Textos

Graça e Glória, por Anne Dutton

[Cartas de Anne Dutton Sobre Temas Espirituais • Why?]

 

Prezado Senhor,

 

Alegro-me que o Senhor fez minhas pobres cartas e livros aceitáveis, e de alguma utilidade para a sua preciosa alma. Que o Deus de toda a graça tenha toda a glória. Oh, meu caro amigo, se vai agradar ao Senhor fazer qualquer coisa que eu tenha escrito um meio de ajudar a sua fé em Cristo, e de atrair o seu amor a Ele, será graça desconhecida para mim, a principal das pecadoras, e a questão de minha alegria, tanto agora como no dia de Cristo. Quem quer que seja o instrumento, é própria mão do Senhor que faz o trabalho, sempre que qualquer crescimento é adicionado à nossa estatura espiritual; e para Ele somente toda a glória é, portanto, devida.

 

Mas oh, que alguma vez o Deus de toda graça, através de Jesus Cristo, pelo Seu Espírito Santo, deva operar sobre tais pecadores merecedores do Inferno como nós para nos preparar para a glória, a glória que Ele tem preparado para nós no Céu, e também nos usar como instrumentos em Sua mão para a vantagem espiritual e eterna um para com o outro na terra! Oh, o que somos nós, ou o que é a casa do pai, para que o Senhor nos salve? Por que a nossa porção não foi com os demônios e espíritos malditos, a quem está reservado o negrume das trevas para sempre? Ah! Não porque não merecíamos, mas porque o Senhor, o Senhor Deus, misericordioso e piedoso, é gracioso para com quem Ele é gracioso, e misericordioso para com quem Ele tem misericórdia. Nada menos do que livre, infinita, soberana graça e misericórdia pode salvar um pecador das profundezas da miséria sem fim — para as alturas da glória eterna. E bendito seja Deus para sempre, a Sua graça somente é infinitamente suficiente para salvar o maior dos pecadores ao máximo; pois “onde o pecado abundou (como o Senhor sabe que tem acontecido lamentavelmente em nossos corações e vidas), a graça superabundou. Para que, como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor”.

 

Oh, bendito seja Deus por Jesus! O Salvador, que nasceu e viveu e morreu para salvar os pecadores — por Ele como Cristo, o Ungido do Pai, para esta grande obra; e por Cristo, como nosso Senhor, que é e que será o nosso Rei, para nos subjugar a Si mesmo, e todos os Seus e os nossos inimigos debaixo de Seus e nossos pés. A graça ilimitada, inesgotável da Trindade — tão vasto, tão interminável oceano — flui gloriosamente a nós pecadores em fluxos de perdão e vida espiritual para a vida eterna, por meio da obediência de Cristo; através da obediência ativa de Sua vida, e a obediência passiva de Sua morte. Oh, nisso é que a graça reina! É através da justiça. Através da justiça da vida e morte de Jesus. E nisso, para salvar os pecadores, a graça reina em retidão, de tal forma que é perfeitamente de acordo com a justiça da natureza de Yahwéh, e à justiça de Sua santa lei, tanto em suas exigências e ameaças.

 

Oh, nisso, através do obediente Filho de Deus, através do Seu Imaculado e Sacrificado Cordeiro, Deus pode ser justo ao justificar desobedientes, poluídos, culpados de tudo e imundos pecadores merecedores do Inferno — a todo aquele que crê em Jesus! E nem uma só alma morrerá que lança um olhar de fé ao Deus de toda graça em Cristo — que procura por vida por meio do Salvador que Se entregou. Não, Jesus morreu para salvar aquela alma na cruz, para salvá-lo devidamente por Sua morte, e agora está sentado no trono para salvá-lo influentemente pela Sua vida. E bem capaz é Ele para salvar perfeitamente, mesmo todos aqueles que vêm a Deus por meio dEle, pois vive para sempre para interceder por eles.

 

Foi para isso, portanto, que o Espírito Santo foi enviado aos nossos corações, para nos vivificar quando mortos no pecado, para operar a fé e toda a graça em nossas almas, para nos mostrar a nossa miséria, e para revelar Cristo, o remédio glorioso, o grande Salvador que Deus providenciou para os pecadores perdidos; e para nos conceder olhar para Jesus para nossa salvação, e para receber as boas-novas dEle através da promessa livre para toda alegria e paz no seu crer, e toda a graciosa influência a toda obediência santa. É porque Cristo vive para nós no Céu, nós vivemos uma vida espiritual iniciada na terra. E, por isso, a vida da graça em nós deve ser mantida e aumentada, até que ela seja aperfeiçoada na vida de glória, ou seja amadurecida para a plenitude espiritual e a glória da vida eterna. A graça é uma preparação para a glória, e o próprio início desta em nossas almas; e quanto mais a obra da graça floresce em nossos corações enquanto estamos na terra, maior é a nossa preparação para, e mais perto a nossa aproximação da perfeição e glória do estado celestial.

 

E visto que o Senhor tem o prazer de nos dar mais graça, para aumentar nossas graças no uso de meios, o quão diligentes devemos ser em todos os deveres para servir o Deus de misericórdia, para que Ele assim nos exalte com todos as exaltações de Deus?

 

Oh, meu querido amigo, o caminho para a glória em todos os caminhos indicadas do dever é para cima. Para sermos religiosos na verdade e na sinceridade, e em todo o crescimento e maturidade, somos chamados a nos esforçar, correr, lutar, guerrear, lutar contra o pecado, correr com paciência a carreira que nos está proposta, combater o bom combate da fé, e lutar, não contra a carne e o sangue (contra homens maus e todos os seus maus caminhos para nos afastar de Deus), mas também contra os principados e potestades, contra os poderes das trevas, os exércitos do Inferno, que com todo o seu poder se opõem a nós em cada passo que damos para o Céu, em todas as nossas aproximações a Deus e apresentações diante dEle. E, por isso, precisamos nos munir de toda a armadura de Deus, e, especialmente, o escudo da fé (para segurar a Cristo pela fé), com o qual seremos capazes de apagar todos os dardos inflamados do maligno — de Satanás, maligno, em qualquer lado que ele os lançar a nós. É uma peça muito necessária da armadura do Cristão é a oração contínua.

 

Assim, caro senhor, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus, e esforça-te para caminhar pela fé nEle e amor a Ele, todos os dias, como se fosse o último dever. Não foi-te dado nenhum tempo para ser desperdiçado. Os remidos do Senhor devem glorificar o Redentor em todo o seu tempo, até que sejam glorificados com Ele na abençoada eternidade. Essas almas felizes que são do Senhor não devem viver para si mesmas, mas para Ele. E tudo o que fazemos nas coisas naturais, civis ou religiosas, nos assuntos comuns da vida natural, ou em coisas que dizem respeito à nossa vida espiritual, devemos fazer tudo para a glória de Deus, como que sob Seu olhar, Seu amor que perdoa e bondade abundante, para anunciar as virtudes dAquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz; e no vislumbre daquele abençoado dia quando o nosso Senhor da mais livre graça dará recompensas aos Seus servos, segundo as suas obras. Para aqueles que, sob a revigorante influência do Seu amor infinito, O amaram muito e foram abundantes em trabalhos para a Sua glória no tempo presente, Ele dará entrada abundante ao Seu reino eterno — ao estado desejável, onde, como você disse, “vamos servir ao Senhor sem interrupção, cansaço ou distração, onde nós nunca mais O entristeceremos novamente com um só pensamento, palavra ou ação pecaminosa”, mas abençoados com a visão de Sua face, e coroados de glória imortal com Cristo, Seus santos e anjos, na alegria e louvor desconhecido, viveremos uma eternidade feliz!

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: