E-books

Um Documento Concernente à Posição da ARBCA Sobre A Continuação dos Dons de Revelação Nos Nossos Dias

Um Documento Concernente à Posição da ARBCA Sobre A Continuação dos Dons de Revelação Nos Nossos Dias




Louvamos ao Senhor Deus por Sua maravilhosa graça e providência em nos conceder traduzir e agora compartilhar convosco o primeiro de uma série de documentos da Associação Americana de Igrejas Batistas Reformadas (ARBCA). Esta é uma Associação de Igrejas que subscrevem A Confissão de Fé Batista de 1689, que cooperam para fielmente manterem a verdade bíblica, e vigorosamente proclamar o bendito Evangelho de Jesus Cristo.

Este e-book contém A Posição Oficial da ARBCA Sobre A Continuação dos Dons de Revelação Nos Nossos Dias, foi originalmente publicado em 8 de março de 2000.

Diante das atuais reivindicações da continuação de dons de revelação, é necessário que nos posicionemos contra todo o erro e engano, e que possamos dar razão de nossa fé na completa cessação da continuação da revelação objetiva ou dos dons de revelação, pois isto representa um ataque à doutrina da Sola Scriptura.

“Aprouve ao Senhor, em diversas ocasiões, e de muitas maneiras, revelar-Se, e declarar a Sua vontade para a Sua Igreja; e, posteriormente, para melhor preservação e propagação da verdade, e para o mais seguro estabelecimento e consolo da Igreja contra a corrupção da carne e da malícia de Satanás e do mundo, concedeu a mesma completamente por escrito; o que faz da Sagrada Escritura indispensável. Aqueles antigos modos de Deus revelar a Sua vontade ao Seu povo agora cessaram... Todo o conselho de Deus concernente a todas as coisas necessárias para a Sua própria glória, a salvação do homem, fé e vida, ou é expressamente declarado ou necessariamente contido nas Sagradas Escrituras, ao que nada, em qualquer tempo, deve ser acrescentado, seja por novas revelações do Espírito, ou por tradições humanas” (CFB1689, Capítulo 1, trechos dos parágrafos 1 e 6).

Encaminhamos todos à leitura atenciosa, e à benção do Deus da verdade, Amém!

Eis o esboço deste volume: 

• Introdução

- As posições abordadas neste artigo incluirão aquelas que são sustentadas por (1) Comunidades Carismáticas/Pentecostais, (2) crentes Reformados que sustentam que o cânon está completado e fechado, mas ainda acreditam, de alguma forma, na continuação da profecia, (3) Reformados que sustentam uma visão Cessacionista, contudo aceitam uma “visão aberta” em relação às futuras revelações e/ou sinais, (4) crentes Reformados que defendem uma visão Cessacionista, contudo, ainda creditam que Deus deu algumas experiências extraordinárias a alguns bons homens no passado, (5) crentes Reformados que podem usar palavras descuidadas para descrever a iluminação do Espírito Santo, e (6) crentes Reformados que aceitam uma visão Cessacionista completa.

I. Em primeiro lugar, o que a CFB tem a dizer sobre a cessação da revelação objetiva, sobre a doutrina da iluminação, e a possibilidade de dons de revelação haverem continuado para além do fechamento do cânon?

II. Em segundo lugar, o que a CFB tem a dizer sobre os mais de seis pontos de vista a respeito da continuação de dons de revelação e novas revelações além do cânon das Escrituras?

III. Em terceiro lugar, o comentário acima sobre a CFB nos permite fazer as seguintes afirmações e negações em relação à questão da continuidade da revelação e/ou dos dons de revelação após o fechamento do cânon das Escrituras.

1. Em primeiro lugar, nós afirmamos o Sola Scriptura como a posição clara da CFB, identificando a única fonte de revelação objetiva e proposicional de Deus para o homem dos dias de hoje.

2. Em segundo lugar... Negamos que o Espírito Santo comunique alguma nova revelação objetiva para o crente, em qualquer sentido, até mesmo no que se refere às ocorrências extraordinárias relatadas por crentes Reformados.

3. Em terceiro lugar... Negamos as alegações hodiernas de que estes dons de revelação ainda continuação de forma válida.

4. Em quarto lugar, afirmamos que o dom de línguas consistia na capacidade de falar línguas estrangeiras e possuía caráter de revelação em seu conteúdo. Negamos que este dom era diferente de línguas estrangeiras ou que era uma linguagem de oração privada.

5. Em quinto lugar, afirmamos a iluminação contínua do Espírito Santo relativa à revelação escrita, incluindo o uso cauteloso dos termos “revelando-lhes” e “revelação” ao se referir a tal iluminação. Negamos que a iluminação do Espírito Santo em relação à revelação objetiva pode, em qualquer sentido, produzir novas revelações da verdade de Deus.

6. Em sexto lugar, afirmamos que o intérprete final e autoritativo da Escritura é a própria Escritura. Negamos que quaisquer reivindicações de interpretações das Escrituras reveladas diretamente pelo Espírito Santo podem conter qualquer autoridade final quanto à interpretação do significado de qualquer passagem da Escritura.

7. Em sétimo lugar, afirmamos o direito de examinar a posição de alguém sobre a continuidade da revelação e dos dons de revelação à luz da Escritura. Nós negamos o direito de tornar-se ou continuar como um pastor, missionário, ou membro de uma igreja ligada à ARBCA a alguém que ensine a validade do Continuísmo ou inicie uma prática de supostos dons de revelação.

IV. Em quarto lugar, à luz da atual disseminação de pontos de vista errôneos, qual deveria ser a prática declarada da ARBCA, referente ao exame das igrejas candidatas e à disciplina de membros das igrejas já associadas, quanto à questão da continuação da revelação ou dos dons de revelação?

V. Em quinto lugar, a seguinte bibliografia é recomendada para aqueles que desejam considerar este assunto.


Respeitosamente apresentado por:

Rev. Walter J. Chantry, presidente.
Dr. Jim Adams
Rev. Don Lindblad
Dr. Fred Malone
Rev. Fred Pugh
Dr. James Renihan
Rev. Bill White
 


INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: