Textos

 
<  1  2  3  >

Devocional Banco da Fé • 7 de Novembro

 

A Verdadeira Humildade é Recompensada

 

“Qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” (Lucas 18:14)

 

Não deveria ser difícil nos humilharmos, pois o que nós temos para nos orgulharmos? Deveríamos tomar o lugar mais baixo, sem que fosse preciso sermos ordenados a isso. Se formos sensatos e honestos, seremos pequenos aos nossos próprios olhos. Especialmente diante do Senhor, em oração, nos humilhemos a nada. Não, não podemos falar de mérito, pois não temos nenhum; nosso único argumento deve ser o da misericórdia: “Deus, sê propício a mim, pecador”.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 2 de Novembro

 

Riqueza Celestial

 

“Não retirará bem algum aos que andam na retidão.” (Salmo 84:11)

 

O Senhor pode nos recusar muitas coisas agradáveis, mas “não retirará bem algum”. Ele é o melhor juiz do que é bom para nós. Algumas coisas certamente são boas, e estas nós podemos pedir a Jesus Cristo nosso Senhor.

 

Santidade é uma coisa boa, e isso Ele operará em nós gratuitamente. A vitória sobre más tendências, temperamentos fortes e maus hábitos Ele terá prazer em conceder, e não ficaremos sem essa vitória.

Veja mais

Devocional Banco da Fé • 26 de Outubro

 

Por Causa dos Escolhidos
 

“Por causa dos escolhidos aqueles dias fossem abreviados.” (Mateus 24:22)
 

Para o bem dos Seus eleitos, o Senhor retém muitos julgamentos e abrevia outros. Em grandes tribulações o fogo consumiria tudo se o Senhor não diminuísse a chama em consideração aos Seus eleitos. Assim, enquanto Ele salva os Seus eleitos por causa de Jesus, Ele também preserva a raça por causa dos Seus escolhidos.
 

Assim, que honra é colocada sobre os santos! Quão diligentemente eles deveriam usar a sua influência com o seu Senhor! Ele ouvirá as suas orações pelos pecadores e abençoará os seus esforços para a salvação deles. Ele abençoa os fiéis para que sejam uma bênção para aqueles que estão na incredulidade. Muitos pecadores vivem por causa das orações de uma mãe ou esposa ou filha a quem o Senhor considera.

Veja mais

O Que é Orar em Nome de Jesus? Por John Bunyan

 

[Extraído de Um Tratado sobre Oração • Editado]

 

A oração é derramar o coração e a alma de modo sincero, consciente e afetuoso através de Cristo. Faz-se necessário acrescentar que é através de Cristo. Caso contrário, cabe duvidar se é oração, mesmo que se empregue muita pompa e eloquência.

 

Cristo é o caminho pelo qual a alma tem acesso a Deus, e sem o qual é impossível que um único desejo chegue aos ouvidos do Senhor dos Exércitos: “Se pedirdes alguma coisa em Meu Nome, tudo o que pedirdes ao Pai em Meu Nome, será feito”. Esta foi a maneira que Daniel orou pelo povo de Deus, em nome de Cristo: “Agora, pois, ó Deus nosso, ouve a oração do teu servo, e as suas súplicas, e sobre o teu santuário assolado faze resplandecer o teu rosto, por amor do Senhor” (Daniel 9:17). E o mesmo Davi: “Por amor do teu nome (ou seja, por amor do Teu Cristo), Senhor, perdoa a minha iniquidade, pois é grande” (Salmo 25:11).

Veja mais

Oração, por Thomas Watson

 

Oração inclui confissão do pecado, as petições para o suprimento de nossas necessidades, e as homenagens dos nossos corações ao Doador de Si mesmo. Os ramos principais são: humilhação, súplica e adoração.


As orações dos apóstolos eram muito explícitas. Elas não eram divagações vagas ou meras generalizações, mas pedidos específicos de coisas bem definidas. As coisas que pediram são totalmente de natureza espiritual e graciosa. As orações dos apóstolos eram extremamente breves, a maioria delas composta por um ou dois versos, e a mais longa é de apenas sete versos. Lutero disse: “Quando orares deixe que as tuas palavras sejam poucas, mas os teus pensamentos e afetos muitos; e acima de tudo, deixa-os serem profundos. Quanto menos falares, melhor orarás. Oração externa e corporal é aquele zumbido dos lábios, que balbuciam para fora o que está se passando sem qualquer atenção, e que atinge os ouvidos dos homens; mas a oração em espírito e em verdade é o desejo interior, os movimentos, os suspiros, que emanam das profundezas do coração. A primeira é a oração dos hipócritas e de todos os que confiam em si mesmos. A última é a oração dos filhos de Deus que andam em Seu temor”.


Se o coração não vos acompanhar na oração, ele está falando, não orando. A oração é chamada de luta, de derramar a alma. Oração sem fervor, é como incenso sem fogo. 

Veja mais

TEMAS

AUTORES

ARQUIVOS

<  1  2  3  >

INSCREVA PARA RECEBER
NOSSAS ATUALIZAÇÕES: