Textos

 
<  1  2  3  4  >

Devocional Banco da Fé • 9 de Março

 

Oração pela Paz

 

“E procurai a paz da cidade, para onde vos fiz transportar em cativeiro, e orai por ela ao Senhor; porque na sua paz vós tereis paz.” (Jeremias 29:7)

 

O princípio envolvido nesse texto sugere a todos nós que somos estrangeiros e peregrinos do Senhor que devemos desejar promover a paz e a prosperidade das pessoas entre as quais vivemos. Especialmente, a nossa nação e cidade devem ser abençoadas pela nossa constante intercessão. É bom que uma oração fervorosa pelo seu país e por outros países seja proferida pela boca de cada crente. Nós oramos com diligencia pela grande bênção da paz, tanto em nosso lar, quanto no exterior. Se a luta deve causar derramamento de sangue nas ruas ou se a batalha no estrangeiro deverá matar nossos bravos soldados, todos nós devemos lamentar essa calamidade. Portanto, oremos pela paz e promovamos com zelo esses princípios pelos quais as pessoas e os povos no exterior sejam ligados entre si por laços de amizade.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 7 de Março

 

Livres dos Grilhões

 

“O Senhor solta os encarcerados.” (Salmo 146:7)

 

O Senhor tem feito isso. Lembre-se de José, de Israel no Egito, de Manassés, de Jeremias, de Pedro e de muitos outros. Ele ainda pode fazê-lo. Ele quebra as grades de bronze com uma palavra e rompe os grilhões de ferro com um olhar. Ele está fazendo isso. Em mil lugares pessoas atribuladas estão vindo para a luz e para um lugar espaçoso. Jesus ainda proclama a abertura da prisão aos que estão encarcerados. Nesse momento, portas estão se abrindo e cadeias estão caindo ao chão.

 

Ele se deleitará em libertá-lo, caro amigo, se nesse momento você está chorando por causa da tristeza, da dúvida e do medo. Jesus se alegrará em libertá-lo. Será tão prazeroso para Ele soltar você, quanto será para você ser liberto. Não, você não precisa remover as algemas, pois o próprio Senhor fará isso. Apenas confie nEle, e Ele será o seu Libertador. Creia nEle apesar da cela ou das correntes de ferro. Satanás não pode prendê-lo, o pecado não pode acorrentá-lo, mesmo o desespero não pode encarcera-lo se você agora crer no Senhor Jesus, na gratuidade da Sua graça e na plenitude do Seu poder para salvar.

 

Desafie o inimigo e deixe que as palavras agora diante de você sejam a sua canção de libertação: “O Senhor solta os encarcerados”.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 6 de Março

 

Guardião do Órfão

 

“Por ti o órfão alcança misericórdia.” (Oseias 14:3)

 

Essa é uma excelente razão para abandonar a confiança em outras coisas e confiar somente no Senhor. Quando uma criança é deixada sem seu protetor natural, o nosso Deus intervém e se torna o seu tutor, assim também quando um homem perde todo objeto de dependência, ele pode se lançar sobre o Deus vivo e encontrar tudo o que ele precisa em Deus. Os órfãos são lançados sobre a paternidade de Deus, e Ele os supre. O autor dessas páginas sabe o que é se pendurar no braço estendido de Deus, e ele confirma o seu testemunho voluntário que nenhuma confiança é tão bem justificada pelos fatos ou tão seguramente recompensada pelos resultados como a confiança no Deus invisível, mas que vive para sempre.

 

Algumas crianças que têm pais não são muito melhores por causa deles, mas os órfãos com Deus são ricos. Melhor é ter Deus e nenhum outro amigo do que todos os benfeitores sobre a terra e não Deus. Ser abandonado pela criatura é doloroso, mas se o Senhor continuar a ser a fonte da misericórdia para nós, não seremos realmente órfãos.

 

Vamos, órfãos, pleitear a palavra graciosa dessa manhã, e que todos os que foram privados de apoio visível façam o mesmo. Senhor, deixe-me encontrar misericórdia em Ti! Quanto mais necessitado e desamparado eu estiver, com mais confiança apelo ao Teu coração amoroso.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 5 de Março

 

Bênçãos no Lar

 

“A habitação dos justos abençoará.” (Provérbios 3:33)

 

O justo teme ao Senhor, e por isso ele está sob a proteção divina, mesmo em relação ao telhado que cobre a ele e a sua família. Sua casa é um lar de amor, uma escola de treinamento santo e um lugar de luz celestial. Nela há um altar familiar onde o nome do Senhor é diariamente reverenciado. Logo, o Senhor abençoa a sua habitação. Pode ser um humilde casebre ou uma mansão; mas a benção do Senhor vem por causa da característica do habitante e não por causa do tamanho da habitação.

 

É mais abençoada a casa cujos donos são pessoas tementes a Deus, mas um filho ou filha ou mesmo um servo pode trazer uma bênção sobre uma casa inteira. O Senhor muitas vezes preserva, prospera e provê para uma família por causa de um ou dois nela, que são pessoas “justas” em Sua estima, porque a Sua graça os fez assim. Amado, que nós tenhamos Jesus como o nosso hóspede constante, como foi com as irmãs de Betânia, e então, nós certamente seremos abençoados.

 

Cuidemos para que sejamos justos em todas as coisas — no nosso comércio, em nosso julgamento dos outros, em nosso trato com os vizinhos, e em nosso próprio caráter pessoal. O justo Deus não pode abençoar ações injustas.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 3 de Março

 

Não Deixado a Perecer

 

“Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.” (Salmo 16:10)

 

Essa palavra seu próprio cumprimento no Senhor Jesus; mas se aplica também, com uma variação, a todos os que estão nEle. Nossa alma não será deixada em estado de separação, e nosso corpo, embora veja a corrupção, ressuscitará. O sentido geral, ao invés da aplicação específica, é aquilo para o que poderíamos chamar os pensamentos de nossos leitores nesse momento particular.

 

Nosso espirito pode descer profundamente, até parece que estamos sendo mergulhados no abismo do inferno; mas não seremos deixados lá. Pode parecer que estamos às portas da morte em coração, alma e consciência; mas não podemos ficar lá. Nossa morte interior para alegria e para a esperança pode ir muito longe; mas não pode prosseguir até ser completamente executada, de modo a atingir a corrupção absoluta de desespero sombrio. Podemos ir muito baixo, mas não além do que o SENHOR permite; podemos ficar no menor calabouço da dúvida por um tempo, mas nós não pereceremos ali. A estrela da esperança ainda está no céu quando a noite é mais escura. O Senhor não se esqueça de nós e nem nos entregará ao inimigo. Vamos repousar em esperança, temos de lidar com Aquele cuja misericórdia dura para sempre. Certamente, da morte, das trevas e do desespero surgiremos para a vida, a luz e a liberdade.

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

<  1  2  3  4  >

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: