E-books

Uma Estratégia Para As Missões, por James E. Adams (Carta Circular preparada para a Assembleia Geral, março de 2003 - ARBCA - Editada)

Uma Estratégia Para As Missões, por James E. Adams (Carta Circular preparada para a Assembleia Geral, março de 2003 - ARBCA - Editada)




Além de nos exortar a um autoexame dos mais solenes: “Quão bem nós, como igrejas de Cristo, estamos obedecendo a ordem de ir e fazer discípulos de todas as nações, batizando-os no Nome tríplice do Deus Triuno?”, este documento tão belo e inspirador nos fornece princípios bíblicos para que possamos, pela graça e para a glória de Deus, cumprir de modo agradável e fiel ao Senhor Jesus Cristo o Seu último mandamento: Ir e fazer discípulos de todas as nações, batizando-os mediante a Sua profissão de fé Cristã, em o nome do Deus vivo e verdadeiro, Pai, Filho e Espírito Santo. (Mateus 28: 18-20).

Eis o esboço deste volume:

• Princípios do ministério de Paulo que nos ajudarão na formulação de uma estratégia para cobrir a terra com a realidade do Senhorio de Jesus Cristo.

• Pré-suposições fundamentais.

- Em primeiro lugar, a base doutrinária de nossa estratégia missionária é aquela glória no Evangelho da livre e soberana graça. Nenhum outro Evangelho tem o poder de mudar vidas e estabelecer igrejas. Nós não devemos ir além do que está escrito nas Sagradas Escrituras, mas nós acreditamos que o Evangelho é expresso com precisão em nossa Confissão de Fé (CFB1689). Somente Deus salva os pecadores e edifica a Sua Igreja.

- Em segundo lugar, Paulo praticou o amor de Cristo pelas pessoas com uma identidade íntima para com elas. Todos os Cristãos são ordenados a continuamente anunciarem ativamente as boas novas para os outros, motivados pelo amor de Cristo.

• Existem quatro princípios básicos que podemos observar na Escritura.

- Em primeiro lugar, é a igreja que envia missionários.

- Em segundo lugar, o propósito da igreja no envio de missionários é fazer discípulos que formam igrejas.

- Em terceiro lugar, a política financeira da igreja no envio de missionários deve ser bíblica.

- Em quarto lugar, a paixão e alegria da Igreja é obedecer a Grande Comissão (Mateus 28:19-20).

“Meu desejo é estimular a todos nós a um exame ativo das Escrituras e de nossos próprios corações com o objetivo de encorajar-nos uns aos outros no cumprimento do último mandamento de Cristo. Como podemos estimular-nos à obra missionária? Como podemos chegar a uma estratégia bíblica em que treinaremos evangelistas e missionários para serviço mais eficaz? O que podemos fazer para desafiar os homens jovens (e os mais velhos!) a discipularem as nações? Minha esperança é que nós continuaremos discutindo os princípios aqui enunciados e, em seguida, marcharemos adiante com planos concretos para cobrir a terra com o conhecimento do Senhor. Que o Senhor da colheita nos conceda um tempo glorioso para pensarmos inteiramente em uma estratégia para... E que Ele nos conceda um grande alargamento da nossa visão e reforma e renovação em nossa prática para alcançarmos a nossa geração (e futuras, enquanto o Senhor tardar) com o Evangelho”.

Vosso, pelo reino e glória de Cristo,

James E. Adams.
 


INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: