Informação adicional

Vera Pink, a Esposa do Editor, por Diane Bucknell

REF: ff4cf3d61147 Categoria:

Descrição

“Bendize ó minha alma ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o Seu santo nome!”. Irmãos, damos graças a Deus pelo privilégio de ler, meditar nestes escritos, e agora, neste dia especial, compartilhá-los convosco.

Estes relatos sobre a vida em fé de Arthur e Vera Pink, embora breves, são ricos, emocionantes, inspiradores e cheios de beleza bíblica que expressam uma maravilhosa obra da graça de Deus, e um conhecimento vívido do Deus de toda-graça. Esperamos que Deus somente seja glorificado por meio destes registros (pois, os amados Pinks abominavam a lisonja e jamais quiseram tomar alguma honra para si), e que Deus se agrade em abençoar a muitos de nós por meio destes amáveis escritos que Ele preservou para este tempo.

***

Vera Pink, A Esposa do Editor.

• ‘Nossa vida é como a tessitura do tecelão’.

• Arthur Pink, sua oração por “uma mulher piedosa e espiritual”. Deus concede-lhe Vera E. Russell, “uma Cristã pequena, vivaz, que falava com um forte sotaque de Kentucky”.

• “Ao lado de sua própria conversão Vera deveria ser a maior bênção na vida de Arthur Pink”.

• Uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade, frutífera para a glória de Deus. Arthur permanecia longas horas em sua mesa de trabalho, enquanto Vera, além de auxiliar o marido, cuidava de jardins, fazia suas próprias conservas e cozinhava.

• O auxílio idôneo da Sra. Pink no ministério de Arthur Pink.

• Um dos peregrinos está de partida… 

“… Em uma noite, em maio, ele teve uma convulsão que durou vários minutos. Depois que isso passou, ele disse, ‘eu logo estarei em casa na glória, eu não posso ir cedo o bastante. ‘Bendito seja o Senhor, ó minha alma, e tudo o que há em mim bendiga o Seu santo nome’. Eu estou muito feliz, me sinto como a cantar por meio deste salmo'. Ele observou que eu estava chorando e perguntou: ‘Minha querida, por que choras? Você deveria estar regozijando-se que eu estarei em breve em casa’. Eu disse a ele que eu estava chorando por mim mesma, por estar sendo deixada para trás. Eu sabia que era bom para ele, mas eu temia a separação. Ele gentilmente disse: ‘O Senhor tem sido tão maravilhosamente bom para nós por todos esses anos e nos trouxe completamente em segurança até agora. Ele não te abandonará em sua hora de maior necessidade. Apenas confie nEle com todo seu coração. Ele não te deixará”.

• Embora seu profundo luto a levou a ficar doente por um tempo, Vera nunca deixou de louvar ao Senhor por Sua bondade para com ela. Ela sofreu um acidente vascular encefálico enquanto trabalhava nas edições remanescentes que o Sr. Pink concluiu antes de sua morte, mas com a ajuda de amigos, ela foi capaz de publicá-los.

• Vera viveu 10 anos além de seu marido e foi uma alegria e bênção para todos que a conheciam em Stornoway. Em 17 de julho de 1962, com a idade de 69 anos, Vera E. Pink foi para casa para estar com o seu Senhor.

• O Tecelão, de fato, teceu uma bela tapeçaria a partir das vidas destes dois fiéis servos de Cristo. A vida de Vera Pink se destaca como um exemplo para as mulheres na atualidade sobre o que o Senhor tinha em mente quando disse:

“E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele” (Gênesis 2:18).

***

Os Últimos Dias de A. W. Pink

• Que Aquele, que uma vez usou uma “pequena criada” se agrade em ajudar-me agora, e Ele terá todo o louvor.

• Hebreus 13:7, lemos: “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver”. 

• ESTUDOS NAS ESCRITURAS é um monumento vivo de sua fé na veracidade da Palavra de Deus, na grandiosa e gloriosa obra redentora de Cristo, e na obra do Espírito Santo na aplicação da verdade para a alma em poder vivificante, e não é necessária nenhuma palavra minha para confirmar que ele permaneceu nos fundamentos da fé.

• Ele considerava os leitores de ESTUDOS NAS ESCRITURAS como amigos, e estava a cada dia em oração por todos, mostrando que ele tinha um verdadeiro amor pastoral. 

• Ele era tão cheio de ação de graças e louvor por tudo, e embora muito fraco no corpo, ele era “fortificado na fé, dando glória a Deus” [Romanos 4:20], de forma contínua.

• Sentindo-se tão indigno da menor de todas as Suas misericórdias, suplicou as mais ricas bênçãos do Senhor a cada um que tão generosamente ministrava às suas necessidades temporais.

• O seu espírito era o do apóstolo, “e que tens tu que não tenhas recebido?”. Vários meses antes do fim, eu vi que ele estava desfalecendo e isso me preocupou muito. Cada vez que eu fazia uma referência a ele, sempre dizia: “É a velhice, minha querida. Graças ao Senhor que é assim. Eu sou grato que eu estou assim perto do fim, e não apenas começando a vida. Eu sinceramente me apiedo dos jovens de hoje que estão apenas começando. Será terrivelmente difícil para aqueles que estão conscientes. Os tempos são tão sombrios e ficará muito mais tenebroso para eles, mas o Senhor sustentará os Seus próprios”.

• Muitas vezes ele parecia tão cansado e exausto como se ele estivesse perdendo a sua energia, que eu gostava de pressionar-lhe para descansar e ele poderia ser mais capaz de fazer o seu trabalho. Ao que ele sempre responderia: “Nós devemos trabalhar enquanto é dia. A noite vem, quando ninguém pode trabalhar. Eu desejo ser encontrado em meu posto, quando o chamado vier”. 

• “O Senhor tem sido tão maravilhosamente bom para nós por todos esses anos e nos trouxe em segurança até agora. Ele não abandonará você em sua hora de maior necessidade. Apenas confie nEle com todo seu coração. Ele não lhe faltará”.

• Ele descansou como poucos na soberania de Deus e parecia estar completamente resignado à Sua vontade em relação a ele, a tal ponto que ele disse muitas vezes: “Que Ele faça comigo o que bem Lhe parecer”. Uma vez, quando estávamos falando dos lidares do Senhor no passado e presente em nossa peregrinação, ele disse: “‘Ele tudo faz bem’ [Marcos 7:37]. Tudo, minha querida, não algumas coisas”.

• Quatro linhas e “Eu estou pronto para ir. Eu não posso ir breve o suficiente”.

• “O Rei do Amor é o meu Pastor, cuja bondade nunca desfalece; nada me falta se eu sou dEle, e Ele é meu para sempre”. 

• Suas últimas palavras: “As Escrituras explicam a si mesmas”, mostrando-nos no que sua mente estava. Então, depois de ter terminado o seu caminho, e completado o seu labor, ele partiu para estar com Aquele a que ele amou e serviu durante tantos anos.

• “Engrandecei ao Senhor comigo; e juntos exaltemos o seu nome” [Salmos 34:3].
 

Informação adicional