E-books

9 Elementos de Um Casamento Cristocêntrico, por Phil Newton

9 Elementos de Um Casamento Cristocêntrico, por Phil Newton




O casamento é um trabalho árduo. Não consiste em 40 ou 50 horas semanais de trabalho, mas em 168 horas por semana, 365 dias por ano, “até que a morte nos separe”. Não existem dias de folga ou de férias ou licença médica. Porém, o trabalho árduo não significa miséria, tristeza ou escravidão. Por trabalho árduo, quero dizer que o casamento exige que prestemos atenção aos detalhes na relação conjugal, que aprendamos a servir o nosso cônjuge sacrificialmente e que nos dediquemos àqueles elementos que edificam, fortalecem e melhoram o casamento.

Mas alguns não querem se esforçar pelo casamento. Eles proferiram os seus votos com os dedos cruzados ou com paraquedas em suas costas. Eles não têm a intenção de fazer o que é preciso para que tenham um casamento que reflete Jesus Cristo e Sua Noiva (Efésios 5). No entanto, é suficiente dizer que quando Paulo descreve a relação que Jesus tem com a Igreja como a Sua Esposa, ele relata a história e a instrução sobre o casamento, para que todos vejam. O que ele nos apresenta é isso: o casamento não é sobre vocês; não se trata de agir do seu modo; trata-se de Jesus Cristo ser glorificado por meio de um homem pecador e de uma mulher pecadora, redimidos por Sua morte sangrenta, habitados pelo Seu Espírito e que vivem juntos como seguidores de Cristo.

Então, com o que esse tipo de vida se parece? Vamos pensar em nove elementos de um casamento cristocêntrico.

1. Um casamento cristocêntrico envolve mútua devoção a Jesus Cristo. Em outras palavras, um casal pode se casar, se esforçar por seu relacionamento, aprender a servir um ao outro e acabar por ter um bom relacionamento. Mas isso não é centrado em Cristo. Ao colocarmos o nome de “Cristo” como o adjetivo que confere definição e poder para a palavra “centrado”, queremos dizer que Ele é o Sol em torno do qual o marido e a esposa orbitam. Todo o seu universo encontra a sua existência e finalidade em relação a Jesus Cristo. Na prática, isso significa que marido e mulher buscam crescer juntos em suas caminhadas Cristãs. Eles se ajudam em tempos difíceis ou naquelas ocasiões quando as dificuldades da paternidade ou do emprego ou da escola ou confusões na família mais ampla tornam-se mais complicadas. Eles realmente agem em relação um ao outro como ferro afiando ferro.

2. Um casamento cristocêntrico é caracterizado por serviço mútuo. Ninguém deu uma ilustração mais emocionante do serviço do que Jesus Cristo, mesmo sendo Deus encarnado que voltou ao Pai através da cruz e do túmulo, ainda assim Ele se inclinou para lavar os pés dos discípulos antes da Última Ceia (João 13). Não é de admirar que Pedro se opôs! Ele sentiu sua indignidade de ter os pés sujos lavados por Jesus, mas Jesus insistiu. O casamento é o laboratório do serviço que reflete a Cristo. O egoísmo, a preguiça e a letargia matam casamentos. O serviço humilde evidencia o amor verdadeiro para com o cônjuge.

3. Um casamento cristocêntrico pratica a humildade. Jesus declarou: “Porque sou manso e humilde de coração” (Mateus 11:29). A humildade vive tendo a cruz diante de seus olhos. Em vez de considerar tudo que gira em torno de satisfazer os seus desejos, a humildade cede ao outro no casamento, ouve atentamente em vez de interromper a conversa, procura formas de servir e rapidamente perdoa quando ofendida.

4. Um casamento cristocêntrico pratica o perdão. Embora sejam redimidos, dois pecadores unidos em matrimônio viverão momentos em que as palavras, atitudes, ações, silêncio e olhares ofenderão. Se deixarem uma amargura permanecer, o casamento não consegue avançar. Ele não poderá! Se nos é dito que no corpo de Cristo devemos ser bondosos, compassivos e perdoar uns aos outros, quanto mais no casamento (Efésios 4:32)!

5. Um casamento cristocêntrico é vivido em amor sacrificial. Esse é o padrão que Jesus estabeleceu quando Ele entregou a Si mesmo pela Igreja em morte sacrificial (Efésios 5:25). Mas esta não é simplesmente uma questão de entregar a própria vida por sua esposa. Alguns homens estão dispostos a morrer por suas esposas, mas não vivem abnegadamente em relação a elas. O amor sacrificial tem como objetivo o que for o melhor para o nosso cônjuge. O amor sacrificial de Jesus visava apresentar a Igreja a Si mesmo “gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível” (Efésios 5:27). Vá e faça o mesmo.

6. Um casamento cristocêntrico comunica. O apóstolo João enfatizou a comunhão dos Cristãos com Cristo, bem como uns com os outros (1 João 1:3). Comunhão ou compartilhar a vida juntos, envolve comunicação. E a comunicação envolve dois ouvintes e dois falantes envolvidos em uma vida comum. Vamos admitir, a maioria dos homens falham miseravelmente em se comunicar, como se houvesse algo não masculino em falar com ternura e amor com suas esposas. Em vez disso, há algo muito viril em um homem que aprende a ouvir e falar com sua esposa, e que dedica tempo a esse tipo de doce comunhão e comunicação. Portanto, rapazes, ajam como homens de verdade!

7. Um casamento cristocêntrico cresce em intimidade. Não fazemos isso com Cristo? Procuremos crescer na graça e no conhecimento de Jesus Cristo. A oração de Paulo pela Igreja de Éfeso é por crescente em intimidade com Jesus (Efésios 5:14-19). Deus concedeu a intimidade conjugal apenas para o casamento (Gênesis 2:24; Hebreus 13:4). Jesus não é menos glorificado por nosso crescimento na intimidade conjugal do que Ele é por nosso serviço uns aos outros.

8. Um casamento cristocêntrico é vivido com os dois juntos na esperança de Cristo. Em vez de centrar tudo em filhos, casas, carros, carreiras, férias e contas bancárias, quando somos unidos Cristo a nossa viva esperança está estabelecida sobre Ele e Suas promessas. Podemos ficar decepcionados com a forma como os nossos filhos vivem ou com a perda de um emprego ou por uma conta bancária insuficiente. Mas nunca seremos decepcionados com Ele (Romanos 10:11; 1 João 3:3). Sua esperança nos sustenta, mesmo nos momentos mais difíceis. Deus concebeu e revelou a Sua misteriosa vontade, para que pudéssemos conhecer “Cristo em vós, a esperança da glória” (Colossenses 1:24-27). Juntos, marido e mulher aprendem a valorizar a sua esperança em Cristo mais do que todas as coisas temporais da vida.

9. Um casamento cristocêntrico é envolvido com a igreja. Se Cristo morreu para salvar a igreja (Atos 20:28), então, um casamento centrado em Cristo não pode tratar a igreja como uma parte periférica de suas vidas. Nós precisamos nos envolver com a igreja, para ajudar a nos nutrir em Cristo, para nos unir uns com os outros em serviço amoroso, para desenvolver os nossos dons e ministérios, para adorarmos juntos, aprendermos a viver sacrificialmente juntos, para aguçar a nossa compreensão da vida e piedade e para nos preparar para vermos a Cristo. Uma vez que a Igreja está acima do casamento na economia de Deus (não somos informados de que Jesus morreu pelo casamento), então, devemos nos envolver juntos como marido e mulher com o corpo de Cristo.

Você pode adicionar mais alguns elementos que poderiam caracterizar um casamento cristocêntrico. Os nove que eu já observei não ocorrem com o pressionar de um botão. Eles exigem trabalho árduo, viver o Evangelho, confiar no Espírito e o desejo apaixonado de glorificar a Jesus Cristo em todas as coisas, especialmente no casamento. Busquemos aprofundar a satisfação no casamento por ter Jesus Cristo como o seu centro.


INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: