Textos

 
<  1  2  3  4  >  > >

Devocional Banco da Fé • 10 de Fevereiro

 

Uma Testemunha Constante

 

“Porque hás de ser sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido.” (Atos 22:15)

 

Paulo foi escolhido para ver e ouvir o Senhor falando com ele desde o Céu. Essa eleição divina foi um privilégio elevado para ele mesmo; mas não tinha a intenção de ficar somente com ele; foi concebida para ter uma influência sobre outras pessoas, sim, sobre todos os homens. Mesmo agora, é a Paulo que a Europa deve o Evangelho.

 

Cabe a nós — em nossa medida — ser testemunhas daquilo que o Senhor nos revelou, e é para nosso risco que escondemos a revelação preciosa. Primeiro, precisamos ver e ouvir, ou não teremos nada para contar; mas quando fizermos isso, devemos estar desejosos para dar nosso testemunho. Este deve ser pessoal: “hás de ser”. Deve ser por Cristo: “hás de ser sua testemunha”. Deve ser constante e supremo; devemos ser testemunhas acima de tudo e com a exclusão de muitas outras coisas. Nosso testemunho não deve ser para um grupo seleto que nos receberá com alegria, mas a “todos os homens” — a todos aqueles que podemos alcançar, jovem ou velho, rico ou pobre, bom ou mau. Nunca devemos ficar em silêncio como aqueles que são possuídos por um espírito mudo...

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 7 de Fevereiro

 

A Volta do Desviado

 

“Se te voltares ao Todo-Poderoso, serás edificado.” (Jó 22:23)

 

Aqui Elifaz falou uma grande verdade, que é o resumo de muitas outras passagens das Escrituras inspiradas. Leitor, algum pecado tem feito você cair? Você ficou arruinado? A mão do Senhor está contra você, de modo que quanto aos bens você está pobre, e quanto ao espírito, está abatido? Foi a sua própria loucura que trouxe sobre você todo esse dano? Então, a primeira coisa a ser feita é voltar ao Senhor. Com profundo arrependimento e fé sincera retorne de seus desvios. Esse é o seu dever, por ter se afastado dAquele a quem você professava servir. Essa é a sua sabedoria, pois você não pode lutar contra Deus e prosperar. 

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 29 de Janeiro

 

A Obediência Produz Bênçãos

 

“Guarda e ouve todas estas palavras que te ordeno, para que bem te suceda a ti e a teus filhos depois de ti para sempre, quando fizeres o que for bom e reto aos olhos do Senhor teu Deus.” (Deuteronômio 12:28)

 

Embora a salvação não seja pelas obras da lei, mas as bênçãos que são prometidas à obediência não são negadas aos fiéis servos de Deus. O nosso Senhor suportou as maldições quando foi feito maldição por nós, mas nenhuma afirmação sobre a bênção foi revogada.

 

Devemos observar e ouvir a vontade revelada do Senhor, não atentando para partes dela, mas para “todas estas palavras”. Não deve haver escolhas, mas uma reverência imparcial por tudo o que Deus ordenou. Este é o caminho da bem-aventurança para o Pai e para os Seus filhos. 

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 22 de Janeiro

 

Generosidade Cristã

 

“Bem-aventurado é aquele que atende ao pobre; o SENHOR o livrará no dia do mal.” (Salmo 41:1)

 

Pensar sobre os pobres e fazer com que eles estejam em nossos corações é o dever de um Cristão; pois, Jesus os coloca conosco e perto de nós, quando disse: “Porque os pobres sempre os tendes convosco”.

 

Muitos dão o seu dinheiro aos pobres de forma apressada, sem meditar; e muitos mais não dão nada. Essa preciosa promessa pertence àqueles que “atendem” aos pobres, olham para a sua situação, elaboram planos em seu benefício e ponderam em realizar tais planos. Podemos fazer mais pelos cuidados do que pelo dinheiro, e ainda mais com os dois juntos. 

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 10 de Janeiro

 

Recompensa Divina

 

“Aquele que atende também será atendido.” (Provérbios 11:25)

 

Se eu considerar cuidadosamente os outros, Deus me considerará e de uma forma ou de outra Ele me recompensará. Que eu tenha cuidado do pobre e o Senhor cuidará de mim. Que eu cuide dos filhinhos e o Senhor me tratará como Seu filho. Que eu alimente o Seu rebanho e Ele me alimentará. Que eu regue o Seu jardim e Ele fará da minha alma um jardim regado. Esta é a promessa do Senhor; que eu atenda a condição e, em seguida, espere pelo seu cumprimento.

 

Eu posso cuidar de mim mesmo até que eu me torne doentio; eu posso cuidar dos meus próprios sentimentos até que eu me torne insensível; e posso lamentar minha própria fraqueza até eu me torne fraco demais para lamentar.

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

<  1  2  3  4  >  > >

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: