma! É o Espirito que toma a humanidade de Cristo Jesus e a revela aos olhos da fé. E Ele não a mostra não como mera humanidade, mas unida, ainda que distinta, de Sua eterna Divindade. Oh, que Homem bendito! Esse Homem de dores, esse Homem sofredor, agonizante e crucificado. Veja-O na cruz, sangrando pelos seus pecados; e depois levante os olhos e veja-O como o mesmo homem à destra de Deus. Essa foi a visão de Estevão logo antes de ele estar presença de Jesus: “Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.” (Atos 7:56)

 

 

Título original: Daily Portions — Via: GraceGems.org: • Traduzido e publicado com permissão. Tradução por Juliana e Ana Beatriz Oliveira Meninel • Revisão por Camila Rebeca Teixeira