Sendo Uma Testemunha, por Paul David Washer

|

Vamos abrir as nossas Bíblias no livro de Mateus. Mateus 28, versículo 18-20:

 

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. 19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.

 

Antes de começarmos, permitam-me dizer somente algo. Se é melhor para a filmagem manter tudo às escuras, tudo bem, podemos ficar às escuras. Mas para a pregação é melhor manter as luzes acesas, para que todos sejam capazes de olhar para as suas Bíblias. Quem está no controle das luzes, se têm que manter assim, tudo bem. Como eu disse na noite passada, é como pregar para uma comitiva, daqui de cima.

 

Vamos olhar para o nosso texto. Aqui temos a Grande Comissão. Reparem que não é o grande mandamento. A obediência à Grande Comissão flui do grande mandamento. Você deve ser, antes de mais, alguém que ame o Senhor seu Deus de todo o coração. E deve ser alguém que foi tão transformado que ama o seu próximo como a si mesmo. Então, para ser uma verdadeira testemunha de Jesus Cristo, tem que conhecer a Deus, tem que passar tempo com Ele e ser transformado.

 

No Ocidente, temos uma cultura de demasiada atividade e ocupação. E temos trazido isso para o nosso Cristianismo. Pensamos que é espiritual fazer muitas coisas no Nome de Cristo. Mas, quantas dessas coisas realmente dão fruto? A sua maior necessidade é conformidade com Jesus Cristo e conhecer a Sua vontade. E isso requer que passe tempo com Ele. É esse tempo com Cristo Jesus que tornará você um servo frutífero. Na região onde eu vivo, às vezes, treinamos cães de caça. Um bom cão de caça é muito ativo e forte. Não é difícil ensiná-lo a andar. O que é difícil é ensiná-lo a esperar, a ouvir, a obedecer. Eu fiz muitas coisas no meu ministério, especialmente quando era um jovem ministro. Muitas delas foram infrutíferas. Se eu pudesse voltar atrás no tempo, passaria mais tempo orando, ouvindo, estando na presença de Deus, e sendo transformado pela Sua Palavra.

 

Agora, olhamos para os versículos 18 a 20, e temos a Grande Comissão. Podíamos ficar estudando esta passagem por duas semanas; é cheia de tantas verdades; mas quero olhar para algumas delas por um momento.

 

Primeiramente, a autoridade dAquele que está nos enviando. Cristo ressuscitou dentre os mortos. E este Cristo, que foi crucificado, Deus o fez Senhor e Cristo. Ele é o Rei de todo o Universo. Você não devia pensar que um dia Cristo reinará. Devia compreender que Cristo está reinando agora mesmo. Todos os reinos, todo o poder, toda a autoridade foi-Lhe dada. As nações deste mundo são como uma flor cortada (veja Isaías 40:6-8); e os grandes reis e líderes deste mundo são como uma flor cortada. Vemos uma bela flor e cortamos o seu caule. Ela não morre, nem murcha imediatamente. Parece que tem vida, mas foi cortada da sua fonte de vida. E em poucos dias ela murchará e se tornará em nada. Esta é a descrição dos grandes poderes da terra hoje em dia. Sejam eles políticos ou espirituais, sejam humanísticos ou demoníacos, são uma flor cortada. Não têm vida em si mesmos. O seu poder é nada. Estão apenas sendo usados para os propósitos de Deus. Ora, como a Bíblia diz em Salmos 2, Deus colocou o Seu Rei no Seu santo monte (veja Salmos 2:6). E esse Rei é Jesus Cristo. É Ele Quem envia você para pregar. É Ele Quem envia todas as nações, a todos os lugares. Ninguém tem autoridade para dizer a você que não pode pregar numa certa área, porque o próprio Cristo deu autoridade a você. Isto é muito importante, muito encorajador. Para que seja uma firme testemunha para Jesus Cristo, precisa de uma maior visão do poder do Salvador que envia você. Se olha para as nações por si mesmo, se olha para os membros não-convertidos da sua família, e os compara a si mesmo, eles parecem gigantes e você parece um gafanhoto. Eles lhe amedrontam. Mas quando você os compara com o seu Deus, eles são como gafanhotos.

 

Uma vez, depois de pregar, as pessoas ficaram muito, muito raivosas. Estavam mesmo furiosas. E eu estava saindo do edifício, e um jovem veio falar comigo e disse: “Você é o homem mais valente da face da terra. Não tem medo de nada. Aquelas pessoas queriam matá-lo e continuou pregando. Não tem medo de nada”. E eu disse: “Não, é precisamente o oposto. Eu tenho medo de todos”. E ele: “O quê?”. “Não. Mesmo. Eu não sou muito corajoso, em absoluto. Na verdade, quando eu voltar ao meu quarto de hotel provavelmente desmaiarei de medo. Ele disse: “Bem, então como fez aquilo?”. E eu dei-lhe esta ilustração: Vamos imaginar que há dois homens à minha frente. Um é pequeno e pesa cerca de 40 Kg. Os seus braços são tão fortes quanto a ponta do microfone. E o outro homem tem 2,50 m de altura e pesa 200 Kg. Tem músculos até nas orelhas. Eu olho para o homem pequeno e tenho medo dele. Eu olho para o homem grande, e tenho mais medo dele. E depois disse-lhe isto: “Tenho que fazer uma escolha. Temerei estes homenzinhos ou temerei a Deus? Temerei estes homenzinhos que podem matar o meu corpo? Sim, terei medo deles. Mas não devo temer a Deus, que pode matar, não somente o meu corpo, mas lançar a minha alma no Inferno? Eu temo a ambos, mas temo mais a Ele”.

 

Então, vejam, o medo nunca deve nos parar quando se trata de pregar o Evangelho. Quando você vê quão grande Deus é, de forma que todas as nações do mundo são como nada diante dEle, então tem coragem para pregar. Quando percebe que Jesus Cristo é a pedra cortada sem auxílio de mão, que Deus atira sobre os reinos deste mundo e, por fim, os destrói (veja Daniel 2), então não temerás as nações. “É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações…” (veja Mateus 28:18-19). Muitas pessoas dizem que o mais importante aqui é o fazer discípulos; que o principal mandamento aqui não é ir, mas fazer discípulos. Isso é verdade, mas não vai fazer discípulos sentado no quarto. Não vai fazer discípulos se a única coisa que faz é estudar teologia. Não vai fazer discípulos se apenas senta no banco da igreja. E não farão discípulos se vocês, jovens, no sábado à noite sairão com outros Cristãos. Você faz discípulos porque vai. E vai onde? Falar com homens e mulheres que estão perdidos. Há uma grande necessidade do Evangelho na Holanda. Ide. Há uma grande necessidade do Evangelho na Europa Ocidental. Então, ide. Há uma grande necessidade do Evangelho na Ásia, África e Austrália. Então, ide. Há uma grande necessidade do Evangelho nos Estados Unidos. Na América do Norte, na América do Sul. Ide, mas de acordo com a vontade de Deus.

 

Mais uma vez: a Grande Comissão não pode funcionar, a menos que que seja uma pessoa que anda com Deus. Você tem que conhecer a Sua vontade para a sua vida. Tem que conhecer os seus dons. E deve ministrar no poder e graça o que Deus lhe deu. Mas não importa para o que você foi chamado; é chamado para se dedicar à Grande Comissão. É a maior obra de Deus neste mundo. À nossa volta estão pessoas morrendo e indo para o Inferno. Há cidades de centenas de milhares de pessoas que não têm o testemunho do Evangelho. O que fará em relação a isso? Isso faz você perder o sono à noite? Você ficou perturbado quando os Estados Unidos foram atacados e milhares de pessoas foram mortas em Nova Iorque? Isso o incomodou por alguns dias? Bem, entende isto: todos os dias centenas de milhares de pessoas estão morrendo sem Cristo. Então, carros e roupas novas não são assim tão importantes, são? Conforto e facilidade não são assim tão importantes, ou são? Os seus planos para a sua vida não são assim tão importantes, são? Os seus hobbies e desejos não são assim tão importantes, ou são? Não quando compara todas estas coisas com a grande necessidade que o mundo tem da pregação do Evangelho. Às vezes, vejo jovens que são grandes atletas. Eles estão no estádio e todos aplaudem. Mas eu dir-lhes-ia isto: “Deixem a vaidade do estádio. Usem a sua força física para andar para cima e para baixo nas Montanhas dos Andes, carregando 45 Kg de Bíblias às costas e pregando o Evangelho àqueles que nunca o ouviram”. Se tem dons, tem força, use-os por amor a esta Grande Comissão. Não para si mesmo. Para a Grande Comissão.

 

Ele diz: “Ide, fazei discípulos…” (v. 19). É aqui que isso se torna difícil… Eu estava pregando há alguns anos numa igreja no Texas, e eles não tinham pastor. Depois do meu primeiro sermão, saí do púlpito e um grupo de líderes veio falar comigo imediatamente. E disseram: “Você precisa ser o nosso pastor”. Eu olhei para eles e disse: “Estão doidos?”. “O que quer dizer?”. Eu disse: “Vocês não sabem se eu amo a minha mulher”. O que eu queria mostrar era: “Vocês não sabem nada sobre o meu carácter. Só porque preguei um bom sermão não significa que seja um homem de Deus. O Diabo é um bom pregador. Vocês não sabem nada de mim enquanto discípulo”. Veem? É fácil pregar. É dizer coisas às pessoas. Eu lhes disse coisas esta semana. Mas, vocês não conhecem a minha vida. Não sabem como eu vivo. Não sabem mesmo nada. Então, se quer ser um pregador, é muito fácil. Mostre-se às pessoas três vezes por semana, e diga-lhes que façam coisas. Mas fazer discípulos é algo muito diferente. Fazer um discípulo é ganhar alguém para Cristo, e depois incluí-lo na sua vida. Não apenas encontrá-lo algumas vezes por semana e ter uma aula, mas convidá-lo a entrar na sua vida para ver como você vive. Um discípulo é um seguidor, um aprendiz de Jesus, aprendendo não apenas os Seus ensinamentos, mas a forma como Ele vive. Paulo diz a mesma coisa. “Sejam meus imitadores” [1 Coríntios 11:1].

 

As Escrituras também nos dizem para observarmos as vidas dos nossos líderes, para seguirmos o seu exemplo. Não precisamos ser como fariseus. Lembram-se o que Jesus disse sobre eles? Eles sentam-se na cadeira de Moisés, portanto ouçam o que eles ensinam. Mas não sejam como eles. Esta é uma das coisas mais horríveis que pode ser dita sobre um pregador, alguém que ensina, ou um evangelista. “Ouçam o que ele diz, mas não o sigam o que ele faz, porque ele não pratica o que prega”. Ser uma verdadeira testemunha de Jesus Cristo não é só compartilhar o Evangelho, mas também ensinar aqueles que vêm a Cristo, abrir-lhes a sua vida, abrir-lhes a sua casa. Percebem que uma das qualificações de um ancião, de um pastor, é a prática da hospitalidade? Então, percebem que, se eu sou um ensinador maravilhoso da Bíblia, mas não abro a minha casa às pessoas, não estou qualificado para ensinar a Bíblia. Permitam-me fazer uma pergunta, Cristãos. Muitos de vocês testemunham às pessoas. Muitos de vocês provavelmente ensinam em classes bíblicas. Mas, gostariam de convidar esses estudantes à vossa casa para verem como realmente vivem? Vocês, ministros casados, gostariam de convidá-los à vossa casa, para verem como é o vosso casamento? Para verem a vossa relação com os filhos? Ser uma testemunha não é somente abrir a boca, é conformidade com Cristo. É por isso que é tão necessário buscar a Cristo na Sua Palavra, buscá-lO em oração, buscar ser como Ele.

 

Agora precisamos avançar. Ele diz: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, e depois, “ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado”. Vocês ouvem o que Ele está dizendo? Ensinem-nos a obedecer a tudo o que Eu vos mandei. Enquanto pastor, evangelista, ensinador da Bíblia ou testemunha de Cristo nas ruas, não é suposto apenas que eu os ensine, que lhes conte fatos sobre a Bíblia, ou que somente lhes ensine mandamentos; é suposto que eu os ensine a obedecer a esses mandamentos. É solicitado a mim, que os ensine a andar de acordo com os mandamentos da Palavra. Então, antes de mais, eu devo ser alguém que obedece aos mandamentos. E a partir dessa vida, eu devo ensiná-los.

 

Jovens, muitos de vocês estão tão entusiasmados acerca do evangelismo. Você pode ensiná-los a serem obedientes como você é? É por isso que necessitamos crescer em Cristo. E diz aqui: “e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”. Na versão em Inglês diz apenas “estou convosco sempre”, mas no Grego diz “estou convosco todos os dias” [como na versão ACF]. Isto é muito importante. Quando ouve Jesus dizer que está sempre contigo não significa tanto como: “Vou estar contigo todos os dias em que fazes isto… Todos os dias em que anda coMigo.” Ele nunca te deixará, nunca te abandonará. Estará contigo todos os dias, em todas as circunstâncias.

 

Quantos de vocês já leram o poema “Pegadas na areia”? Ok, ótimo! Uma pessoa andando na praia, e vê diante de si os bons momentos da sua vida. Quando isso acontece, ela vê dois pares de pegadas na areia, as suas e as de Jesus. Mas nos maus momentos, só vê um par de pegadas. Então, pensa que Jesus não está com ela, e pergunta ao Senhor: “Porque me abandonou nos maus momentos?”. E o Senhor diz: “Esses foram os momentos em que te carreguei ao colo”. Isto é realmente insensato. Não é verdade. Não é verdade. É mesmo, mesmo insensato. É insensato, é errado, é mau. É mesmo! Ouça-me, crente: houve sempre só um par de pegadas na areia, e foram sempre as dEle, porque Ele sempre te carrega ao colo. Não há momentos em que precisa mais dEle e momentos em que precisa menos. Ele sempre carrega você. E é isso que o torna forte. É Ele! Ele é tudo! Vocês podem dizer: “Bem, mas tenho medo de testemunhar”. Ótimo! Ele não tem. Vai com Ele. Confia nEle. “Sou fraco”. Supõe-se que você seja. Ele é Forte. Digo sempre às pessoas que devíamos ser Gideões dos dias modernos. Quando Deus quis declarar guerra os midianitas, encontrou o forte guerreiro Gideão? Não, encontrou um franguinho chamado Gideão. A pessoa que mais medo tinha em todo o Israel, que se escondia do inimigo. O menor dos menores. E Ele chama-o. E quando Gideão juntou um exército, Deus disse-lhe: “É demasiado grande”. Tornou-o menor, e Ele disse: “Ainda é demasiado grande”. Porque isto? Porque Deus quer fazer uma obra através das pessoas mais fracas, para que todos saibam que foi Deus. Foi Deus.

 

Agora vamos a 2 Timóteo, Capítulo 3. 2 Timóteo 3:15: “E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus”. Aqui ele fala de meninice, mas não se refere a adolescência. Nem se refere necessariamente a um menino de sete ou oito anos. Refere-se a um bebê. Pequenos bebês… Para vocês, pais, esta é uma boa palavra. Vocês falam com o seu bebê, mesmo que tenha só um ano? Sim, falam. Pelo menos deviam falar. Também é necessário compartilharem com eles as Escrituras, porque a Palavra de Deus é mais importante do que as suas palavras. “Bem, mas eles não vão entender…”. Mas eles também não entendem quando vocês dizem “gu-gu-ga-ga” e continuam dizendo.

 

Agora, deixem-me dizer uma coisa sobre evangelismo. Provavelmente, pelo menos na nossa cultura, a forma mais radical de evangelismo é a pregação de rua. E é uma boa forma de evangelismo. Sempre que houve um despertamento, houve um aumento da pregação de rua. Mas o pregador de rua dirá algo muito importante: que na maioria das vezes, a parte mais importante do seu ministério é quando ele desce da cadeira ou do banco e fala com as pessoas individualmente. E, então, o pregador de rua passa de um João Batista, profeta, para um escriba, um ensinador no reino dos céus. Quando ele está de pé pregando, é corajoso e faz declarações corajosas, em amor. Mas quando desce e começa a falar com duas ou três pessoas juntas ali, ele torna-se um gentil e paciente professor. Isto é algo que eu quero que vejam. Muitas vezes, somos demasiados rápidos no nosso evangelismo. Damos um folheto a alguém, falamos cinco minutos e achamos que fizemos o nosso trabalho. E, às vezes, apenas nos dão cinco minutos. Às vezes, nem isso. Mas enquanto evangelistas, enquanto testemunhas, devíamos buscar construir relações com as pessoas. Devíamos procurar ser capazes de sentar e explicar-lhes o caminho mais claramente.

 

Tenho um amigo que trabalha nos países muçulmanos. É pastor num país muçulmano. Não posso dizer-lhes o nome dele, nem posso dizer onde está. Há anos atrás, enviaram missionários da sua igreja e foram decapitados. Ele ganhou muitos, muitos para Cristo. Foi isto que ele me disse: “Às vezes leva sete meses a um ano para ganhar uma pessoa para Cristo”. Estudo bíblico após estudo bíblico, aconselhamento e mais aconselhamento, oração e mais oração. Ele tem que investir a sua vida naquela pessoa. Mais e mais é isto que vai acontecer no Ocidente. Vocês terão que passar tempo com as pessoas e instruí-las na Palavra de Deus. Há uma pequena frase, um pequeno ditado que lhes ajudará. Quão vasto tem que ser o seu vocabulário para ensinar um papagaio a falar? Bem, você precisa ter um vocabulário maior do que o do papagaio. Da mesma forma, Cristão, deve saber mais da Bíblia do que a pessoa com quem está falando. Eu sei que muitos de vocês são grandes e sábios. Sei que essa sabedoria nasceu com vocês e morrerá com vocês. Eu sei que vocês estão cheios de grandes argumentos, belas ilustrações, e discursos eloquentes. Querem saber o que tudo isso vale? Nada! O poder da salvação encontra-se no Evangelho. Ele diz que “desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras”. Alguém investiu na vida dele, dando-lhe as Escrituras ano após ano, e ele veio a conhecer Cristo. As Escrituras deram a Timóteo a sabedoria que ele precisava para compreender e possuir a salvação.

 

Às vezes, as pessoas vêm falar comigo e dizem algo assim: “Irmão Paul, eu tenho testemunhado ao meu pai ao longo de anos, mas ele simplesmente não ouve. Ele simplesmente não compreende. O que eu lhe posso dizer para fazê-lo compreender?”. Acha realmente que existe alguma frase inteligente que eu posso lhe dizer para tornar o seu pai vivo? Acha realmente que eu posso lhe dar um argumento muito inteligente que fará com que ele entenda? Permitam-me compartilhar isto desta forma. Espero que entendam. Será um pouco difícil de traduzir. Vamos imaginar que você testemunha a alguém há dez anos. E está sempre dizendo-lhe quem Deus é, e falando do seu pecado, e de que Jesus ressuscitou dos mortos, e que deve arrepender-se e crer. E disse-lhe isso vezes e vezes sem conta. Mas um dia o encontra, fala de Deus outra vez, fala do seu pecado, fala de Jesus ter morrido por ele e ter ressuscitado dos mortos, e depois acontece que você diz: “e depois dEle ter ressuscitado dos mortos foi visto por mais de 500 testemunhas”. E ele diz: “Para! O que disse?”. “Ele foi visto por mais de 500 testemunhas…”. “Porque nunca me disse isso? Se você tivesse dito há dez anos atrás, eu teria me arrependido e crido!”. Isto não acontecerá. Se você tem testemunhado a alguém corretamente por dez anos, continue a testemunhar a mesma coisa por mais dez anos e a orar por ele. Porque não são os argumentos inteligentes, não é dar-lhes mais informação. É simplesmente dar-lhes o mesmo Evangelho repetidamente, e responder às questões que eles tiverem sobre as Escrituras. Pensem em Noé por um momento. Ele pregou a mesma mensagem por 120 anos. Conseguem imaginar… Todos os filhos juntos à mesa do almoço e Noé desce para o devocional diário. E eles dizem: “Pai, o que vamos estudar hoje no devocional diário?”. “Vai chover”. “Mas, pai, temos o mesmo devocional há 120 anos!”. E ele sai à rua. As pessoas juntam-se à sua volta: “Noé, qual é a grande palavra de Deus para hoje?”. “Vai chover”. “Porque você continua com isso, vez após vez?”. “Porque vai chover”. Este é o pregador do Evangelho. Temos uma mensagem. Não temos que consertá-la, não temos que torná-la melhor. Não temos que mudá-la para que as pessoas entendam. Simplesmente temos que pregá-la, pregá-la e pregá-la. E se pregarmos o Evangelho fielmente, Deus salvará pessoas. Vocês podem dizer: “Mas isso é um pouco entediante, não?”. Se vocês colocam essa questão, não entendem o Evangelho. Permitam-me compartilhar convosco algo sobre o Evangelho de Jesus Cristo. Quer admitam ou não, a maioria das pessoas pensa isto: o Evangelho é como o primeiro passo de um bebê no Cristianismo. E depois, passa-se para coisas maiores, verdades mais profundas. Isto é mentira. Não há verdade mais profunda no mistério de Deus do que o Evangelho de Jesus Cristo. Você entenderá cada versículo do livro de Apocalipse no dia em que Jesus Cristo voltar; mas passará milhares de eternidades no Céu sem sequer começar a compreender a grandeza do Evangelho. É o primeiro passo no Cristianismo, é o passo intermédio no Cristianismo, e é o passo final no Cristianismo. Tudo é o Evangelho! Quando você estiver lidando com pessoas, deve aprender a usar a Palavra de Deus. As pessoas não precisam da sua opinião. Não precisam saber o que você pensa. Precisam saber o que Deus disse.

 

Houve um jovem que me ligou, há uns anos, quando eu estava no Peru, e disse: “Eu quero ir para o Peru e trabalhar com você”. Eu disse: “Como é o seu conhecimento das Escrituras? Como é a sua habilidade para ensinar as Escrituras aos outros?”. E ele só disse: “Bem, eu não… As Escrituras não são a minha praia. Eu só quero ir para o Peru e entregar a minha vida para as pessoas”. Eu disse: “Jovem, ninguém aqui no Peru precisa da sua vida. Eles precisam da Palavra de Deus. E eles precisam de alguém que possa abrir a sua boca e ensinar a Palavra de Deus”. Os jovens sempre vêm falar comigo perguntando: “O que preciso fazer para ser um missionário?”. Deve conhecer pessoalmente Aquele que deseja compartilhar: Jesus Cristo. Deve entregar-se para entender este Livro. Esta é a única Espada que você tem. “Bem, eu sou cheio com o Espírito Santo”. Esta é a única Espada que o Espírito Santo tem. Esta é a Espada do Espírito. Se queres um ministério fortalecido pelo Espírito, você deve usar este Livro.

 

Muito rapidamente, sobre como se tornar um missionário: Primeiro, você deve ser chamado. Segundo, estar saturado com a Palavra de Deus. Já ouviram falar de John Bunyan? Do livro “O Peregrino”? Diziam sobre ele que se o cortassem com uma faca, ele sangraria a Bíblia. É assim que você e eu devemos ser. Outra coisa é: deve ser cheio com o Espírito Santo. No momento em que você se converte, é regenerado pelo Espírito Santo, e o Espírito Santo habita em você. Mas você deve ser sensível ao Espírito Santo, deve ter cuidado para não ofender o Espírito Santo, deve aprender a andar ao passo do Espírito Santo. E deve clamar por maiores e maiores manifestações do Espírito Santo na sua vida. Que Ele te encha mais. Que te fortaleça mais. Entendendo a sua fraqueza e passando por quatro ou cinco dias de jejum e de clamor no nome do Senhor. Você não pode verdadeiramente ministrar a menos que o ministério seja fortalecido pelo Espírito de Deus. E deve buscar isto sempre.

 

Agora vamos num instante ao verso 16 do Capítulo 3, e falemos sobre como usar a Palavra de Deus, não apenas para testemunhar, mas também no discipulado. Versículos 16 e 17 dizem: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2 Timóteo 3:16-17). Quero que notem duas coisas aqui que são extremamente importantes. Diz que toda a Escritura é inspirada, no verso 16. Você crê nisso? Não pode ministrar no poder do Santo Espírito pela Palavra de Deus se não acredita que a Palavra de Deus é inspirada, que tem o fôlego de Deus, que é sobrenatural, que é pura. A Palavra de Deus é provada. É sem erro. Se não acredita nisso, há muito pouco que possa alcançar no Reino dos céus. A maioria de vocês já ouviu sobre a doutrina da inspiração das Escrituras. Mas ouviram desta doutrina: a doutrina da suficiência das Escrituras? Está no versículo 17: “para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”. O que precisa para realizar o ministério Cristão? Uma compreensão correta e completa das Escrituras. O que precisa mais? Nada!

 

“Bem, irmão Paul, e devemos ler livros? Há uma mesa com livros ali…”. Você deve ler livros que o ajudem a compreender as Escrituras. Deve ler livros que falam sobre homens que viviam as Escrituras. Você tem que crer que este Livro contém tudo o que precisa para o seu ministério. Não precisa de Psicologia de nenhum tipo. Não precisa de Psicologia Cristã porque isso, por si só, é uma contradição. Não precisa de antropologia secular. E, definitivamente, não precisa de sociologia secular. Todas estas disciplinas começaram, na verdade, em oposição à Palavra de Deus. Uma das coisas que mais tem enfraquecido a proclamação do Evangelho é a mistura de Psicologia, Sociologia e Antropologia com as Escrituras. Elas não se misturam. A maioria dos livros de aconselhamento escritos hoje em dia, no mundo Cristão, não são menos do que uma Psicologia “batizada”. Alguns de vocês estão zangados? Mas é verdade… Deixem-me dar um exemplo sobre aconselhamento – o psicólogo Cristão. Você entra no seu gabinete e ele está sentado à mesa com a Bíblia. Tem muitos livros atrás dele. E, porque tudo se resume a uma questão, pergunta: “Qual é a sua autoridade?”. Ele responde: “Bem, a Bíblia é a minha autoridade”. Você olha à volta e diz: “Bem, há muitos livros aqui que não são a Bíblia”. “Eu também uso as verdades que se encontram na Psicologia secular”. E você: “Bem… Eu tenho uma questão em relação à Psicologia secular. Reparei que tem os três maiores psicólogos. Tem Freud, Rogers e Skinner. Tem todos os livros deles. E usa a verdade que encontra neles”. “Certo”. “Mas a minha questão é: Freud diz que Rogers e Skinner são ignorantes, idiotas, que não percebem nada. Rogers diz que Freud e Skinner são idiotas. E Skinner diz que Rogers e Freud são idiotas. E assim por diante. Então, como sabe quem está certo?”. E ele diz: “Eu retiro a verdade de Freud, de Skinner e de Rogers”. Veem o que ele faz? Agora o seu conselheiro é a autoridade. O psicólogo fez-se a si mesmo a autoridade. Ele determinou o que é a verdade em cada um destes homens. Os três se contradizem, então, ele determina qual deles está certo. E depois você lhe faz a questão: “Não é verdade que estes três homens odiavam o Cristianismo? Não é verdade que todos começaram as suas disciplinas como uma opção ao Cristianismo? Não é verdade que as principais teorias da Psicologia mudam a cada três anos?”. Então, eu vou a alguém e o ajudo com isto? Uma das coisas mais radicais que vai ter sempre que acreditar é que a Bíblia é suficiente. E é isto que a Bíblia diz: “para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”, para cada problema que surja na vida de um homem. É óbvio, que a Bíblia concorda com a Medicina. Mas a Medicina é uma ciência que ministra à parte física de um homem. Mas a Bíblia ministrará a cada problema espiritual na vida de um homem. E se você ajudará os homens, é porque está usando as Escrituras.

 

Agora vamos olhar para quatro coisas muito rapidamente. Diz no versículo 16 que a Bíblia é proveitosa para quatro coisas. Primeiro, para ensinar. Porque as pessoas perecem? Por falta de conhecimento; perecem porque não foram ensinadas da forma correta. De acordo com Jeremias 9, o conhecimento mais importante que se pode ter é o conhecimento da Pessoa e obra de Deus. Permitam-me fazer uma pergunta. Aqueles de vocês que têm estado na igreja há anos, quantos anos foram ensinados sobre os atributos de Deus? Conseguem fazer-me uma lista dos atributos de Deus? Cada um deles foi explicado a vocês desde a meninice até à idade adulta? Quando foi a última vez que leu um livro sobre os atributos de Deus? Entre numa livraria Cristã. Quantos daqueles livros são escritos sobre quem Deus realmente é, de acordo com a Bíblia? Andamos por aí, e lemos todo o tipo de coisas, aprendemos todo o tipo de coisas, mas não aprendemos as coisas importantes. Devemos ser ensinados não apenas sobre como fazer algumas coisas na vida Cristã. Mas quem é Deus? O que é a salvação? Quais são as obras de Deus? Precisamos ter conhecimento das Escrituras. Aqueles que são casados, quantos anos foram ensinados sobre casamento bíblico? O casamento está perto de ser a decisão mais importante na sua vida; é a relação mais importante na sua vida. E quantos de vocês foram instruídos com as Escrituras em relação ao casamento? Os seus filhos são a maior responsabilidade que lhes foi dada. Quantos anos foram instruídos acerca do que a Bíblia diz sobre filhos e como criá-los? Entendem quão pouco ensino há hoje em dia no Cristianismo? Vocês, jovens, que procuram uma esposa… Sabem, na verdade, na semana passada eu orei para que alguns dos jovens que viessem a esta conferência pudessem encontrar uma esposa. E depois de conhecer alguns de vocês, jovens, posso perceber que exigirá muito mais oração. Jovens, quantos meses e meses, talvez anos, vocês foram instruídos pelos seus pais em relação a como buscar uma esposa e o que fazer quando a encontrar? Entendem? Não há por aí muito ensino bíblico, não é? Fazemos tudo de acordo com o que é correto aos nossos próprios olhos. Precisamos de ensino.

 

Mas as Escrituras também são para redarguir. Esta palavra é extremamente importante para o evangelismo e para a vida Cristã. Às vezes é traduzida como “convencer”, mas eis aqui o que realmente significa, é uma espécie de termo legal. Vamos imaginar que você é um criminoso e eu sou o promotor público. Para mandar você para a prisão, eu reunirei todas as evidências possíveis para provar que fiz algo errado e quão mau isso foi. É isto o que este termo significa. Mas nós não fazemos isso para condenar alguém, fazemos para salvar. Há um homem perdido, e eu vou falar-lhe. O que vou fazer? Reunirei todas as evidências — evidências bíblicas — e vou ensiná-las a ele de forma a literalmente encurralá-lo. Ele tem que reconhecer que pecou, tem que reconhecer quão mau é o pecado. Então, eu pego em todas as evidências bíblicas possíveis, e uso-as para apresentar-lhe grandes e terríveis argumentos acerca dele, até que não possa escapar. Ele deve reconhecer o seu pecado. Esta é uma das primeiras coisas que tem que acontecer para que a pessoas seja salva. E da mesma forma com um crente. Digamos que há um jovem na igreja que começa a viver… Começa a sair com jovens ímpios. Enquanto pastor, ou enquanto pai ou mãe, e não vou apenas até ele dizer: “O que está fazendo é errado. Pare”. Eu tomo também todas as Escrituras que encontro, todas as evidências bíblicas que encontro, para mostrar-lhe que ele está errado, quão mau é o seu pecado e quão perigoso pode ser o resultado. E deixo-o sem escapatória. Ele deve reconhecer isto. O apóstolo Paulo fez a mesma coisa. O livro de Romanos é o mais próximo que temos de uma teologia sistemática na Bíblia. Paulo usa os primeiros 3 Capítulos para simplesmente encurralar os homens. Grandes e poderosos argumentos sobre a depravação do homem, para que todos os homens fiquem encurralados, para que eles vejam que estão condenados e para que se voltem para Cristo.

 

A próxima palavra é “correção”. Ensinar, redarguir, corrigir. Esta palavra, literalmente, significa que quando algo cai por terra, você o coloca novamente da forma que em deveria estar. Se alguém está caindo, tu o apanha e o põe sobre os seus pés. Então, quando estamos fazendo evangelismo, não apenas convencemos os homens do seu pecado, mas os ajudamos, os apoiamos de novo. Acertamos as coisas, explicando-lhes o Evangelho, como as suas vidas podem ser feitas novas, como os seus pecados podem ser removidos, como eles podem andar em novidade de vida. É a mesma coisa com o Cristão. Aquele jovem que estava saindo com jovens ímpios, eu não apenas o convenço disso, não apenas o removo disso, mas o ajudo a pôr-se de pé e andar num caminho correto. Ensino-lhe com as Escrituras a como andar em novidade de vida. Mostro-lhe com as Escrituras a oportunidade de comunhão que ele tem com pessoas piedosas, como ter comunhão bíblica, e o resultado disso.

 

E, finalmente, há a instrução ou treino. Treino na Palavra de Deus… Paulo disse a Timóteo para se disciplinar ou exercitar a si mesmo no que diz respeito à piedade (veja 1 Timóteo 4:7). É isto que é suposto que o Cristão faça. É suposto que exercitem a si mesmos em piedade. Você tem feito isso? Diz que o exercício físico para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa (veja 1 Timóteo 4:8). Você tem se exercitado em piedade usando as Escrituras? Sei que já passou muito tempo, mas permitam-me somente compartilhar rapidamente como fazer isto. Pense na sua vida por um minuto. Colocarei isto no contexto dos jovens. Pensem em que fase da vida vocês estão. Vocês são novos, são solteiros, têm muitas oportunidades diante de vocês. Alguma vez já perguntaram a si mesmos: “O que eu deveria fazer? Como eu deveria viver?”. É aqui que inicia o treino. Se vivem na casa dos seus pais, como é óbvio, temos o “honra a teu pai e tua mãe”. Quantos de vocês conhecem este mandamento? Quantos têm se exercitado neste mandamento? Gostariam que eu pedisse para virem aqui contar-nos como o têm feito? Exercitar-se a si mesmo neste mandamento é algo como perceber o que significa, perceber tudo o que a Bíblia diz a respeito disso. Você meditará, memorizará, desejará tê-lo gravado em si mesmo. E depois, começa a ver como isso transforma o seu relacionamento com a sua mãe e o seu pai. A sua mãe diz: “Leve o lixo!”. E você: “Não quero!”. É aí que começa o treino. Você se lembra daquelas Escrituras, percebe que pecou contra a tua mãe; terá que ir até ela e pedir desculpas. Pedes a Deus que o perdoe e leva o lixo. E continua a fazer essas coisas até que se tornem um hábito. Em cada situação começa a perguntar-se: “Como Deus me diz para responder?”. “Quando uma provação vem, como devo responder?”. Você começa a treinar-se com as Escrituras. Agora não é apenas na sua cabeça, e não é apenas alguma forma super-espiritual no seu coração, mas vai enchendo a sua vida. Pouco a pouco, você se torna conforme à imagem de Cristo e torna-se uma testemunha. Vamos orar.

Pai, agradecemos-Te por este tempo e oramos para que abençoes o Teu povo. Que trabalhes nas suas vidas para seu bem e para o bem das gerações seguintes. Que levantes um povo piedoso aqui, que tenha influência, que sirva ao Senhor seu Deus na sua geração. No nome de Jesus, Amém.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.