Apenas Confie em Jesus Cristo!, por C. H. Spurgeon

|

Apenas Confie em Jesus Cristo!  Sermão Nº 1635. Pregado na noite de Dia do Senhor, 26 de junho de 1881. Por C. H. Spurgeon, em Metropolitan Tabernacle, Newington.

 

“E, entrando numa certa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez homens leprosos, os quais pararam de longe; e levantaram a voz, dizendo: Jesus, Mestre, tem misericórdia de nós. E ele, vendo-os, disse-lhes: Ide, e mostrai-vos aos sacerdotes. E aconteceu que, indo eles, ficaram limpos.” (Lucas 17:12-14)

 

Diversos tópicos interessantes podem ser encontrados nesses versos. Vemos, aqui, o fruto abundante do pecado, pois este era um grupo composto por dez leprosos; e a riqueza do poder divino ao encontrá-los, pois foram todos curados. Assim, também, vemos como Cristo deve vir em primeiro lugar e as cerimônias, em segundo — primeiramente, a obra da graça; em seguida, sua exteriorização. A ternura do Senhor para com os rejeitados, Sua atenção às orações e Seu respeito, desde que estivesse em vigor, pela lei cerimonial; cada uma dessas verdades pode fornecer-nos meditações valiosas. Tenho, no entanto, apenas uma verdade sobre a qual desejo falar-lhes e na qual desejo insistir, talvez até de modo monótono e repetitivo. Eu gostaria de gravá-la como que com pena de ferro sobre os corações e mentes de todos aqui presentes que buscam por salvação. Que o Espírito Santo imprima esta verdade sobre cada alma aqui presente!

 

Estes dez leprosos foram compelidos pelo Salvador a realizarem um ato de fé nEle, antes que tivessem a menor evidência em si mesmos de que havia sido operada neles uma boa obra. Antes que cada um começasse a sentir seu sangue sujo ser purificado, antes que a terrível sequidão da lepra cedesse lugar à transpiração saudável, eles deveriam ir ao sacerdote a fim de serem examinados por ele e declarados limpos. Eles deveriam demonstrar fé no poder de cura de Jesus Cristo ao irem se apresentar como curados, ainda que estivessem na mesma condição de antes! Eles deveriam correr para o local onde seriam examinados pelo sacerdote, crendo que Jesus os tinha curado ou que os curaria, embora, até o momento, não tivessem qualquer tipo de evidência interior de que a carne deles se tornaria como a de uma criancinha!

 

Este é o ponto sobre o qual eu gostaria de me debruçar: que o Senhor Jesus Cristo ordena que pecadores creiam nEle e confiem suas almas a Ele, mesmo que ainda não possam discernir em si mesmos qualquer obra de Sua graça! Assim como estes homens eram leprosos e nada mais que leprosos, assim também talvez vocês sejam pecadores e nada mais que pecadores, e ainda assim lhes é ordenado demonstrar fé em Jesus Cristo enquanto vocês ainda são o que serão! Assim como estes homens deveriam, com toda a lepra sobre seus corpos, ir imediatamente ao sacerdote como se já estivessem curados, deste modo também vocês, com toda pecaminosidade e todo senso de condenação pesando sobre suas almas, devem crer em Jesus Cristo assim como estão, para, então, encontrarem vida eterna!

 

Este é o meu ponto e ele é de importância máxima. Pecadores, como pecadores que são, devem crer em Jesus para a vida eterna! O chamado para cada um deles é: “Desperta, tu que dormes, levanta-te dentre os mortos, e Cristo te dará vida”. Agora, em primeiro lugar, devo observar que sinais são comumente procurados por não-convertidos como motivos para crerem em Cristo, motivos, estes, que não dão razão nenhuma para se crer! Então, em segundo lugar, tentarei mostrar qual é o verdadeiro motivo e razão para a fé em Cristo; e, em terceiro, qual será a entrega de uma fé em Cristo semelhante à dos leprosos.

 

I. Em primeiro lugar, então, digo que devemos crer em Jesus Cristo, devemos confiar nEle para nos curar da grande doença que é o pecado, ainda que não tenhamos nenhum sinal ou prova de que Ele operou em nós uma boa obra. Não devemos procurar por sinais e evidências dentro de nós mesmos antes de entregar nossas almas a Jesus. O conjecturar é um erro que destrói a alma, e eu tentarei expô-lo ao mostrar QUAIS SÃO OS SINAIS COMUMENTE PROCURADOS PELOS HOMENS.

 

Um dos mais frequentes é a consciência aterrorizada pelo pecado e um grande pavor da ira divina, levando a pessoa ao desespero. É estranho perceber que, com frequência, encontramos pessoas dizendo: “Eu conseguiria crer em Jesus Cristo se eu me sentisse mais perturbado pelo meu pecado. Eu poderia confiar nEle se eu fosse conduzido ao completo desânimo e ao total desespero. Mas eu não estou abatido o suficiente! Eu não estou quebrantado o suficiente! Tenho certeza de que eu não fui humilhado o bastante, por isso não consigo confiar em Cristo”.

 

É estranho pensar que se a noite fosse mais escura, enxergaríamos melhor! É estranho pensar que se estivéssemos mais próximos da morte, teríamos mais esperança de vida! Agora, meu amigo, você está falando e agindo em clara desobediência a Cristo, pois Ele ordena que você confie nEle, e não no fato de você sentir muito, pouco ou sentir seja o que for, mas simplesmente porque você está doente e Ele veio e é poderoso para curá-lo. Se você diz: “Senhor, eu não posso confiar em Ti a não ser que eu sinta isso ou aquilo”, então você, na realidade, quer dizer: “Eu posso confiar em meus próprios sentimentos, mas não posso confiar no Salvador designado por Deus”. O que é isso senão fazer um deus de seus sentimentos e um salvador de seus conflitos internos?

 

Será seu próprio coração que irá salvá-lo, através de suas insinuações sombrias contra o amor divino? Será a incredulidade, afinal, que lhe trará salvação, por recusar-se a crer em Seu Deus? E é no desespero iníquo, aquele que torna Deus mentiroso, que se deve confiar, e não no Salvador que Ele enviou ao mundo para salvar pecadores? Há, então, um novo Evangelho, o qual nos diz: “Aquele que negar o poder de Jesus e desesperar-se de Seu amor será salvo”? Você sabe que Cristo justifica o ímpio e lava o iníquo de seus pecados através de Seu precioso sangue, e, mesmo sabendo da verdade, diz: “Eu não posso confiar no Crucificado. Eu não posso descansar em Sua total expiação a não ser que eu sinta minha culpa como imperdoável e não creia em meu Deus”.

 

Eu oro para que você nunca sinta o que você de modo tão tolo pensa que deveria sentir, pois sentimentos de desespero desonram o Senhor e irritam Seu Espírito, e certamente não lhe farão bem nenhum. Chega-se, portanto, à seguinte conclusão: você está fazendo um deus de seu desespero e um cristo de seus horrores, e assim, está erguendo um anticristo onde somente Cristo deveria estar! Venha, meu jovem; ainda que não tenha sido aterrorizado, despertado e quebrantado como alguns foram, você confiará em Cristo em sua alma, sem formular perguntas? Eu oro para que você confie em Cristo de uma vez por todas:

 

“Lance a sua alma culpada sobre Ele,

Encontre-O poderoso para salvar!

Aos Seus pés, os seus fardos caem,

Veja as suas dúvidas e preocupações irem embora.

Agora, pela fé no Filho abrace,

E apegue-se à Sua promessa, creia em Sua graça.”

 

Este é o ponto fundamental. Você pode confiar em Jesus? Pois é isso que Ele exige de você. Como é estranho que ninguém levante qualquer questão a respeito de confiar NELE! Quão insano e insultante é estar disposto a confiar nos próprios sentimentos, mas não confiar no Salvador! Estes dez leprosos não sentiram qualquer tipo de mudança quando Jesus lhes ordenou que fossem ao sacerdote para serem examinados; no entanto, ainda que distantes da cura, eles foram, e assim como foram, os dez foram sarados! Confie em Jesus Cristo assim como você está, sem aqueles sentimentos que você pensava ser necessários como um tipo de preparação! Confie nEle de uma vez e siga-O, e Ele curará você antes que tenha dado muitos passos no caminho de fé e obediência. Oh, Senhor Deus, conduza todos os meus ouvintes e leitores a confiarem em Seu Filho de uma vez por todas!

 

Muitos outros pensam que precisam, antes que possam confiar em Cristo, experimentar uma explosão de alegria. Alguém diria: “Oh, eu ouvi um cristão dizer que quando encontrou o Salvador, ele estava tão feliz que mal conseguia se conter, e então cantava como se fosse um coral”:

 

“Oh, dia feliz, dia feliz,

Quando Jesus lavou os meus pecados.”

 

“Oh, que eu pudesse ser tão cheio de alegria como essas pessoas, para poder cantar como elas!”. Você encontrará pecado em nossas delícias? Você alimentará sua incredulidade na alegria do Senhor? Que estranha perversidade! Você pergunta: “Por que não devo ser feliz antes de crer em Cristo?”. O quê? Deveria lhe ser dada alegria antes de exercitar a fé? Quanta tolice! Porque lhe dizemos isso e aquilo, e que uma raiz produz um fruto doce, você dirá que precisa obter alegria antes de aceitar a fé? Este é certamente um raciocínio tolo!

 

Nós, que temos experimentado desta alegria, fomos a Cristo a fim de obtê-la e não esperamos até encontrá-la, caso contrário estaríamos esperando-a até agora! Nós fomos a Jesus assim como estávamos; alguns de nós éramos bastante depravados, mas fomos como estávamos e confiamos em Cristo, e assim fomos curados. Então, se seguiram paz e alegria, mas caso houvéssemos esperado até que as sentíssemos antes de ir a Ele, nós estaríamos indo contra o plano do Evangelho: que homens confiem no Salvador antes que sintam o menor benefício vindo dEle. Oh, pecador, não é esta a ordem lógica das coisas? Nós não temos que antes tomar o remédio para que então sejamos sarados? Não devemos comer o pão antes que ele remova nossa fome? Não precisamos abrir nossos olhos para enxergar?

 

Antes que Jesus o tenha confortado ou curado, você deve, conscientemente, ir e fazer apenas o que Ele exige de você, confiando nEle para ser salvo. Nem as trevas do horror, nem os fervores do gozo devem ser procurados antes da fé! A fé deve anteceder todas as demais coisas, fé que exerce simples e humilde confiança em Cristo.

 

Nós também encontramos aqueles que esperam ter um versículo impresso em suas mentes. Um tipo de superstição tem crescido, na qual é dito que um verso especial deve de uma forma ou outra pairar sobre a mente e grudar-se a ela, de modo que a pessoa não possa livrar-se disso, e assim, poder constatar que está salvo!

 

Uma superstição vinda de nossos antepassados dizia que pássaros brancos voavam até a janela de alguém que estivesse prestes a falecer; eu dou o mesmo descrédito à ainda mais comum superstição cuja crença diz que se um texto permanecer em sua mente, dia após dia, pode-se, seguramente, considerar isso como uma confirmação de salvação. Eu espero nunca tê-lo instruído de tal modo que chegasse a esse tipo de conclusão! Longe de mim conduzir você a tal confiança com fundamento tão questionável!

 

O Espírito de Deus muitas vezes aplica poderosamente a Escritura à alma, mas isso nunca foi definido como a Rocha sobre a qual devemos nos firmar. Você encontrará qualquer parte na bíblia que dê suporte para supor que a vívida lembrança de um texto é o selo da conversão? Com frequência alguma parte da Palavra de Deus tem realmente sido de grande conforto para a alma, mas há qualquer motivo para exigir que o mesmo acontecesse com você? Você tem algum direito para dizer: “Eu não acreditarei na palavra de Deus a não ser que Ele a grave em mim”? Ela é falsa, então? Pergunto. “Não, é verdadeira”, você diz. Lembre-se, se ela for mentirosa, uma impressão dela em sua mente não a tornaria verdadeira, e se ela for verdadeira, por que você não acredita nela? Se ela é verdadeira, aceite-a! Se houver qualquer força sobre uma promessa, ore a Deus para que você sinta o poder e a força que ela tem! Você deve senti-los, mas se não os sentir, o pecado jaz à sua porta.

 

Como um leitor das Escrituras, não caia na ideia de que você deve esperar até que algum verso aqueça sua alma. Você precisa lê-la atentamente, e crer no que o Senhor Deus lhe diz. Além disso, devo lembrá-lo de que não é lendo a Escritura que se é salvo, mas crendo em Cristo. O que o próprio Jesus diz? Ele disse aos leitores da Bíblia de Sua época: “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida” (João 5:39-40). O estudo das Escrituras é uma ótima coisa, mas não é nada sem ir a Cristo! Você lerá apenas sua própria condenação na Bíblia caso continue fora de Cristo. Até mesmo a própria Escritura pode se tornar uma pedra de tropeço se você substituir a confiança e fé em Cristo pela simples leitura. Sua obrigação imediata é confiar em Jesus, e não importa o quanto você estude e leia, nada compensará a falta de fé nEle.

 

Se nenhum versículo específico tiver feito morada em seu coração, aqui, portanto, está um: “Creia no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo”. Este é seu dever, meu querido ouvinte, se for para você finalmente obter paz! E eu seriamente espero que alguns de vocês a obtenham antes que esse sermão acabe. Eu pedi vossas almas ao meu Deus, e as tenho como presa. Elas devem ser despojo de Davi e vocês, levados nas correntes da graça a Jesus! Quem dentre vocês confiará em Jesus? Pois, se confiarem nEle, certamente encontrarão vida eterna a partir do momento em que crerem em Seu doce nome!

 

Há outra maneira pela que alguns tentam crer, na qual se espera por uma verdadeira conversão antes que se creia em Cristo como Salvador. Agora, entenda… deve haver em nós uma perfeita transformação, uma completa conversão do pecado para a santidade. Isso é salvação, não uma preparação. Conversão é a manifestação do poder de cura de Cristo. No entanto, você não o terá antes que confie nEle; você deve confiar nEle justamente para isso. Quando um homem acometido por uma doença vai a um renomado médico, o doente diz: “Doutor, confiarei ao senhor meu caso quando eu houver alcançado certo grau de cura”? Ao que o médico responde: “Não, se você alcançar esse estágio, estará justamente a caminho da cura, e não precisará mais de mim”. Sua atitude mais sábia será ir a seu médico como você está; e se é certo que Jesus é um médico infalível, apenas se entregue em Suas mãos como se não soubesse nada, e Ele tudo, e como se você não tivesse vontades ou sentidos, entregando-se completamente a Ele.

 

É isso que o Senhor Jesus é: o Médico infalível das almas! Ora, pobre e miserável pecador, você diz: “Eu não sou um santo. Eu não posso ser salvo”. Quem disse que você era um santo? É a obra de Cristo que o torna santo! “Oh, mas eu não me arrependo como deveria”. É a obra de Cristo fazê-lo arrepender-se como deveria, e você deve vir a Ele para arrependimento! “Oh, mas meu coração não está quebrantado”. É Cristo quem deve quebrantá-lo, e não você, para que vá a Ele. Venha a Jesus assim como você está, com seu coração duro, frio e insensível, e confie em todo Seu poder para salvá-lo! “Eu não pareço nem sequer ter um forte desejo”, dirá alguém. O próprio Cristo concede cada desejo espiritual pelo Seu Santo Espírito. Ele é um Salvador que começa o alfabeto da misericórdia a partir da letra A. Cristo não exige que você chegue a B, C ou D como condição para então salvá-lo, mas Ele parte do princípio.

 

O bom samaritano, ao encontrar o homem ferido pelos ladrões, foi até ele. É isso que Jesus faz; Ele não diz: “Agora, então, você que está machucado, levante-se e venha até Mim, e derramarei óleo e azeite em você”. Não, mas Ele vai onde o ferido se encontra em total desamparo, inclina-Se sobre ele, remove suas roupas rasgadas, limpa suas feridas, verte nelas óleo e vinho, levanta-o e o carrega até a casa de misericórdia. Pobre alma! Meu Mestre não é um Salvador pela metade, mas um completo! E se você se encontra aos portões da morte, confrontado pelas portas do Inferno, Ele é capaz de salvá-lo como se você estivesse sentado nos degraus do Céu! Assim onde e como você está, confie em Cristo para salvá-lo e você será salvo! Não busque por conversão em primeiro lugar, mas a espere como o resultado da fé.

 

Temos encontrado algumas pessoas com um pensamento bastante estranho, que mal consigo descrevê-lo. A saber, que se elas estiverem destinadas à salvação, deverão experimentar alguma sensação excepcional. Elas conseguiriam crer em Cristo caso o sentissem de modo misterioso! É um pouco difícil de entendê-las, mas, ao conversar com alguns inquiridores, acredito que eles esperavam por até mesmo alguma sensação física, algo em seus corpos. Eu me lembro de alguém dizendo: “Senhor, eu tinha certeza de ser salvo. Eu me senti tão leve”. Que tolice. O que importa se você se sentiu leve ou pesado? O que isso interfere na salvação? Talvez você estivesse tonto, ou fora de si devido a algum tipo de sensação estranha. Acautele-se de tamanha tolice! Sentir-se leve pode significar estar sendo pesado e achado em falta; esta é uma sensação que pode tanto trazer terror quanto consolo.

 

“Oh”, alguém diz, “mas eu me sinto tão único”. Sim, e muitos que agora se encontram em Bedlam diriam o mesmo. Que importa o que você sentiu? Não são seus sentimentos que o salvarão! Crer em Jesus lhe dará as bênçãos da graça, mas sentimentos estranhos podem ser produzidos por algo que você tenha comido, ou pelo clima, ou pela histeria, ou por mil outras coisas! Você não sabe que quando estão discutindo política, ou quando outro assunto está em pauta, um bom orador comumente consegue atiçar e arrepiar seus ouvintes? Agitação não salva ninguém! Muitos são levados a lágrimas por uma novela ou peça teatral, mas quais benefícios provêm disso? Você pode estar agitado por emoções religiosas, e a metade delas ser apenas algo vindo da natureza humana; pode não haver graça nenhuma nelas.

 

O caminho mais sábio a se tomar é sentar-se e, calmamente, dizer: “Aqui está o caminho de Deus para salvação: A salvação é através de Seu Filho crucificado, Jesus Cristo. E Deus prometeu que se eu confiar em Seu Filho, Ele me salvará do pecado, me transformará em um novo homem e curará minhas doenças espirituais. Eu confiarei nEle, pois estou certo de que o testemunho de Deus é verdadeiro”. Por esse simples e consciente ato de fé você é salvo! O poder para crer em Seu Deus é a evidência de que a cura começou a ser efetuada, e começou bem! Se você realmente confiou nEle, Jesus tomou seu caso e irá salvá-lo! O próprio fato de você conseguir crer tem, nele mesmo, a força necessária pela qual você será liberto de sua alienação de Deus. Aquele que crê nEle não é mais Seu inimigo. Logo aprendemos a amar em quem confiamos. Como se vê, isso não exige algum tipo especial de sentimento ou agitação, é um ato claro e simples o bastante.

 

“Mas nós não precisamos nascer de novo?”, alguém pergunta. Sim, é verdade, e aquele que crê em Cristo é nascido de novo. Embora a pessoa ainda não saiba, o primeiro sinal de vida está em sua alma, visto que a primeira evidência segura de vida espiritual é confiar em Jesus Cristo somente. A melhor evidência não é confiar em marcas, sinais, indícios, emoções ou impressões, mas justamente desembaraçar-se disso e confiar em Jesus! Nisto reside a essência da transformação salvífica: voltar-se de si para o Senhor Deus em Cristo Jesus!

 

Certo marinheiro encontrou uma excelente âncora, uma das melhores já utilizadas pela marinha. Ele a carregava a bordo de seu navio, ainda que lá não tivesse nenhuma serventia! Enquanto ele a carregasse desse modo, ela não corresponderia ao propósito para o qual uma âncora foi designada! Ela a bordo só atrapalha. Ele a arrastou até o convés e a admirou. “Que âncora! Não seria ela minha esperança no dia da tempestade?”. Ele a admira como se fosse uma montanha de ouro. Os ventos uivam, e as ondas rugem, mas ele se sente seguro com sua âncora a bordo. Tolo! Ela seria inútil enquanto estivesse à vista no barco. A âncora de um navio não pode estar dentro da própria embarcação!

 

“Suponhamos que eu a pendure ao lado da embarcação”. Lá também é inútil! O que você precisa fazer com ela? Atirá-la! Afunde-a. Lá se vai ela. Você não consegue mais vê-la. Certo! Isso resolverá! Agora, pobre alma, atire a âncora da esperança! Não permita que ela se pendure em seus sentimentos, impressões, ou a qualquer outra coisa que esteja em você, mas afunde-a no mais profundo das águas do amor divino, e deixe que ela se agarre a Jesus! Sua esperança deve estar fora de você, pois enquanto estiver baseada em seu coração, ou depender de qualquer coisa vinda de seu íntimo, ela será como uma âncora a bordo, que serve apenas para aumentar o peso do navio, e que certamente não prestará socorro no dia da tempestade. Aqui está a verdade de Deus; que Ele lhe dê graça para recebê-la.

 

II. Agora, em segundo lugar, tão breve quanto eu puder ser, desejo lhes apresentar QUAIS SÃO AS RAZÕES PARA NOSSA CRENÇA EM JESUS CRISTO. Que motivo tenho eu, como pecador, para entregar-me a Jesus Cristo?

 

Nenhuma razão em você deve ser buscada. O fundamento de nossa fé em Cristo descansa, em primeiro lugar, no testemunho de Deus a respeito de Seu Filho, Jesus Cristo. O Eterno Pai estabeleceu Cristo “para ser a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo” [1 João 2:2]. Deus, o Pai, diz aos homens: “Estou disposto a perdoar-lhes justamente através da morte e justiça de Meu Filho. Confie em mim e Eu o salvarei”.

 

Você precisa mais do que isso? “Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu” (1 João 5:10). Se Deus declara algo, você sem dúvida não precisa de qualquer outro tipo de evidência! “Sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso” (Romanos 3:4). O que pode ser mais seguro do que a voz de Deus, Aquele que não pode mentir? Meus amados ouvintes, sinto-me como se eu realmente não lhes devesse trazer qualquer outra evidência. É tão insultante para Deus tentar defendê-lO, como se Sua perfeita verdade precisasse de meu testemunho para autenticá-la! Os anjos nunca duvidam de Deus. Tais seres gloriosos e grandes em poder jamais desconfiam de Seu Criador. Vermes do pó! Vermes do pó, como ousam duvidar do Deus que os criou? Oh, não deixe que isso aconteça! E se Seu testemunho é o de que Ele é um Deus pronto a perdoar o culpado e a remir todo aquele que confiar em Seu Filho, por que duvidaríamos de tão grande graça?

 

O próximo fundamento para nossa fé é o próprio Cristo. Ele dá testemunho na terra, assim como o Pai, e Seu testemunho é verdadeiro. Considere que é neste Cristo em quem devemos confiar. Olhe para Sua Pessoa. Ele é Deus, “Verdadeiro Deus de verdadeiro Deus”. Podemos duvidar dEle? Ele é perfeitamente Homem e tomou sobre Si perfeita humanidade por nossa causa. Podemos duvidar dEle? Ele viveu uma vida perfeita. Quem pode acusá-lo de falsidade? Ele morreu, “o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus” (1 Pedro 3:18), e Deus aceitou o sacrifício de Seu Filho amado. Que prova mais segura de Sua verdade Ele poderia nos dar além de Sua morte por nós? Por que você, que está amedrontado, recusaria confiar no Único digno de confiança? Você duvidará do Calvário e desprezará a cruz?

 

Você diria: “Eu preciso de mais algum motivo para confiar em Cristo, além de Sua Pessoa e obra”? Sinto-me quase envergonhado por estar discutindo por algo assim! Diga-me quando meu Senhor mentiu. Oh, filhos dos homens, digam-me quando, alguma vez, Ele se recusou a receber um pecador que veio a Ele! Você sabe que Ele ressuscitou dos mortos, ascendeu aos céus e, agora, está sentado à destra de Deus e que logo virá, mas, ainda assim, trata-O como um mero impostor? Você não pode confiar nEle? Ousa desconfiar dEle? Você precisa de sinais e prodígios maiores dos que já estão presentes em Sua Pessoa? Se alguém ressuscitasse dentre os mortos, você não acreditaria, caso não creia em Cristo, pois você já tem mais que Moisés e os profetas ao ter o próprio Cristo ressurreto! Você não confiará nEle?

 

Irmãos, eu gostaria de pegá-los pela mão e conduzi-los pessoalmente a estas verdades. Vocês querem dizer que suspeitam de meu Salvador e não podem, com suas almas, confiar nEle? É isso que vocês querem dizer? Não, com lágrimas eu rogo, não O tratem de modo tão perverso, mas lancem suas almas nEle neste instante e creiam nEle assim como vocês estão, e Ele os salvará! Ele não retrocederá Sua palavra, mas os lavará em Seu próprio sangue, se vocês consentirem com isso. Em outras palavras, você quer saber por que deve crer; seu fundamento para crer repousa no fato de que Deus lhe ordena crer! “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Marcos 16:16); “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo” (Atos 16:31).

 

Esta ordenança recebemos de nosso Mestre: que preguemos o Evangelho a toda criatura debaixo do céu, e o preguemos em Seu nome, ordenando-os, em nome de Jesus Cristo, o Filho de Deus, que creiam nEle! Este comando divino é motivo suficiente. Se Deus lhe ordena crer, não é necessário perguntar: “Eu devo crer?”. Ninguém precisa de permissão para possuir a Luz de Deus, isso já está incluído na ordem! Quando a lei do Evangelho vem do próprio Deus, querido ouvinte, o que fazer senão obedecê-la, e crer de uma vez? A porta está aberta, entre! O banquete está servido, coma! A fonte está cheia, lave-se!

 

Além disso, há a promessa feita a você e a toda criatura: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo”. “Quem crê nele não é condenado” (João 3:18). Você ouviu isso? “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna” (João 3:36). Ele tem a vida eterna, e a tem agora! Estas são promessas abundantes e gratuitas para você. O que mais você quer? Oh, eu não sei mais o que dizer; Jesus lhe ordena e convida a crer, como você poderia ser deixado para trás? Oh, bendito Espírito, torne isso claro aos homens e leve-os a crer!

 

Direi apenas mais uma coisa. Ouso dizer que estes pobres leprosos creram em Jesus porque ouviram de outros leprosos que Ele os havia curado. Agora, aqui se encontra mais um, perante vocês; um exemplo dentre muitos aqui presentes, que, se tivessem um momento, se levantariam e diriam o mesmo que eu. Eu fui a Jesus repleto de pecado e culpa, perdido, com o coração duro e um espírito pesaroso; então, eu olhei para Ele, confiando nEle somente para salvação, e Ele me salvou! Ele transformou minha natureza, apagou meus pecados e me fez amá-lO e amar tudo que é bom, verdadeiro e justo, por amor do Seu nome. Não sou eu apenas quem está dizendo isso, mas, como já lhes disse antes, há outros, milhares de pessoas neste tabernáculo que receberam a mesma graça. Portanto, creiam em meu Senhor Jesus e recebam o mesmo milagre!

 

Amigo, onde está você que precisa ser tão persuadido para conseguir crer? Se eu tivesse dinheiro para dar, não creio que precisaria persuadir alguém para aceitá-lo. Tilinte algumas moedas e veja como as pessoas escutam bem, como logo correm até onde ouviram esse doce som. Distribua pão ou até mesmo um pouco de sopa durante o inverno e veja como a multidão se amontoará para consegui-los. Contudo, quando se diz: “Creia em Jesus e você será salvo da iniquidade, seus pecados serão perdoados, sua natureza será transformada e você será feito puro e santo”, então, meu Mestre, por que eles pensam precisar ser chamados tantas vezes? Os homens não somente precisam ser chamados, eles necessitam ser compelidos a vir.

 

“Querido Salvador, atraia os corações relutantes,

Que os pecadores corram a Ti,

E tomem da felicidade que o Teu amor concede,

E bebam e não morram nunca mais.”

 

III. Devo concluir, de modo breve, com o terceiro ponto. QUAL A GRANDE QUESTÃO A RESPEITO DESSA FÉ QUE TENHO PREGADO? Esta doutrina: “Apenas confie em Jesus”.

 

Ao que deve nos levar esta doutrina que diz “apenas confie em Jesus”? Quais são os efeitos e resultados desta confiança à parte de marcas, sinais, indícios e maravilhas? Primeiramente, a própria existência de tal fé na alma é evidência de uma transformação salvífica. Você diz: “Oh, não entendo. Como eu me entregar a Cristo poderia provar que fui transformado em um novo homem?”. Pense comigo: essa será a evidência de uma transformação salvífica já operada, pois mostrará que você foi feito obediente a Jesus; obediente a algo contra o que seu orgulho tanto lutou.

 

Todo homem, por natureza, recalcitra contra a simplicidade da fé em Cristo. Mas quando, finalmente, ele cede ao método divino de misericórdia, tal ato significa uma rendição verdadeira de sua própria vontade, o fim da rebelião, o estabelecimento da paz. Fé é obediência! Fé é a evidência de que a guerra cessou devido a uma rendição incondicional. Eles perguntaram a Jesus: “Que faremos para executarmos as obras de Deus?” (João 6:28). E Ele respondeu: “A obra de Deus é esta” — é a obra mais divina que você pode realizar —, “que creiais naquele que Ele enviou”. Em certo sentido, a fé não é, de todo, uma obra; em outro, ela é a maior de todas elas! É aqui que Deus e você se encontram, este é o ponto central da questão! Você quer ser salvo por algo encontrado em seu interior, mas Deus diz que só o salvará se você confiar em Cristo!

 

Agora, se você confiar em Cristo assim como está, será uma evidência de que foi feito obediente a Deus, tão obediente que uma transformação completa, imutável e radical de sua natureza certamente ocorreu. Esta será também uma evidência de que você foi feito humilde, pois é o orgulho que faz o homem precisar efetuar ou ser algo em sua própria salvação, até mesmo ser salvo de modo extraordinário, para que se possa dizer a todos quão extraordinariamente foi salvo. Quando se está disposto a ser salvo como um pecador miserável e inútil, então você já foi salvo do orgulho! Não irei elogiá-lo, você é um pecador inútil e depravado, mas se você confiar em Cristo, como todo pecador deve fazer, será uma prova de que foi feito humilde e esta é uma boa evidência de que seu espírito sofreu uma transformação!

 

Novamente, fé em Jesus será a maior evidência de que você está reconciliado com Deus, visto que a pior demonstração de sua inimizade para com Ele é não apreciar o caminho de salvação feito pelo Senhor. Você se opõe a Deus de tal modo que não pretende ter o Céu se for pelos termos divinos! Você, pecador, está em tamanha guerra contra Deus que preferiria ir para o Inferno do que ser salvo pelo caminho designado por Ele! É disso que se trata. E quando você desiste de tudo e diz: “Senhor, desde que eu seja curado, desde que eu passe a amar-Te, eu quero ser salvo”, haverá evidência de grande transformação em você. Quando você clama: “Senhor, serei salvo segundo Sua maneira e, portanto, confiarei em Cristo como Tu ordenaste”, deste modo você e Deus são reconciliados em uma questão de suma importância! Não há mais guerra entre vocês, visto que ambos concordam a respeito da crença em Cristo. Deus confiou Sua honra às mãos de Cristo, e você está confiando sua alma a estas mãos, de modo que você e Deus, agora, concordam em honrar Cristo. No momento em que você confiou em Jesus, esse simples ato torna-se, em si mesmo, uma declaração única e prova incontestável de que uma grande transformação tem sido efetuada em seu relacionamento com Deus, e em seus sentimentos em relação a Ele.

 

Agora, saiba disso, que em pouco ou muito tempo, cedo ou tarde você ficará docemente consciente de sua salvação. Muitos homens são salvos e, por um tempo, questionam a veracidade de uma obra graciosa efetuada neles. Mas no tempo devido ela lhe é evidenciada. Quando alguém confia em Jesus como aqueles dez leprosos, e age de acordo com a fé nEle, há sempre um bom resultado. Veja os dez leprosos! Eles estavam indo em direção ao sacerdote, mesmo que ainda não se sentissem curados! Eles agiram sob a autoridade de Cristo, e Ele não irá fazê-los de tolos, pois todo aquele que confiar nEle não será envergonhado nem confundido! Eles devem começar a caminhada antes que sintam a cura, e desde que eles estão indo, também a sentirão! E também você, ao confiar em Cristo sem qualquer evidência, não esperará muito antes que sinta o poder divino em seu coração.

 

Eu gostaria de falar sobre meu testemunho pessoal, apenas para ajudar aqueles que estão vindo a Cristo. Enquanto vinha a Jesus, eu não sabia que estava indo a Ele. E quando olhei para Cristo, eu mal sabia se aquele era o jeito certo de olhar. Mas quando senti, finalmente, que Jesus havia me curado, então entendi o que eu tinha feito. Eu não entendi muitas bênçãos divinas dadas a mim até certo tempo após recebê-las. Eu li a respeito dos sentimentos de alguns homens piedosos e pensei: “Eu gostaria de sentir o que eles sentiram”; algum tempo depois, ao olhar para o passado, percebi que, na realidade, eu estava no mesmo caminho e tendo a mesma experiência que eles.

 

Muitos homens desejariam ser humildes, e são, pois se veem como orgulhosos! Muitas pessoas, entristecidas, dizem: “Eu gostaria de ter um coração de carne”, e eu estou certo de que elas o têm, visto que lamentam sua dureza! Elas anseiam por um coração profundamente sensível perante o Senhor, demonstrando que possuem uma sensibilidade que elas mesmas não reconhecem. O padrão de afeto (corretamente exigido) delas é bastante elevado, portanto, temem não estar à altura. Oh, querido amigo, se você confiar em Jesus na escuridão, certamente um dia encontrará a luz! E se você jamais vier a desfrutar de conforto nesta vida, ainda assim estaria a salvo; mesmo se durante todo o percurso daqui ao Céu você não vier a ter consciência de estar salvo, ainda assim, se você confiou em Cristo, você com certeza será salvo, pois Ele jamais concede fé nEle para ser exercida em vão.

 

Se você confiou em Cristo, em breve conhecerá o Seu amor. Confie nEle enquanto afunda, e assim você nadará. Confie nEle enquanto se sente morrendo, e assim você viverá. Se você confiar nEle antes de sentir qualquer obra da graça em seu coração, logo descobrirá que ela já estava operante em você, embora não a reconhecesse. Se confiar no Senhor, você já é um alvo do poder divino, pois nada além da graça onipotente teria o levado a crer e viver! A fé, em si mesma, é simples. No entanto, para trazer-nos a esta simplicidade, precisamos ser feitos novas criaturas, pelo próprio Deus. Para resumir, se você está pronto para vir a Cristo e confiar nEle à parte de milagres, sinais ou evidências, tendo uma fé simples nEle somente, você possui um poder que o conduzirá completamente e o preservará em santidade até o fim.

 

Nesta manhã, preguei a respeito de Davi encorajar-se em Deus. Quando Ziclague foi queimada, as esposas capturadas dos moradores e seus homens intentavam apedrejá-lo, e Davi recorreu somente a Deus (1 Samuel 30). É um ótimo começo para você, pecador, começar a crer em Cristo dizendo: “Eu, sem nada de bom em mim, sem nada que eu possa fazer, quer eu nade ou afunde, lanço-me em Cristo Jesus, o Salvador de pecadores. E se perecer, pereci”.

 

Este é um excelente começo! Para muitos, uma vida santa, assim como a fé em Cristo somente, tem sido um ato culminante, e ainda assim você, miserável pecador, pode exercer essa mesma fé enquanto ainda um bebê em Jesus! Frequentemente, você precisará confiar deste modo ao agir no futuro, portanto é melhor começar agora, visto que precisará continuar confiando. Em diversos assuntos da vida, como no trabalho e na família, você será conduzido a momentos em que precisará exercer a mesma fé do início de sua caminhada. Portanto, gostaria que você aprendesse a lição enquanto jovem. Você terá de dizer: “Embora em mim mesmo eu seja fraco, miserável e não consiga ver sustento, assim como corvos e pardais são alimentados, também eu serei. Assim, apresento perante Deus minha nudez, para ser vestido; minha fome, para ser alimentado; eu lanço toda minha vida perante Ele a fim de ser preservado das garras da morte”.

 

Essa é uma grande fé, e é com ela que você deve começar. Caso contrário, você não começou a construir sua casa na Rocha. Seu alvo principal deve ser a Rocha viva, ou todo o restante será incerto. Começar bem é metade da batalha; pense que você ergueu um fundamento que não pode ser movido; pois a vida possui diversas dificuldades, e ai do homem cuja fundação o desapontar. Essa é uma grande fé com a qual morrer, e também com a qual viver. As cortinas são fechadas e a luz do sol se apaga. A voz dos amigos começa a enfraquecer, os ouvidos estão cansados; as pálpebras começam a se fechar. Minh’alma, você está prestes a lançar-se em um mundo desconhecido! O que você pretende fazer? Embora fraca, lance-se aos braços de Seu Deus e Pai!

 

Oh, querido ouvinte, se, desde o princípio você aprendeu a crer pelo que Jesus é, e não pelo que você é, então você saberá como morrer! Quando você estiver em seu leito de morte à espera do grande juízo, — ou, de preferência, anelando pela vinda do Senhor — medos, dúvidas e pavores virão se você olhar para si ou para seu passado, tentando encontrar nisso alguma justiça. Mas se você puder dizer: “Meu Salvador, em Tuas mãos entrego meu espírito: sem nada venho; minh’alma, mais uma vez, confio-a em Tuas mãos traspassadas”, então você poderá, aliviado, suspirar uma última vez, sabendo em Quem você tem crido e que Ele é poderoso para guardar seu depósito até àquele dia! John Hyatt, à beira da morte, ouviu de um amigo: “Senhor Hyatt, você pode, mesmo agora, confiar sua alma a Cristo?”. Ele, então, respondeu: “Rapaz, confiar nEle com uma alma? Isso não é nada! Eu poderia confiar nEle com um milhão de almas, se eu as tivesse! Bem sei que Ele é poderoso para salvar todo aquele que nEle confia”.

 

Assim, desejo que, como aqueles leprosos, você comece a confiar na palavra de Cristo e siga seu caminho em sua força, antes mesmo de sentir qualquer transformação visível em seu interior. Deste modo, quando vier a morrer, você poderá olhar confiante para a eternidade, embora você ainda não tenha sido transfigurado por seu esplendor! Você poderá olhar para a coroa eterna, para a harpa, para a face de Seu Amado, para a felicidade inefável e esperá-las com confiança, mesmo quando nuvens escuras lhe escurecerem a vista. Antes de passar pelos portões da glória ou para o outro lado deste mundo, você poderá apreciar um vislumbre da visão beatífica através de uma fé inabalável!

 

A esperança que vê o que se espera não é esperança, e é gloriosa a fé que enxerga Aquele que é invisível e se agarra ao fundamento das coisas que se não veem. É através da fé que já no presente posso sentir as alegrias do paraíso. Meu amado, tente fazer o mesmo. Tenha mais fé! Que ela seja grande o suficiente para conhecer o Céu por inteiro mesmo sem vê-lo ou senti-lo, pois você conheceu e confiou no Senhor dos céus! Até o momento você tem visto que a Sua Palavra é verdadeira. Agora, confie no Senhor para passar pelos portões da glória assim como você um dia confiou nEle por graça, e verá, rapidamente, como Suas promessas mais preciosas são seguras!

 

Amados, que Deus salve cada um de vocês. Que Ele os salve neste exato momento, por amor do Seu querido Filho. Amém.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.