Textos

O Que é Calvismo?, por B. B. Warfield, John A. Broadus e Patrick Hues Mell

O grande teólogo de Princeton, B. B. Warfield, descreve o Calvinismo da seguinte maneira:

 

“Calvinismo é o evangelismo em sua pura e única expressão estável, e quando dizemos evangelismo, nós falamos sobre pecado e salvação. Isso significa total dependência de Deus para a salvação. Implica, portanto, na necessidade de salvação e um profundo senso de essa necessidade, juntamente com uma igualmente profunda percepção de impotência na presença dessa necessidade, e total dependência de Deus para a sua satisfação. Seu tipo é encontrado no publicano que bateu no peito e clamou: “Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!” [Lucas 18:13]. Nenhuma contestação sobre salvar a si mesmo, ou cooperação.

Deus salva-o, ou abre o caminho para Deus para salvá-lo. Não questiona-se qualquer coisa, mas “eu sou um pecador, e toda a minha esperança está em Deus, meu Salvador!”. Isso é o Calvinismo, e não apenas algo como o Calvinismo, ou uma aproximação do Calvinismo, mas o Calvinismo em sua manifestação vital. Onde quer que esta atitude do coração é encontrada e é dada expressão em termos diretos e inequívocos, há Calvinismo. Onde esta atitude da mente e do coração ausente, mesmo que em pequena medida, ali o Calvinismo tornou-se impossível”.

“O Calvinista, em uma palavra, é o homem que vê a Deus. Ele contemplou a Visão inefável, e ele não a deixará desaparecer por um momento de diante de seus olhos. Deus na natureza, Deus na história, Deus em graça. Em todo lugar ele vê Deus em Suas poderosas pegadas, em todos os lugares ele percebe a obra de Seu poderoso braço, o pulsar do Seu poderoso coração... Calvinismo é apenas o Cristianismo.”

 

John A. Broadus, um dos grandes e respeitados pais Batista do Sul, ao descrever o Calvinismo de Dr. James P. Boyce, seu companheiro-fundador do Seminário do Sul, disse:

 

Esse sistema exaltado da verdade Paulina que é tecnicamente chamado de Calvinismo, compele um estudante sério à consideração profunda, e quando perseguido com uma combinação de pensamento sistemático e experiência fervorosa, enche seu peito dos pontos de vista mais inspiradores e enobrecedores sobre Deus e sobre o universo que Ele criou.


Patrick Hues Mell que foi um influente ministro, educador, chanceler da Universidade da Geórgia e presidente da Convenção Batista do Sul em dois mandatos 1863–1871 e 1880–1887, descreve o Calvinismo da seguinte maneira:

 

O que é o Calvinismo? É um sistema de doutrinas cridas estarem contidas na Bíblia, desenvolvido pela primeira vez de forma mais elaborada e consistente por João Calvino, e, portanto, chamado pelo seu nome. Este termo, no entanto, é usado como designação deste sistema de doutrinas unicamente por uma questão de conveniência, e não implica, de forma alguma, que qualquer uma dessas doutrinas se originaram com o Reformador de Genebra, ou que os Calvinistas são responsáveis por todos os sentimentos desenvolvidos por ele.

A característica distintiva do Calvinismo é que ele sustenta a Soberania de Deus sobre todas as coisas, e o pecado não é uma exceção; e que Sua vontade é demonstrada ou de forma eficiente ou permissivamente em todas as existências e em todos os eventos na terra. Deus não é apenas um Criador e Preservador, mas um Governante soberano e eficiente. Sua providência e Sua graça, portanto, controlam todas as coisas e eventos, grandes e pequenos, bons e maus, materiais e mentais. A partir de uma escolha inteligente, Ele permite que cada coisa nos homens seja moralmente errada, e por Sua graça, de forma eficiente opera neles tudo o que é moralmente certo. Como Criador, Preservador e Governador, Ele tem bastante inteligência para saber o que Ele criaria; e Sua sabedoria e poder são adequados a todas as exigências do empreendimento em Sua incipiência, seu processo e sua consumação.

O mundo, portanto, em todos os seus detalhes físicos e morais, é exatamente como Deus projetou que fosse; e em todos os termos de sua história, em casos especiais, bem como os seus resultados gerais, Ele efetuará o que Ele projetou em Sua criação, na Sua preservação, e em Seu governo. Ele não cometeu nenhum erro em Seu plano; portanto, nada acontece no Seu sistema de forma inesperada para Ele. Deus não é deficiente em poder, portanto, nada funciona ali, à parte dEle. “Deus dispõe de e direciona para algum fim particular, cada pessoa e coisa a que Ele deu, ou ainda dará, existência, e faz com que toda a criação seja subserviente à declarativa de Sua própria glória”. “O Senhor fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal” (Provérbios 16:4). “Tudo o que o Senhor quis, fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos” (Salmo 135:6). “O Senhor dos Exércitos jurou, dizendo: Como pensei, assim sucederá, e como determinei, assim se efetuará. Este é o propósito que foi determinado sobre toda a terra; e esta é a mão que está estendida sobre todas as nações. Porque o Senhor dos Exércitos o determinou; quem o invalidará? E a sua mão está estendida; quem pois a fará voltar atrás?” (Isaías 14:24-27). “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém” (Romanos 11:36).”

 

.......
Via: What is Calvinism? — ReformedReader.org & Calvinism An Essay — PBMinistries.org • Traduzido com permissão por William e Camila.

 

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: