Textos

Marcas de Uma Verdadeira Conversão, por George Whitefield

“E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus.” (Mateus 18:3)

 

Eu suponho que eu possa tomar isto por garantido, que todos vocês, dentre os quais eu estou agora pregando o Reino de Deus, estão plenamente convencidos que é ordenado a todos os homens morrerem uma vez, e vocês todos realmente acreditam que após a morte vem o juízo, e que as consequências deste julgamento serão: que serão condenados a habitar na escuridão e trevas, ou ascender e habitar com o Deus bendito, eternamente. Eu posso tomar por admitido também, que qualquer que possa ser a sua prática na vida comum, aqui há não um, que embora sempre tão extravagante e depravado, não espere ir para aquele lugar, que as Escrituras chamam de Céu, quando morrer.

 

E, penso eu, se eu conheço algo de meu próprio coração, meus desejos do coração, tão bem quanto a minha oração a Deus, por todos vocês, é que eu possa vê-los estabelecidos no reino de nosso Pai celestial. Mas então, embora nós todos esperemos ir para o Céu quando morrermos, no entanto, se nós pudermos julgar pela vida das pessoas, e nosso Senhor diz que “pelos seus frutos os conhecereis”, eu receio que será encontrado, que aqueles milhares e dezenas de milhares, que esperam ir para este bendito lugar após a morte, não estão agora em um caminho para ele [o Céu], enquanto eles vivem. Embora nós chamemos a nós mesmos de Cristãos, e poderíamos considerar uma afronta sobre nós, se alguém duvidasse se somos Cristãos ou não; ainda há muitos, que carregam o nome de Cristo, que ainda não agem de acordo com o que é o verdadeiro Cristianismo. Por isso, é que se vocês questionam a muitos, sobre em que são fundamentadas as suas esperanças do Céu, eles o dirão, que eles pertencem a esta, ou aquela, ou a outra denominação e partido de Cristãos, no qual a Cristandade está agora tristemente dividida.

 

Se vocês questionarem a outros, sobre em que fundamento eles têm construído a sua esperança do Céu, eles o falarão que foram batizados, que seus pais e mães os apresentaram ao Senhor Jesus Cristo em suas infâncias; mas, em vez de lutarem sob o estandarte de Cristo, eles têm lutado contra Ele, quase sempre desde que foram batizados; ainda assim, por que eles foram admitidos na igreja, e seus nomes estão no Livro de Registro da paróquia, portanto eles nos farão crer, que os seus nomes também estão escritos no Livro da Vida. Porém muitos, que não construirão as suas esperanças de salvação sobre tal lamentável fundamento podre como este, ainda assim, se eles são, o que nós comumente chamamos, negativamente de boas pessoas; se eles vivem de forma que seus vizinhos não podem dizer que eles fazem mal a alguém, eles não duvidam apenas que eles serão felizes quando morrerem; não, eu tenho encontrado muitos em tal morte, como a escritura diz, “sem qualquer mão em sua morte”.

 

E se uma pessoa é o que o mundo chama de um homem moral honesto, se ele age justamente, e, o que o mundo chama, ama um pouco de misericórdia, não é e depois é amável, estende a mão para o pobre, recebe o sacramento uma vez ou duas vezes por ano, e é exteriormente sóbrio e honesto; o mundo olha para tal alguém como um Cristão de fato, e sem dúvida nós devemos julgar caridosamente como um todo tal pessoa. Há muitos semelhantes, que caminham em um rol de deveres, um modelo de performances, que pensam que eles irão para o Céu; mas se você os examinar, embora eles tenham um Cristo em suas cabeças, eles não têm a Cristo em seus corações.

 

O Senhor Jesus Cristo sabia disto muito bem; ele sabia quão desesperadamente corrupto e ímpio eram os corações dos homens; Ele sabia muito bem quantos poderiam ir para o inferno mesmo pelos próprios portões do Céu, quantos poderiam subir mesmo às portas, e ir tão perto como a bater nela, e ainda após serem rejeitados com um “em verdade eu não vos conheço”. O Senhor, portanto, claramente nos relata, que grande mudança deve ser ocorrida em nós, e o que deve ser feito por nós, antes de nós termos quaisquer esperanças bem fundamentadas de entrar no reino do Céu. Por isso, Ele diz a Nicodemos “que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”. E de todas as declarações solenes de nosso Senhor, eu quero dizer sobre esta, talvez as palavras do texto são uma das mais solenes, “se não” (diz Cristo), “vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus”.

 

As palavras, se vocês observarem o contexto anterior, são claramente dirigidas aos discípulos; pois é-nos dito: “Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus”. E, eu penso que isto é claro a partir de muitas porções da Escritura, que estes discípulos, para quem nosso Senhor dirigiu a Si mesmo neste momento, eram, de certa forma, anteriormente convertidos. Se eu considerar as palavras estritamente, elas são aplicáveis apenas àqueles, que já têm alguma, embora apenas fraca, fé em Cristo. Nosso Senhor quer dizer que, que embora eles já houvessem provado a graça de Deus, ainda havia tanto do velho homem, tanto pecado interior, e corrupção, ainda permanecendo em seus corações, que a menos que eles fossem mais convertidos do que eram, sem uma grande mudança ocorrida em suas almas, e santificação contínua, eles poderiam dar apenas mui pequena evidência de seu pertencimento ao Seu reino, que não devia ser estabelecido em grandeza exterior, como eles supunham, mas deveria ser um reino espiritual, começado ali, mas completado no vindouro reino de Deus.

 

Mas, embora as palavras tenham uma peculiar referência aos discípulos de nosso Senhor; ainda como nosso Senhor fez tal declaração como esta em outros lugares da Escritura, especialmente no discurso a Nicodemos eu creio que as palavras possam ser justamente aplicadas aos santos e pecadores; e como eu suponho há dois tipos de pessoas aqui, alguns que conhecem a Cristo, e alguns de vocês que não O conhecem, alguns que são convertidos, e alguns que são estranhos à conversão, eu tentarei falar, de forma que se Deus Se agradar em me auxiliar, e lhes der um ouvido que ouça e um coração obediente, tanto santos como pecadores podem ter sua porção.

 

Primeiramente, eu tentarei demonstrar-lhes em que aspecto nós devemos compreender esta assertiva de nosso Senhor, “nós devemos nos converter e nos fazer como meninos”. Eu irei, depois, em segundo lugar, falar àqueles que professam um pouco deste temperamento semelhante à criança, e por fim, falarei a vocês, que não têm razão para pensar que esta mudança alguma vez já ocorreu em suas almas.

 

Primeiramente, eu tentarei mostrar-lhes o que devemos entender pelo que diz nosso Senhor: “que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus”. Mas, penso eu, antes de falar sobre este ponto, pode ser apropriado observar uma ou duas particularidades.

 

 

1. Eu penso, que as palavras claramente implicam, que antes que eu ou vocês possam ter qualquer bem fundamentada, esperança bíblica, de sermos felizes em um estado futuro, deve haver alguma grande, alguma notável, e maravilhosa mudança ocorrida em nossas almas. Eu creio, que não há uma pessoa adulta na congregação, senão os que prontamente confessarão, que uma grande mudança ocorreu em seus corpos, desde que vieram ao mundo, e eram crianças embaladas sobre os joelhos das mães. É verdade, vocês não têm mais membros do que tinham antes, mas como eles estão modificados! Embora vocês sejam em um aspecto os mesmos que eram antes, pelo número de seus membros, e como pelo formato de seus corpos, ainda se uma pessoa que os conheceu quando vocês estavam em seus berços, esteve longe de vocês por alguns anos, e os visse quando crescidos, então de mil em um se ela poderia conhecer-lhes em absoluto, vocês estão bem modificados, tão diferentes do que eram quando pequenos. E como as palavras nitidamente implicam, que ali há uma grande mudança sobre nossos corpos, desde que éramos crianças, assim antes de nós podermos ir para o Céu, deve haver uma tão grande mudança ocorrida em nossas almas.

 

Nossas almas consideradas em um sentido físico ainda são as mesmas, não deve haver mudança filosófica forjada nelas. Mas então, como por nosso temperamento, hábito e conduta, nós devemos ser tão transformados e modificados, que aqueles que nos conheceram noutro tempo, quando em estado de pecado, e antes que conhecêssemos a Cristo, e são familiares a nós agora, devem ver uma tal mudança, que eles possam ficar tão admirados disto, como uma pessoa diante da alteração ocorrida em uma pessoa que ela não viu por vinte anos, desde a sua infância.

 

 

2. Mas eu penso ser apropriado observar algo mais, por que este texto é a grande fortaleza de Arminianos, e outros. Eles aprendem do Diabo a tomar textos para propagar maus princípios: quando o Diabo teve uma ideia para tentar Jesus Cristo, pois Cristo citou a Escritura, portanto Satanás fez isto também. E tais pessoas, com sua doutrina e maus princípios podem descer ao máximo, poderiam fracamente persuadir almas incautas e instáveis, que eles se fundamentam na palavra de Deus. Embora a doutrina do pecado original seja uma doutrina escrita em tais legíveis caracteres na palavra de Deus, que aquele que corre a pode ler; e embora, eu penso, tudo fora de nós, e tudo dentro de nós, nitidamente proclamam que nós somos criaturas caídas; ainda que os próprios pagãos, que não tem nenhuma outra luz, mas a tênue luz da razão desassistida, queixaram-se disto, pois eles sentiram a ferida, e descobriram a doença, mas eram ignorantes em relação à causa disto; ainda há muitas pessoas daquelas que foram batizadas em nome de Cristo, que ousam falar contra a doutrina do pecado original, e são raivosas com aqueles ministros de má índole, que pintam o homem em tais cores escuras. Eles dizem: “Não pode ser que as crianças venham ao mundo com a culpa do pecado de Adão pendendo sobre elas”. Por quê? Desejo-lhes provar isto a partir da Escritura, e eles insistirão neste próprio texto: “se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus”. Agora o argumento deles é conduzido assim: “Está implícito nas palavras do texto que as criancinhas são inocentes, e que vieram ao mundo como um mero pedaço de papel em branco, caso contrário, nosso Senhor deve argumentar absurdamente, pois nunca intencionaria dizer, que nós devemos ser convertidos, e nos fazermos como criaturas ímpias; isto não seria conversão”.

 

Mas, meus queridos amigos, isto é fazer com que Jesus Cristo diga o que Ele nunca intencionou, e o que não pode ser deduzido a partir de Suas palavras. Que criancinhas são culpadas, eu digo, que elas são concebidas e nascidas em pecado, é claro a partir de todo o teor do Livro de Deus. Davi era um homem segundo o coração do próprio Deus, ainda assim, ele diz: “eu fui concebido em pecado”. Jeremias falando sobre o coração de todos, diz: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso”. Os servos de Deus de forma unânime declaram, (e Paulo cita isto a partir de um deles), que “todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer”. E eu apelo a qualquer um de vocês, que são mães e pais, se vocês não discernem o pecado ou corrupção original em suas crianças, tão logo elas venham ao mundo; e enquanto elas crescem, se vocês não descobrem vontade-própria, e uma aversão à piedade. Qual é a razão para que as suas crianças sejam tão contrárias à instrução, senão porque elas trazem ao mundo consigo inimizade contra um bom e gracioso Deus?

 

Então, assim, é claro a partir da Escritura e fato, que crianças são nascidas em pecado, e consequentemente são filhos da ira. E de minha parte, eu penso, que a morte de cada criança é uma clara prova do pecado original; a doença e a morte entraram no mundo pelo pecado, e não parece consistente com a bondade e justiça de Deus, deixar uma pequena criança doente ou morrer, a menos que o primeiro pecado de Adão fosse imputado a ela. Se alguém acusar a Deus de injustiça por imputar o pecado de Adão a uma criancinha, contemplem que temos obtido um segundo Adão, para trazer nossas crianças a Ele. Portanto, quando o nosso Senhor diz: “se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos,” nós não devemos entender, como se o nosso Senhor indicasse que pequenas crianças são perfeitamente inocentes; mas em uma comparação, e como eu lhes mostrarei  aos poucos, em um sentido racional. Crianças pequenas são inocentes, comparando-as com as pessoas crescidas; porém as considere como elas são, e como elas vêm ao mundo, elas têm corações que são sensuais, e mentes que são carnais.

 

E eu menciono isto com a maior preocupação, pois eu verdadeiramente creio, a menos que pais sejam convencidos disto, eles nunca tomarão o devido cuidado com a educação de seus filhos. Se pais fossem convencidos de que os corações das crianças eram tão maus como são, vocês nunca se afeiçoariam em deixá-los ir a bailes, encontros, e jogos, a tendência natural disto é corromper as suas mentes, e fazê-los filhos do Diabo [...]. E eu acredito, se eles realmente fossem convencidos que seus filhos foram concebidos em pecado, eles sempre elevariam aquela petição, antes que seus filhos viessem ao mundo, a qual eu ouvi que uma boa mulher sempre fazia: “Senhor Jesus, nunca me deixe ter um filho para o inferno ou o Diabo”. Oh! Isto não deve ser receado, que milhares de crianças aparecerão, naquele grandioso dia, diante de Deus, e na presença de anjos e homens se dirá: Pai e mãe, ao lado da impiedade de meu próprio coração, eu devo minha condenação à sua má educação [em relação] a mim. Tendo como premissa estas duas particularidades, agora eu avançarei em mostrar em que sentido nós devemos realmente compreender as palavras, que nós devemos ser convertidos e nos tornarmos como pequenas crianças.

 

O Evangelista nos diz: “Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos Céus?” Estes discípulos assimilaram a noção comum prevalecente, que o Senhor Jesus Cristo devia ser um príncipe temporal; eles sonhavam com nada, senão em tornarem-se ministros de estado, sentarem-se à direita de Cristo em Seu reino, e governarem o povo de Deus; eles pensavam ser qualificados para ofícios de estado, como geralmente as pessoas ignorantes são aptas a conceber sobre si mesmos. Bem, eles dizem: “Quem é o maior no reino dos Céus?” Qual de nós terá a principal gerência de assuntos públicos? Uma bela questão para uns pobres pescadores, que malmente sabiam como arrastar as suas redes para a praia, quanto menos como governar um reino. Nosso Senhor, portanto, no segundo versículo, para mortifica-los, chama um pequeno menino, e o coloca no meio deles. Esta ação era tal como se nosso Senhor dissesse: “Pobres criaturas! Suas imaginações são muito elevadas; vocês disputam quem será o maior no reino dos Céus; eu farei esta criancinha pregar para vocês, ou eu pregarei para vocês através dela. Em verdade, eu vos digo, (Eu que sou a própria verdade, eu conheço a maneira que Meus súditos devem entrar em Meu reino; eu vos digo: vós estais tão longe de estar em um correto temperamento para o Meu reino, de modo que) se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus (a menos que vós estejais, falando comparativamente, como perdidos para o mundo, como perdidos para coroas, cetros, e reinos, e coisas terrenas, como esta pobre pequena criança que Eu tenho em Minha mão) de modo algum entrareis no meu reino”.

 

Assim, aquilo que nosso Senhor está falando, não é da inocência daquela pequena criança, se vocês consideram a relação que eles se encontram em Deus, e como eles são em si mesmos, quando trazidos ao mundo; mas o que o nosso Senhor quer dizer é, que quanto à ambição e luxúria pelo mundo, nós devemos, neste sentido, nos tornar como criancinhas. Nunca houve um pequeno menino ou menina aqui nesta congregação? Pergunte a uma pobre pequena criança, que apenas possa falar, sobre coroa, cetro, ou reino, a pobre criatura não tem noção sobre isto: dê a um menininho ou menininha uma pequena coisa para brincar, ele deixa o mundo para outras pessoas. Agora, neste sentido, nós devemos ser convertidos, e nos tornar como meninos; ou seja, nós devemos ser como alheios ao mundo, comparativamente falando, como uma pequena criança.

 

Não me entenda mal, eu não estou persuadindo-os a fecharem suas vendas, ou deixarem seus negócios; eu não os estou persuadindo, que se vocês são Cristãos, devem se tornar eremitas, e retirarem-se do mundo; não podem deixar seus ímpios corações para trás de vocês, quando deixarem o mundo; pois eu encontro, quando eu estou sozinho, meu ímpio coração me seguiu, indo onde irei. Não, a Religião de Jesus é uma Religião social. Mas, embora Jesus Cristo não nos chame para sair do mundo, fechar nossas vendas, e deixar nossas crianças serem providas por milagres; ainda isto deve ser dito para a honra da Cristandade, se nós somos realmente convertidos, nós seremos perdidos para o mundo. Embora nós estejamos envolvidos nele, e somos obrigados a trabalhar por nossas crianças; embora sejamos obrigados a estar em comércios e negócios, e ser úteis à sociedade, ainda se nós somos Cristãos reais, nós devemos ser perdidos para o mundo; embora eu não pretenda dizer que todos os Cristãos verdadeiros atingiram o mesmo nível de mentalidade espiritual. Este é o significado primário destas palavras, que nós devemos ser convertidos e nos tonar como criancinhas; no entanto, eu suponho que as palavras devem ser compreendidas em outros sentidos.

 

Quando nosso Senhor diz que nós devemos nos converter e nos fazer como meninos, eu suponho que Ele intencione também, que nós devemos ser sensíveis às nossas fraquezas, comparativamente falando, como uma pequena criança, como uma pobre fraca criatura; como alguém que deve ir à escola e aprender alguma nova lição todos os dias; e tão simples e ignorante; alguém sem culpa, não tendo aprendido a abominável arte chamada de dissimulação.

 

Agora, em todos estes sentidos, eu creio que devemos entender as palavras do texto — São criancinhas sensíveis de suas fraquezas? Elas devem ser conduzidas pela mão? Nós devemos cuidar delas ou elas cairão? Então, se nós somos convertidos, se a graça de Deus realmente está em nossos corações, meus queridos amigos, independente do que possamos ter pensado de nós mesmos uma vez; nós não diremos mais: “Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta”; nós devemos ser interiormente pobres; nós devemos sentir que somos “desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”. E como uma criancinha cede a sua mão para ser guiada por um pai ou um protetor, assim aqueles que são verdadeiramente convertidos, e são Cristãos reais, entregarão o seu coração, os seus entendimentos, suas vontades, suas afeições, para serem guiados pela Palavra, providência, e pelo Espírito de Deus. Por isso é que, o apóstolo, falando sobre os filhos de Deus, diz: “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são (e esteja certo de que ele quer dizer que somente eles são) filhos de Deus”. E como pequenas crianças pensam de si mesmas que são criaturas ignorantes, assim aqueles que são convertidos, consideram a si mesmos ignorantes também. Por isso João, falando para Cristãos, os chama filhinhos; “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo”.

 

E o rebanho de Cristo é chamado de pequeno rebanho, não apenas porque é pequeno em número, mas também devido àqueles que são membros de Seu rebanho, são de fato pequenos aos seus próprios olhos. Portanto, aquele grande homem, aquele grande apóstolo dos gentios, aquele pai espiritual de tantos milhares de almas, aquele homem, que na opinião do Dr. Goodwin: “corresponde mais próximo ao Deus-homem, o Senhor Jesus Cristo, em glória”, aquele vaso escolhido, o apóstolo Paulo, quando falou sobre si mesmo, disse: “A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo”. Talvez algum de vocês, quando leem estas palavras, estarão aptos a pensar que Paulo não falou a verdade, que ele não sentiu realmente o que ele disse; porque vocês julgam o coração de Paulo pelos seus próprios corações orgulhosos: mas quanto mais vocês obtêm da graça de Deus, e quanto mais são participantes da vida Divina, mais verão a sua própria mediocridade e vileza, e serão menores aos seus próprios olhos.

 

Por isso, que o Sr. Flavel, em seu livro chamado, Plantação Espiritualizada, compara os jovens Cristãos a milho verde, que antes de estar maduro, sobe muito alto, mas há pouca solidez nele: ao passo que, um velho Cristão é como milho maduro; não levanta muito a cabeça, mas, então, é mais pesado, e apto para ser ceifado e colocado no celeiro do fazendeiro. Jovens Cristãos também são como pequenos riachos; vocês sabem que riachos são superficiais, ainda assim fazem grande barulho; mas um velho Cristão, ele faz não muito barulho, ele prossegue docemente, como um rio profundo a correr para o oceano.

 

E como uma criancinha é vista como uma criatura inocente, e comumente fala a verdade; assim se nós somos convertidos, e nos tornamos como meninos, nós devemos ser sinceros bem como inocentes. O que disse o querido Redentor quando viu Natanael? Como esta fosse uma visão rara Ele contemplou, e poderiam haver outros contemplando isto: “Eis aqui um verdadeiro israelita:” Por quê? “Em quem não há dolo”. Não me compreenda mal; eu não estou dizendo que Cristãos não devem ser prudentes, eles devem orar muito a Deus por prudência, caso contrário, eles podem seguir as ilusões do Diabo, e pela sua imprudência dar toques errados na arca de Deus. Esta foi a lamentação de um grande homem: “Deus me deu muitos dons, mas Deus não me deu prudência”.

 

Portanto, quando eu digo, que um Cristão deve ser inocente, eu não quero dizer, que ele deva expor a si mesmo, e descansar desprotegido ao ataque de todos: nós deveríamos orar pela sabedoria da serpente; embora nós iremos geralmente aprender esta prudência pelos nossos erros e imprudências: e nós devemos fazer algum avanço na Cristandade, antes que nós conheçamos nossa imprudência. Uma pessoa realmente convertida, pode dizer, como é relatado sobre um filósofo: “Eu anelo que houvesse uma janela no meu peito, para que todos pudessem ver a retidão de meu coração e intenções”. E embora haja tanto do velho homem em nós, ainda assim, se nós somos realmente convertidos, não haverá em nós nenhuma culpa consentida, nós devemos ser inocentes. E esta é a razão pela qual o pobre Cristão é tão frequentemente iludido; ele julga as outras pessoas por si mesmo, tendo um coração honesto, ele pensa que todos são tão honestos quanto ele mesmo, e, portanto, é uma vítima para qualquer um. Eu poderia discorrer sobre cada um destes pontos, esta é uma copiosa e importante verdade; mas eu não pretendo multiplicar muitas marcas e raciocínios.

 

E, portanto, como eu tenho algo a dizer pela forma de aplicação pessoal, deem-me a permissão, portanto, com a máxima ternura, e ao mesmo tempo com fidelidade, de chamá-los, meus queridos amigos. Meu texto é introduzido em uma forma terrível, “Em verdade vos digo;” e o que Jesus disse depois, Ele diz agora para vocês, para mim, e para tantos quanto se assentarem debaixo da pregação do Evangelho, e para tantos quanto os que o nosso Senhor chamará. Deixem-me exortá-los a ver se vocês são convertidos; se tal grande e poderosa mudança ocorreu sobre alguma das suas almas. Como eu lhes disse, assim lhes digo novamente, vocês todos esperam ir para o Céu, e eu oro ao Deus Todo-Poderoso que vocês todos possam estar ali: quando eu vejo tal congregação como esta, se meu coração está em uma estrutura apropriada, eu sinto a mim mesmo pronto a entregar a minha vida, para ser instrumento apenas para salvar uma alma. Isto faz meu coração sangrar dentro de mim, isto me faz, algumas vezes, mais relutante a pregar, com receio de que esta palavra que eu espero que fará bem, possa aumentar a condenação de alguém, e talvez de uma grande parte do auditório, por meio de sua própria incredulidade. Permitam-me lidar fielmente com as suas almas. Eu tenho a vossa garantia em minha mão: Cristo disse isto, Jesus a sustentará, isto é como as leis dos Medos e dos Persas, não são revogadas. Ouça, ó homem! Ouça, ó mulher! Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Senhor Jesus Cristo diz: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos Céus”.

 

Embora este seja um Sábado à noite, e estão agora se preparando para o Sabbath, pois, como vocês sabem, vocês mesmos podem nunca ver o Sabbath. Vocês têm tido terríveis provas disto recentemente; uma mulher morreu apenas ontem, um homem morreu no dia anterior, outro foi morto por algo que caiu de um cavalo, e isto pode ser em mais vinte e quatro horas, muitos de vocês podem ser levados a um estado inalterável. Agora, então, por causa de Deus, por causa de suas próprias almas, se vocês têm uma intenção de habitar com Deus, e não podem suportar o pensamento de habitar no fogo eterno, antes eu vou algo além, silenciosamente eleve uma oração, ou diga “Amém” para a oração que eu colocaria em seus lábios: “Senhor, sonda-me e conhece-me, Senhor, examine o meu coração, e deixe a minha consciência falar: Oh, deixe-me saber se eu sou convertido ou não!” O que vocês dizem, meus queridos ouvintes? O que vocês dizem, meus companheiros pecadores? O que vocês dizem, meus culpados irmãos? Deus, por Seu Santo Espírito, tem realizado uma tal mudança em seus corações? Eu não lhes pergunto se Deus os tornou anjos, pois eu sei que nunca serão; eu apenas lhes pergunto se vocês têm alguma esperança bem fundamentada para pensar que Deus os tornou em novas criaturas em Cristo Jesus? Assim, renovou e transformou as suas naturezas, para que vocês possam dizer, eu humildemente espero, que como o habitual temperamento e tendência de minha mente, que meu coração é livre de impiedade; eu tenho um marido, eu tenho uma esposa, eu tenho filhos também, eu mantenho uma venda, eu me preocupo com meus negócios; mas eu amo aquelas criaturas por causa de Deus, e faço tudo para Cristo: e se Deus agora me levasse embora, de acordo com o habitual temperamento de minha alma, eu posso dizer, Senhor, eu estou pronto; e não obstante eu ame as criaturas, espero que eu possa dizer: “Quem tenho eu no Céu senão a ti? Quem tenho eu no Céu, ó meu Deus e meu Redentor, que eu deseje em comparação a Ti?” Vocês podem agradecer a Deus pelas criaturas, e dizer, ao mesmo tempo, “aqueles não são o meu Cristo”?

 

Eu falo em uma linguagem clara, vocês conhecem a minha forma de pregação: Eu não quero bancar o orador, eu não quero ser considerado um erudito; eu quero falar de forma que eu possa alcançar corações de pessoas miseráveis; O que vocês dizem, meus queridos ouvintes? Vocês são sensíveis à sua iniquidade? Vocês sentem que são pobres, miseráveis, cegos e nus, por natureza? Vocês consentem que os seus corações, suas afeições, suas vontades, seus entendimentos, sejam guiados pelo Espírito de Deus, como uma pequena criança concede a sua mão para ser guiada pelos seus pais? Vocês são pequenos aos seus próprios olhos? Pensam miseravelmente de si mesmos? E vocês querem aprender algo novo a cada dia? Eu menciono estas marcas, porque eu estou habilitado a crer que elas são mais adaptadas para a grande maioria de suas capacidades. A grande maioria de vocês não tem aquela demonstração de afeição que algumas vezes tinham, portanto vocês estão abandonando todas as suas evidências, e fazendo um caminho para a vinda do Diabo ao seu coração. Vocês não estão trazidos para o monte como costumavam estar, portanto, vocês concluem que não têm absolutamente nenhuma graça. Mas se o Senhor Jesus Cristo te esvaziou, e te humilhou, se Ele está concedendo a ti que veja e saiba que tu não és nada; embora tu não estejas crescendo para cima, tu estais crescendo para baixo; e embora tu não tenhas tanto gozo, mas teu coração está esvaziando para ser mais abundantemente preenchido progressivamente. Pode algum de vocês me compreende? Então, dê graças a Deus, e tenha consolo nisto.

 

Se tu és assim convertido, e te tornou um a pequena criança, eu te recebo, em o nome do Senhor Jesus, na querida família de Deus; eu te acolho, em o nome do querido Redentor, na companhia dos filhos de Deus. Oh, vocês, queridas almas, embora o mundo não veja nada em vocês, embora não haja nenhuma diferença exterior entre vocês e os outros, ainda assim eu olho para vocês em outra luz, mesmo como muitos filhos e filhas de rei. Salve! Em o nome de Deus, eu desejo a cada um de vocês a alegria de minha alma, vocês filhos e filhas do Rei dos reis.

 

Vocês não exercitarão doravante um temperamento semelhante ao de criança? Tal pensamento não derrete os seus corações, quando eu os digo que o grande Deus, quem poderia ter condenado vocês ao inferno devido os seus pecados secretos, que ninguém conhecia, senão Deus e as suas próprias almas, e quem poderia ter condenado vocês por tempos incontáveis, lançou o manto de Seu amor sobre vocês; Sua voz tem sido, “deixe aquele homem, deixe aquela mulher viver, pois Eu encontrei um resgate”. Oh, vocês não clamarão: “Por que eu, Senhor?”.

 

Se o rei George envia para algum de seus filhos, e você ouvisse que eles deveriam ser filhos adotivos, quão altamente honrado você poderia pensar que seus filhos devem ser? Que grande condescendência foi que a filha de Faraó tomasse a Moisés, uma pobre criança exposta em um cesto de juncos, e o criasse como seu filho? Mas, o que é esta bem-aventurança em comparação com a tua, que era outro dia um filho do Diabo, mas agora, pela graça da conversão foi feito filho de Deus? Vocês são convertidos? Vocês foram feitos como pequenas crianças? Então, o que devemos fazer? Meus queridos ouvintes, sejam obedientes a Deus, lembrem-se que Deus é o seu pai; e como cada um de vocês deve saber que incômoda cruz é ter um filho ímpio, desobediente; se não querem que seus filhos sejam desobedientes a vocês, por causa de Cristo não sejam desobedientes ao seu Pai celestial. Se Deus é o seu Pai, obedeça-O: se Deus é o seu Pai, sirva-O; ame-O de todo o seu coração, ame-O com todo o seu poder, com toda a sua alma, e com toda a sua força.

 

Se Deus é o seu Pai, fuja de tudo o que possa desagradá-lO; e ande dignamente diante deste Deus, que o chamou para Seu reino e glória. Se vocês são convertidos e feitos como pequenas crianças, então comportem-se como filhinhos: eles anseiam pela mama, e com isto estarão contentes.

 

Vocês são bebês recém-nascidos? Então, desejem o verdadeiro leite da Palavra, para que possam crescer por meio dela. Eu não quero que palhas Arminianas possam derrubar-lhes; vocês são filhos e filhas de Rei, e têm um gosto mais refinado; vocês devem ter as doutrinas da graça; e bendito seja Deus que vocês residem em um país, onde a verdadeira Palavra é tão claramente pregada. Vocês são crianças? Então cresçam na graça, e no conhecimento de vosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Há algum de vocês que não cresce? Vocês não lamentam aquelas crianças, e choram sobre ela; vocês não dizem, meu filho nunca será saudável para nada no mundo? Bem, lhes aflige ver uma criança que não crescerá; quanto mais deve afligir o coração de Cristo vê-los crescer tão pouco? Serão para sempre crianças? Estarão sempre aprendendo os princípios do Cristianismo, e nunca avançarão em direção ao alvo, pelo preço do elevado chamado de Deus em Cristo Jesus? Deus não permita. Deixe a linguagem de seu coração ser: “Senhor, ajude-me a crescer, ajude-me a aprender mais, ensina-me a viver de modo que meu progresso possa ser conhecido por todos!”.

 

Vocês são filhos de Deus? Vocês são convertidos, e feitos como pequenas crianças? Então, lidem com Deus como seus filhinhos fazem com vocês, tão logo eles alguma vez desejem algo, ou se algum colega os machucar, eu apelo a vocês mesmos se eles não correm diretamente para os seus pais. Bem, vocês são filhos de Deus? O Diabo os incomoda? O mundo os perturba? Contem ao seu Pai sobre isto, vá diretamente e lamente-se a Deus. Talvez, você possa dizer: eu não consigo pronunciar belas palavras: mas algum de vocês espera belas palavras de seus filhos? Se eles veem chorando, e podem falar apenas meias palavras, os seus corações não se apiedam sobre eles? E Deus não é mais inefavelmente piedoso para vocês? Se vocês conseguirem fazer apenas gestos para Ele: “Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem”. Eu lhes peço, portanto, sejam precisos com o seu Pai, dizendo: “Aba, Pai”, Satanás me atormenta, o mundo me perturba, os filhos de minha própria mãe estão com raiva de mim; Pai celestial, peleje a minha causa! O Senhor, então, falará com você, de uma forma ou de outra.

 

Vocês são convertidos, e feitos como criancinhas, entraram na família de Deus? Então, se assegurem, que o seu Pai celestial irá corrigi-los agora e depois: “porque, que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos”. Isto é registrado sobre o bispo Latimer1, que na casa que ele veio hospedar-se, ele ouviu o dono da casa dizer: eu agradeço a Deus que eu nunca tive uma cruz em minha vida; Oh, disse ele, então, eu não ficarei aqui. Eu acredito que não há um filho de Deus, quando em um bom estado, apenas orou por grande humildade; eles oraram por grande fé, eles oraram por grande amor, eles oraram por todas as graças do Espírito: vocês sabem, quando elevam estas orações, que também dizem, Senhor envia-nos grandes problemas: pois como é possível a vocês conhecer grande fé, humildade e amor, sem que Deus os coloque em grandes aflições, para que possam saber se já as têm ou não. Eu menciono isto, porque a grande maioria dos filhos de Deus (eu estou certo que isto foi uma tentação a mim, muitas vezes, quando eu estive sob a vara da aflição de Deus) quando eles têm grandes aflições, pensam que Deus está abandonando-os.

 

Se, portanto, vocês são filhos de Deus; se são convertidos e feitos como pequenas crianças; não esperem que Deus será como um pai tolo; não, Ele é um Deus zeloso, Ele ama muito o Seu filho para lhe poupar a vara. Como Ele corrigiu Miriã? Como Ele corrigiu Moisés? Como em todas as eras, Deus corrigiu Seus mais queridos filhos? Logo, se são convertidos, e feitos como pequenas crianças, se Deus retirou um filho, ou sua propriedade, se Deus fez com que amigos os abandonassem, e se você está abandonado como se fosse  por Deus e pelo homem, diga, Senhor, eu Te agradeço! Eu sou um filho perverso, ou Deus não me atingiria tão frequente e duramente. Não blasfeme o seu Pai celestial, mas culpe a  si mesmo; Ele é um Deus amoroso, e um terno Pai, “Em toda a nossa angústia, ele foi angustiado”, portanto, quando Deus falou a Moisés, ele falou de uma sarça, tal como para dizer: “Moisés, esta sarça representa o meu povo; como esta sarça está ardendo em fogo, assim meus filhos arderão em aflição; mas Eu estou na sarça; se a sarça queima, eu queimarei com ela; Eu estarei com eles na fornalha; Eu estarei com eles na água, e embora a água venha sobre eles; ela não os submergirá”.

 

Vocês são filhos? Vocês são convertidos e feitos como filhinhos? Então, vocês não esperam ir para casa e ver o seu Pai? Oh, felizes aqueles que foram para o lar antes de vocês; felizes aqueles que estão lá no alto, felizes aqueles que ascenderam acima deste campo de batalha. Eu não sei o que vocês pensam disto, mas desde que eu ouvi aqueles, sobre cujos corações Deus se agradou em operar, partirem para a glória, eu sou em alguns momentos cheio de sofrimento, que Deus não se agradou de deixar-me ir para casa também. Como vocês podem ver tanta frieza entre o povo de Deus? Como vocês podem ver o povo de Deus como a lua, crescente e minguante? Quem pode apenas desejar estar para sempre com o Senhor? Graças a Deus, que o tempo vem em breve; graças a Deus, que Ele virá e não tardará. Não sejam impacientes, Deus em Seu próprio tempo lhes buscará para casa. E embora vocês sejam levados à breve concessão agora, embora alguns de vocês estejam em suas estreitas circunstâncias, ainda assim, não murmurem; um Deus, e o Evangelho de Cristo, com pão escuro, são grandes riquezas. Na casa de Teu Pai há pão suficiente e de sobra; embora tu sejas agora atormentado, ainda assim, progressivamente serás confortado; os anjos considerarão como uma honra carregar-te ao seio de Abraão, embora tu sejas apenas um Lázaro aqui. Pela estrutura do meu coração, eu estou muito inclinado a falar consoladoramente ao povo de Deus.

 

Mas eu somente menciono mais uma coisa, e é isso, se vocês são convertidos, e feitos como pequenas crianças, então por causa de Deus, tenham cuidado em fazer o que as crianças costumeiramente fazem; elas são muito hábeis a brigar umas com as outras. Oh, amem uns aos outros: “e quem está em amor está em Deus, e Deus nele”. José sabia que seus irmãos estavam em perigo de brigar, portanto, quando ele os deixou, disse: “Não contendais pelo caminho”. Vocês são filhos do mesmo Pai; vocês estão indo para o mesmo lugar; por que vocês difeririam? Oh, o mundo tem o suficiente contra nós, o Diabo tem o suficiente contra nós, sem nossa disputa um contra o outro; andem em amor. Se eu não pudesse pregar mais, se eu não fosse capaz de resistir até o final de meu sermão, eu diria como João, quando ele envelheceu e não podia pregar: “Filhinhos, amai uns aos outros”. Se vocês são filhos de Deus, então amem uns aos outros. Não há nada que mais me aflija, do que diferenças entre o povo de Deus. Oh, apressem aquele tempo, quando nós deveremos também ir para o Céu, e nunca mais brigaremos!

 

Quisera Deus que eu pudesse falar a todos vocês nesta linguagem consoladora; mas meu Mestre me diz, eu não devo “dar aos cães as coisas santas, nem deitar aos porcos as vossas pérolas”, portanto, embora eu estive falando consoladoramente, ainda assim o que eu disse, especialmente nesta última parte da pregação, pertence aos filhos; é pão dos filhos, isto pertence ao povo de Deus. Se algum de vocês não tem a graça, nem Cristo, criaturas não-convertidas, eu lhes ordeno a não tocar nisto, eu proíbo isto em o nome de Deus; há uma espada flamejante em volta de todo caminho para mantê-los à parte deste pão da vida, até que vocês sejam convertidos a Jesus Cristo.

 

E, portanto, como eu suponho que muitos de vocês não são convertidos, e que vão para a casa sem a graça! E vão para os seus quartos, e para baixo com seus corações teimosos perante Deus; se vocês não o fizeram antes, permitam que seja esta noite. Ou, não espere até ir para casa; comece agora, enquanto permanecendo aqui; ore a Deus, e deixe que a linguagem do seu coração seja: “Senhor, converta-me! Senhor faça-me uma pequena criança, Senhor Jesus não permita que eu seja banido de Teu reino!” Meus queridos amigos, há um grande acordo mais implícito nas palavras, do que é expressado: quando Cristo diz: “de modo algum entrareis no reino dos Céus” isto é mais para dizer: “vós certamente ireis para o inferno, vós certamente sereis condenados, e habitarão na escuridão e trevas para sempre, vós ireis para onde o verme não morre, e onde o fogo não se apaga”. O Senhor imprima isto sobre suas almas! Que uma flecha (como alguém me escreveu em uma carta) mergulhada no sangue de Cristo, alcance cada coração de pecador não-convertido! Que Deus execute o texto a cada uma de suas almas! É somente Ele que pode fazer isto! Se vocês confessarem os seus pecados, e os abandonarem, e se apossarem do Senhor Jesus Cristo, o Espírito de Deus será dado a vocês; se vocês desejam ir e dizer, converta-me, Oh meu Deus! Tu não sabes, oh homem, o que o retornar a Deus pode ser para ti.

 

Se eu pensasse que a pregação seria para o propósito, se eu pensasse que argumentos induziriam vocês a virem, eu continuaria minha pregação até a meia-noite. E, não obstante, alguns de vocês possam me odiar sem um motivo, quisera Deus que cada um nesta congregação fosse tão preocupado com ele mesmo, como no momento (bendito seja Deus) eu mesmo me sinto preocupado por ele. Oh, que minha cabeça fossem águas, oh, que meus olhos fossem uma fonte de lágrimas, para que eu pudesse chorar sobre uma geração não-convertida, desgraçada, ímpia, e adúltera.

 

Almas preciosas, por causa de Deus pensem no que acontecerá com vocês ao morrerem, se vocês morrem sem serem convertidos; se vocês partirem daqui sem a veste de casamento, Deus golpeá-los-á sem discursos, e vocês serão banidos de Sua presença para todo o sempre. Eu sei que vocês não conseguirão habitar com as chamas eternas; observem, então, eu lhes mostro um caminho de fuga: Jesus é o caminho, Jesus é a verdade, o Senhor Jesus Cristo é a ressurreição e a vida. É o Seu Espírito que deve converter vocês, venham a Cristo, e vocês O terão; e que Deus, por causa de Cristo, O conceda a vocês, e lhes converta, para que nós todos possamos nos encontrar, e nunca nos separar novamente em Seu reino celestial; ainda pelo Senhor Jesus, Amém e Amém.

____________
[1] Hugo Latimer era papista zeloso e forte opositor da Reforma, e um “verdadeiro inimigo do Evangelho de Cristo”, quando por Graça, foi convertido ao Evangelho durante a pregação amorosa e fiel de Mestre Tomás Bilney. Após a sua conversão, Latimer foi feito por Deus um dos sinceros seguidores do Senhor Jesus, compadeceu-se da miséria de outros e dedicou-se por três anos pregou publicamente e a ensinar em suas atividades privadas. Ele sempre compreendeu que isto lhe custaria a vida, e preparou-se para isto “com entusiasmo”; na época da Rainha Maria Tudor, a sanguinária, que iniciou feroz perseguição contra os protestantes. Por muito tempo foi sustentado por Deus na prisão, e, com uma convicção inabalável até o martírio, foi queimado na fogueira, em 1555, em Oxford (Fonte: FOXE, John. O Livro dos Mártires. Tradução: Almiro Pisetta. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 2005, p. 231-246).
 

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: