Informação adicional

In Memorian, A Canção Dos Suspiros, por Susannah Spurgeon

REF: fff936ebf57c Categoria:

Descrição

Este é o comovente relato sobre como Susannah Spurgeon lidou com a morte de seu amado marido Charles Haddon Spurgeon.

Eis um trecho:

“Porque estou levada a uma terra estranha, cansada de solidão e tristeza. Eu sou uma prisioneira do luto, e a luz da minha vida foi subitamente apagada na escuridão.

No entanto, há uma canção a ser cantada.

A Misericórdia tem superado a miséria. O amor divino traspassou a escuridão de uma tristeza indescritível com um raio de glória celestial.

O grito angustiado de um coração foi abafado pela compaixão doce de um Deus consolador! "Louvado seja o Senhor! Louvai ao Senhor, ó minha alma!".

Esta é a canção do Senhor.

"Ele mesmo fez isso!" "O Senhor deu e o Senhor o tomou. Bendito seja o Nome do Senhor" Será que nosso querido Mestre ouve somente soluços e suspiros, e vê apenas lágrimas e tristeza, quando Ele pergunta por seus próprios amados novamente, para que eles possam estar com Ele, e verem a Sua glória? Não, certamente. Pois toda a Sua vontade é o amor.

A harpa pode [estar] muitas vezes pendurada nos salgueiros, e algumas de suas cordas escolhidas podem estar apegadas para sempre à terra, mas a mão de fé deve alcançá-la para baixo, e os dedos hábeis do amor, em breve encontrarão alguns macios acordes de gratidão em que repetir Seus louvores. Ele me ajudará a cantar.

Todas as semanas e meses desde que os portões de pérolas se abriram para que o meu amado marido pudesse passar para a excelente glória, tem havido, (por sua causa), no fundo do meu coração, um baixo tom de alegria em Deus, como o canto dos seixos em uma praia quando a maré vem rolando adentro.

Agradeço a Deus por isso. E agora que as águas profundas são um pouco acalmadas, esta música oculta deveria ser mais distinta e apreciável”.
 

Informação adicional