Textos

Jesus é o Mediador de todos os homens? Por Pascal Denault

Jesus é o Mediador de todos os homens?

 

Por quem Ele morreu?

 

Muitos leitores da Bíblia concordam que somente os cristãos recebem o benefício da redenção realizada por Cristo, considerando que a fé nele é necessária para obter o favor de Deus (Romanos 3:25-26). Entretanto, vários deles consideram equivocadamente que sua fé é a causa da exclusividade da mediação de Cristo por eles, uma vez que isso é o oposto da ordem verdadeira: Se eles têm fé nele é por que ele é seu mediador, não mediador dos outros homens que o rejeitam (João 10:26). Vejamos como o parágrafo 8 de nossa confissão de fé trata esta questão:

 

8. Cristo certamente aplica e comunica eficazmente a redenção eterna, para todos quantos Ele a obteve, fazendo intercessão por eles; unindo-os a Si mesmo por Seu Espírito; revelando-lhes, na e pela Sua Palavra, o mistério da salvação, persuadindo-os a crer e a obedecer, governando seus corações pelo Seu Espírito e por Sua Palavra, e vencendo todos os inimigos deles, por Sua onipotência e sabedoria, da maneira e pelos meios mais conformes com a Sua admirável e inescrutável dispensação; e tudo isso por livre e absoluta graça, sem qualquer precondição de neles ter sido vista de antemão uma busca pela redenção. (Confissão de Fé Batista de 1689, Cap. VIII).

 

Este parágrafo exprime o que chamamos de redenção particular: “Cristo certamente aplica e comunica eficazmente a redenção eterna, para todos quantos Ele a obteve” Essa afirmação dá a entender que Cristo não conquistou a redenção para todos, mas unicamente para os eleitos. É exatamente isso que a confissão ensina! Há duas maneiras de encarar a obra de mediação de Jesus: ou ela é potencialmente eficaz, ou ela é atualmente eficaz. Nós ficamos com a segunda opção.

 

O advérbio “atualmente”, que caracteriza a eficácia da mediação de Cristo, não é utilizado num sentido temporal que significa “presentemente”. Logicamente a mediação de Cristo continua sendo presente, do contrário, não poderia haver salvação (Hebreus 7:25). Porém, a palavra “realmente” significa que sua mediação é eficaz por si só; ela não espera até que o homem tenha fé para ser atualizada, mas, por ser atual, ela causa fé no homem. A fé para a salvação é, portanto, um dom de Deus (Efésios 2:8). Adquirida pela obra do Mediador (Efésios 1:7-9; 2 Pedro 1:3), aplicada pelo Espírito Santo nos eleitos (Atos 11:18; 1 Coríntios 12:9; Efésios 1:13). Não é Jesus quem liberta o homem de sua incredulidade (Marcos 9:24)?

 

Esta concepção da mediação é manifesta na Escritura: Jesus vem redimir exclusivamente aqueles que o Pai lhe deu. Ele não vem para tornar todos os homens redimíveis, mas para realizar eficazmente a redenção dos eleitos. Por exemplo, o Senhor declara (João 6:37): “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora”. Aqui, Jesus designa especificamente os que vêm a Ele como sendo aqueles que seu Pai Lhe deu. Alguns versículos depois, Ele os indica de modo excluso ao dizer (v.44): “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer”. De um lado, todos aqueles que são de Cristo virão a Ele, por outro lado, só aqueles que são de Cristo podem vir a ele. Sem a mediação de Jesus, o homem não pode de maneira alguma vir a Deus (João 14:6); e sua mediação é reservada somente para os eleitos (Hebreus 10:21).

 

Isso se torna mais evidente ainda quando consideramos a oração sacerdotal de Cristo: a oração que Jesus faz como Sumo sacerdote antes de realizar seu sacrifício na cruz (João 17:1-5; Êxodo 28:29-30). Jesus intercede primeiramente por aqueles que já tinham crido (João 17:6): “Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo. Eram teus, tu mos confiaste, e eles têm guardado a tua palavra”. Pouco depois, Ele ora por aqueles que crerão (v.20): “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra”. E, finalmente, Ele não intercede pelo mundo (v.9): “É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus”. A expressão “mundo” frequentemente se refere a todos aqueles por quem Cristo deu Sua vida, judeus e não judeus (João 3:16; 1 João 2:2), mas, por vezes, se refere àqueles que permanecem rebeldes e por quem Cristo não deu Sua vida (João 15:18-19, 17:9; 1 João 5:19).

 

Uma pergunta permanece ainda em suspense: Por que Jesus é o Mediador exclusivamente para alguns homens? A confissão finaliza sua apresentação da redenção particular respondendo a esta questão: “e tudo isso por livre e absoluta graça, sem qualquer precondição de neles ter sido vista de antemão uma busca pela redenção”. A redenção particular é baseada na eleição incondicional. A Escritura atribui à fé e à incredulidade a salvação de alguns e a perdição de outros (João 3:36) e ela atribui a fé à eleição da graça (Romanos 11:6-7).

 

Por que eu sou salvo? Porque eu cri em Jesus Cristo que me foi anunciado pelo Evangelho (Romanos 10:13-17). Por que eu cri em Jesus Cristo como meu salvador? Porque eu era ovelha dEle e Suas ovelhas o seguem logo que escutam Sua voz (João 10:27). Por que eu era uma de Suas ovelhas? Porque o Pai me deu ao Seu Filho antes da fundação do mundo (Efésios 1:4-5). Este ordo salutis é apresentado de maneira semelhante na Epístola aos Romanos (8:30): “E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou”. Jesus Cristo é, portanto, o Mediador dos eleitos somente e Sua mediação assegura a salvação e a preservação deles até a ressurreição final e glorificação (João 6:39).

 

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: