Reforma e Antirreforma, Parte III e Conclusão, por Manoel Coelho Jr.

|

[Parte III e Conclusão •​ Série de pregações ministradas na Congregação Batista Reformada em Belém por ocasião dos 498 anos de Reforma Protestante •​ Outubro de 2015]

 

Parte III

“Não, filhos meus, porque não é boa esta fama que ouço; fazeis transgredir o povo do Senhor. Pecando homem contra homem, os juízes o julgarão; pecando, porém, o homem contra o Senhor, quem rogará por ele? Mas não ouviram a voz de seu pai, porque o Senhor os queria matar. E o jovem Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com o Senhor, como também para com os homens.” (1 Samuel 2:24-26)
 

I. INTRODUÇÃO.

Façamos mais uma vez a aplicação do conteúdo estudado à questão da Reforma e Antirreforma. O que posso dizer imediatamente é que a Reforma produzirá verdadeira adoração pelo fato de nela os homens humildemente estarem voltando as Escrituras, passando assim a conhecer o verdadeiro Deus em Cristo. Já na Antirreforma Deus não é conhecido, pois a liberdade da vontade estabelece seus ídolos nulos. Na Reforma há adoração, enquanto que na Antirreforma há idolatria. Em sua vida e em sua comunidade, prezado leitor, está acontecendo ou uma coisa ou outra. Que Deus lhe ilumine por estes estudos para que veja sua situação com clareza. Que haja Reforma genuína entre nós. Que novamente se diga: Soli Deo Gloria!

 

II. A REFORMA SE INICIA COM A GRAÇA NO CORAÇÃO QUE O FAZ RENDER-SE AO REINADO DE CRISTO, ENQUANTO QUE A ANTIRREFORMA É A MANIFESTAÇÃO DO CORAÇÃO NATURAL REBELADO.

 

“Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos” (Juízes 17:6).

 

Ou Cristo reina ou eu estou livre para fazer o que quiser. A Reforma é uma obra da Graça de Deus em Cristo que me leva a render-me ao Seu Reinado. Um reformado é alguém que serve, que teme, que segue, que se submete ao Rei Jesus. Mas para isso é preciso ser liberto de mim mesmo e é exatamente este Rei que me liberta. Nesse ponto volto a citar o seguinte trecho de nossa Confissão:

 

Este ofício de Mediador entre Deus e os homens cabe exclusivamente a Cristo, que é o Profeta, Sacerdote e Rei da Igreja de Deus; e isto não pode ser no todo, ou em qualquer parte, transferido de Cristo para qualquer outro (1 Timóteo 2:5). Este número e ordem de ofícios são necessários. Precisamos de Seu ofício profético (João 1:18), por causa de nossa ignorância. Por causa de nossa alienação de Deus, e da imperfeição de nossos melhores serviços, nós necessitamos de Seu ofício sacerdotal para nos reconciliar e apresentar aceitáveis a Deus (Colossenses 1:21; Gálatas 5:17). E no que diz respeito à nossa aversão e incapacidade absoluta de converter-nos a Deus, e para o nosso resgate e segurança contra nossos adversários espirituais, precisamos de Seu ofício real para nos convencer, subjugar, atrair, sustentar, libertar e preservar para o Seu reino celestial. (João 16:8; Salmos 110:3; Lucas 1:74-75). (CFB1689, Capítulo 8, Sobre Cristo, o Mediador, parágrafos 9 e 10).

 

Sim, Cristo nos liberta de nossa aversão e incapacidade e nos traz a Ele. Amém. Isso é Reforma e aqui nesta situação, e somente nela, é possível adorar.

 

Já a Antirreforma é a manifestação do coração natural em toda a sua força revelada contra o Rei, fazendo o que lhe agrada. Neste caso a idolatria é estabelecida, pois Deus não é temido e servido em nenhum aspecto.

 

O que há em sua vida e comunidade? Cristo está reinando ou cada um está fazendo o que quer? Há ambiente para a adoração por existir submissão ao Rei, ou a idolatria é praticada por corações rebeldes? Há Reforma ou Antirreforma?

 

III. A REFORMA É A ACEITAÇÃO DA REVELAÇÃO NA ESCRITURA, ENQUANTO QUE A ANTIRREFORMA É A REBELIÃO À MESMA.

 

“Porém ele restituiu aquele dinheiro à sua mãe; e sua mãe tomou duzentas moedas de prata, e as deu ao ourives, o qual fez delas uma imagem de escultura e uma de fundição, que ficaram em casa de Mica” (Juízes 17:4).

Um coração Reformado é submisso ao Rei e consequentemente ouve e atende à Sua Palavra. Dessa forma ele pode adorar, pois conhece o Deus verdadeiro revelado nas Escrituras. Por outro lado, um coração rebelde está em Antirreforma, pois nega a Revelação de Deus para estabelecer suas crenças e opiniões. Isto gerará idolatria, visto que Deus não é conhecido.

 

Mais uma vez o chamo a pensar sobre a sua realidade em si e em sua comunidade Cristã. Existe submissão à Palavra em sua totalidade ou há rebeldia? A Revelação que Deus dá de Si mesmo está sendo atendida e crida, ou há rebelião contra a mesma? Há corações reformados e submissos, ou rebeldes que manifestam antirreforma? Há adoração ou idolatria? Há Reforma ou Antirreforma?

 

IV. A REFORMA LEVA À REVERÊNCIA AO CRIADOR REVELADO EM CRISTO NAS ESCRITURAS, ENQUANTO A ANTIRREFORMA INCENTIVA OS HOMENS A INVENTAREM ÍDOLOS.

 

“Então ele disse: Os meus deuses, que eu fiz, me tomastes, juntamente com o sacerdote, e partistes; que mais me resta agora? Como, pois, me dizeis: Que é que tens?” (Juízes 18:24).

Na Reforma Deus é conhecido, pois Sua Autorevelação é atendida, visto que o coração está submetido ao Rei. As pessoas dão valor ao ensino das Escrituras e assim conhecem a Deus em Cristo. Isso as leva a adorarem a este Deus Único e Verdadeiro, o Criador, Mantenedor e Redentor. Toda a glória é dada a Deus. Este é o Espírito da Reforma. Já na Antirreforma, Deus não é ouvido tornando-se assim desconhecido (1 Samuel 2:12). Como é possível adorar neste caso? O que ocorrerá é que os homens e mulheres criarão em seus corações uma quantidade infindável de ídolos. Sim, eles fabricarão seus ídolos. Este é o Espírito da Antirreforma, ou seja, idolatria.

 

Mais uma vez analise: Você e sua comunidade têm conhecido a Deus em Cristo nas Escrituras? Vocês O têm adorado como Único Deus? Há Reforma de fato? Ou Ele é desconhecido e ídolos são criados ao bel prazer dos líderes e povo? Afinal, há Reforma ou Antirreforma?

 

V. A REFORMA PROMOVE VERDADE NO CORAÇÃO, QUE INTERPRETARÁ REALISTICAMENTE A PROVIDÊNCIA, ENQUANTO A ANTIRREFORMA É MENTIRA INTERNA APLICADA ÀS CIRCUNSTÂNCIAS PARA O AUMENTO DA IDOLATRIA.

“Então disse Mica: Agora sei que o SENHOR me fará bem; porquanto tenho um levita por sacerdote” (Juízes 17:13).

A Reforma é a verdade no íntimo daqueles que se submetem ao Rei; Verdade de Deus em Cristo, o Rei. Isto faz as pessoas enxergarem as circunstâncias iluminadas por esta verdade. Em outras palavras, elas veem o mundo como é e glorificam a Deus em tudo devido a esta compreensão. Mas, na Antirreforma a mentira interna leva as pessoas a interpretarem a providência de modo a aumentar sua confiança em seu ídolo. A Reforma é verdade no íntimo que leva a ver a realidade na Providência, promovendo a adoração ao verdadeiro Deus. Já a Antirreforma é a mentira no coração que encobre a realidade, aumentado ainda mais a confiança e adoração aos falsos deuses. Analise com oração se em sua vida e comunidade Deus é glorificado na Providência ou um ídolo é fomentado. Há adoração ou idolatria? Há Reforma ou Antirreforma em seu meio?

 

VI. A REFORMA LEVA AO SANTO CULTO BÍBLICO EM SUAS FORMAS, ENQUANTO QUE A ANTIRREFORMA O PROFANA EM MODOS IDOLÁTRICOS.

 

“E os filhos de Dã levantaram para si aquela imagem de escultura; e Jônatas, filho de Gérson, o filho de Manassés, ele e seus filhos foram sacerdotes da tribo dos danitas, até ao dia do cativeiro da terra. 31 Assim, pois, estabeleceram para si a imagem de escultura, que fizera Mica, por todos os dias em que a casa de Deus esteve em Siló” (Juízes 18:30-31).

Na Reforma Deus é conhecido em Cristo. Isso leva a formas de culto prescritas por Ele mesmo, e que correspondam à Sua Natureza Divina revelada. Isso é a santidade do culto, é adoração de fato, pois centralizada em Deus. Já na Antirreforma, os ídolos são adorados, o que afeta as formas, as quais terão que se adequar à natureza do falso deus. Isso é a profanação do culto em formas cada vez mais abomináveis e centradas em ídolos nulos.

 

O que há em sua comunidade? O Culto público é regrado pelas Escrituras manifestando a glória do Deus revelado em Cristo? Ou há liberdade para invenção de todas as formas imagináveis pelo coração humano? Há adoração ao Deus Único ou idolatria? Há Reforma ou Antirreforma?

VII. A REFORMA, COMO OBRA DA GRAÇA, PROMOVE A SUBMISSÃO DÓCIL QUE GERA A VIDA, ENQUANTO QUE A ANTIRREFORMA, SENDO FRUTO DO CORAÇÃO NATURAL, GERA TEIMOSIA QUE LEVA A MORTE.

 

“Era, pois, muito grande o pecado destes moços perante o Senhor, porquanto os homens desprezavam a oferta do Senhor. 18 Porém Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho” (1 Samuel 2:17-18).

 

A Graça no coração liberta os homens de sua rebeldia natural fazendo-os submissos a Cristo. Isso os leva a docilmente submeterem-se constantemente à Sua Palavra, conhecendo mais e mais a Deus, adorando Aquele que é o Caminho da Vida. Isso é Reforma. Nela haverá dócil submissão constante ao comando do Rei Jesus. O homem e comunidade prosseguirão assim em constante adoração. Mas na Antirreforma o coração está livre e Deus o entrega à sua maldade, pois quer julgá-lo. Na Antirreforma há teimosia que não se dobra a nenhum aviso. O indivíduo e comunidade prosseguirão na idolatria até a morte. Enfim, na Reforma há Graça sobre Graça, enquanto que na Antirreforma há juízo severo de Deus.

 

O que está acontecendo com você e sua comunidade? Não percebe que você e sua comunidade podem estar seguindo um caminho de juízo, ainda que se sintam seguros? Não percebe a necessidade da Graça constante? Somente Deus pode salvar-nos da idolatria. Oh, clamemos a Deus. Que Ele opere a Reforma. Amém!

 

 

VIII. CONCLUSÃO.

 

Na Reforma há submissão ao Rei, atenção à Sua Palavra, conhecimento e adoração ao Verdadeiro Deus, realidade conhecida para a Sua honra, formas de culto conforme a Sua Revelação, e submissão constante à Sua Palavra. Tudo isso leva à adoração ao Único Deus. Reforma é adoração. Soli Deo Gloria. Na Antirreforma há rebeldia, negação da Palavra, fabricação de ídolos, engano aplicado à vida, cultos profanos, e teimosia mortal. Tudo promove a idolatria. Antirreforma é idolatria. O que está ocorrendo em você e sua comunidade? Que Deus vos livre da Antirreforma e promova uma genuína Reforma em vosso meio. Que o Senhor seja conhecido e honrado no Rei Jesus. Soli Deo Gloria! Amém!

 

 

A Igreja Reformada está sempre se Reformando, segundo a Palavra de Deus!

 

Sola Scriptura!
Sola Gratia!
Sola Fide!
Solus Christus!
Soli Deo Gloria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.