E-books

Ensinando os Filhinhos a Orar Por John Bunyan

Ensinando os Filhinhos a Orar Por John Bunyan




Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos” (Deuteronômio 4:9).

“Vinde, meninos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor” (Salmos 34:11), “mostrando à geração futura os louvores do Senhor, assim como a sua força e as maravilhas que fez. Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e pôs uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais para que a fizessem conhecer a seus filhos; para que a geração vindoura a soubesse, os filhos que nascessem, os quais se levantassem e a contassem a seus filhos; para que pusessem em Deus a sua esperança, e se não esquecessem das obras de Deus, mas guardassem os seus mandamentos” (Salmos 78:4-7).

***

O presente volume é um excerto de Um Tratado sobre Oração, por John Bunyan:

Devemos exortar uns aos outros à oração, ainda que não devemos dar fórmulas de oração. Exortar à oração com instruções Cristãs é uma coisa; e escrever fórmulas para limitar o Espírito de Deus, é outra. O apóstolo não dá a mínima fórmula de oração, porém insta conosco para que oremos (Efésios 6:18, Romanos 15:30-32). Portanto, ninguém deve concluir que, por darmos instruções referentes à oração, é lícito instituir fórmulas de oração. 

Pergunta: Mas, se nós não usamos fórmulas de oração, como ensinaremos nossos filhos a orar?

Resposta: Minha opinião é que os homens seguem um método errado para ensinar seus filhos a orar, ensinando-lhes precocemente a recitar frases, como é comum em muitas pobres criaturas. 

Parece-me muito melhor dizer-lhes que por natureza são criaturas malditas, que estão debaixo da ira de Deus por causa do pecado original e do seu próprio; explicar-lhes também qual é natureza da ira de Deus, e a duração da miséria. Se isto se faz consciente, saberão orar muito mais cedo. A maneira de aprender a orar é através da convicção de pecado, um método que também serve para ensinar nossos amados filhinhos. Fazê-lo de outra maneira, ou seja, esforçar-se para ensinar às crianças fórmulas de oração, antes que saibam qualquer outra coisa, é a melhor maneira de torná-los hipócritas malditos, e para inchar-lhes de orgulho. Ensinem, pois, os vossos filhos a conhecer o infeliz estado e condição em que se encontram. Falando-lhes do fogo do Inferno, e de seus pecados; da perdição e da salvação, da maneira de escapar de uma e gozar da outra (se é que vocês as conhecem), e isso fará com que as lágrimas brotem de seus olhos, e que sinceros lamentos saltem de seus corações. Então poderão dizer-lhes a Quem devem orar, e em que Nome. Poderão também falar-lhes sobre as promessas de Deus, e de Sua eterna graça estendida aos pecadores segundo a Palavra.

Ah! Pobres filhos queridos! Que o Senhor abra seus olhos e faça deles Cristãos santos. Davi diz: “Vinde, meninos, ouvi-me; eu vos ensinarei o temor do Senhor” (Salmo 34:11). Certamente ele não diz: “vou amordaçá-los mediante uma fórmula de oração”, mas “vos ensinarei o temor do Senhor”, o que significa: “Vos ensinarei a ver o seu triste estado natural, e instruí-los na verdade do Evangelho, o qual, por meio do Espírito, gerará oração em todo aquele que em verdade o aprende”. Quanto mais ensinarem isso a seus filhos, mais eles derramarão seus corações em oração a Deus.
 


INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: