Se Alguém Tem Sede, por Robert M. M’Chyene

|

“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.” (João 7:37)

 

I. Lição. A importunação graciosa de Cristo: “No último dia, o grande dia da festa, Jesus levantou-se e gritou”.

 

A festa aqui mencionada era a grande festa dos tabernáculos, sendo uma das três festas anuais, quando todos os homens vinham do país para Jerusalém. Eles costumavam construir tendas ou tabernáculos, dos ramos de palmeiras, oliveiras, murta e salgueiros, sobre os telhados planos de suas casas, nos seus pátios, ou nas ruas abertas e jardins. Nestes viviam por sete dias. Os sacerdotes e levitas costumavam ensinar e pregar ao povo, e foi um momento de grande alegria diante do Senhor. O oitavo, ou no último dia, era uma santa convocação, quando todas as pessoas se reuniam na casa de Deus, antes de ir embora para suas casas. Naquele dia foi que Jesus levantou-Se e clamou.

 

1. Observe, foi quando todo o povo da terra se reuniu que Jesus levantou-Se e gritou: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. Jesus nunca pensou que Suas palavras seriam desperdiçadas, mesmo se houvesse, apenas uma única alma para ouvir. Nunca Ele usou palavras de mais poder Divino do que quando Ele falou com Nicodemos sozinho de noite, e com a mulher samaritana junto do poço; mas ainda assim, quando milhares se reuniram, Jesus não perderia a oportunidade feliz: “Jesus levantou-se e clamou”.

 

Ó, meus amigos! Jesus ainda está de pé na assembleia lotada. Que você possa ouvir a Sua voz neste dia!

 

2. Observe, as pessoas estavam indo para casa. Este foi o último dia da festa. Hoje, os pátios do templo ficam repletas de judeus de todas as partes do país; amanhã eles vão estar no seu caminho para casa. Nenhum momento deve ser perdido; fale agora ou nunca; “Jesus se levantou e clamou”. Eu não tenho dúvida de que havia muitos judeus lá naquele dia que nunca ouviriam a voz do Salvador mais uma vez; e, portanto, eu posso ver o que estava na mente de Cristo, quando Ele levantou a Sua voz tão alto: “Jesus levantou-se e clamou”. Pode haver alguns aqui hoje que nunca ouvirão a palavra de Cristo novamente. Este pode ser o último dia da festa para alguns de vocês. Oh! então, que possamos ficar de pé e clamar, levantar a voz como a trombeta, e dizer: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”; e oh, que você ouça como pela eternidade!

 

3. Observe, Cristo pregou a eles muitas vezes antes, mas ele “se levantou e gritou”. Do versículo 14 aprendemos que era no meio da festa (no meio da semana), que Jesus começou a ensinar no templo; e, sem dúvida, ele continuou pregando e ensinando até o último dia da festa. Alguns se maravilharam, alguns murmuraram, alguns procuraram colocar sobre ele suas mãos. E sua paciência não se esgotou? Ah! não; quem conhece o longo sofrimento do Filho de Deus? Como justamente ele poderia ter ido embora para sempre dizendo: “Se vocês não me desejam como Salvador, então Eu não serei um Salvador para vocês, vou seguir Meu caminho para Aquele que Me enviou”. Mas não: quanto mais negligente os judeus se tornavam, mais ansioso Ele ficava. No último dia, ele levantou-se e gritou: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

Jesus ainda é o mesmo. Muitos de vocês já ouviram as palavras dEle por mil Sabaths. Ele estendeu Suas mãos todo o dia; Ele enviou todos os Seus mensageiros, levantando-os cedo e enviando-os. Você sempre foi indiferente, vivendo em pecado, pior do que você era. Será que Jesus desistiu de você? Não; Ele Se levanta e clama no último dia; Ele segue você para o seu último dia.

 

Alguns de vocês estão com medo de que Jesus não vai recebê-los agora, pois vocês têm há muito tempo resistido às Suas palavras. Ah! seria muito justo se Ele dissesse: “Eu não vou ouvir; Eu vou rir de sua calamidade; zombarei, quando o temor vier”. Mas não; não temais. No último dia da festa, Ele Se levanta e grita. Ele fala mais alto, com mais clareza, com mais liberdade do que nunca. Oh! ouça as Suas palavras: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

II. Lição. Cristo é a rocha ferida.

 

A Festa dos Tabernáculos era destinada a ser um retrato do momento em que os pais da nação judaica viviam em tendas no deserto. Tinha a intenção de lembrá-los de que eles também eram estrangeiros e peregrinos no deserto, e que eles estavam viajando para uma terra melhor. Mas havia uma coisa no deserto que eles não tinham semelhança na festa dos tabernáculos: a rocha ferida de onde fluía rios de água. Para compensar essa deficiência, diz-se que no último dia da festa os judeus costumavam tirar água em um jarro de ouro da Fonte de Siloé, e a despejavam sobre o sacrifício da manhã, uma vez que estava em cima do altar. Eles faziam isso com grande regozijo, com palmas nas suas mãos, e cantando o capítulo 12 de Isaías. Agora foi neste mesmo dia — talvez neste exato momento — que Jesus levantou-Se no meio deles, e, como se quisesse mostrar-lhes que Ele era a verdadeira rocha ferida, exclamou: “Se alguém tem sede, que venha a mim e beba”.

 

Agora, Cristo é a rocha ferida, porque Seu sangue foi derramado pelo pecado. (1). A rocha foi ferida antes de liberar a correnteza. Assim é com Cristo. Ele foi ferido por Deus e oprimido. Ele suportou a ira de Deus; e, portanto, Seu sangue jorra, e purifica de todo pecado. Oh! você que teme ser ferido por Deus, lave-se neste sangue; fluiu a partir de uma rocha ferida. (2). A água jorrou abundantemente, quando Moisés feriu a rocha. Não foi um fluxo escasso; foi o suficiente para todos os milhares de Israel, e para o seu gado; e assim é com o sangue do Salvador. Não é um fluxo escasso. Não há pecados que não podem ser lavados; não há pecador além do Seu alcance; há o suficiente aqui para todos os milhares de Israel. (3). Foi um fornecimento constante: “Eles beberam da pedra espiritual que os seguia, e essa rocha era Cristo”. Não está expressamente dito no Velho Testamento que as águas da rocha ferida chegaram a seguir o arraial de Israel, mas alguns teólogos são de opinião de que era assim, que a água continuava a fluir em qualquer lugar que Israel fosse; de modo que pode-se dizer a rocha ferida os seguia. Assim é com Cristo. Ele é uma rocha que nos segue. Ele é como ribeiros de águas em lugares secos. Você pode se lavar, e lavar novamente.

 

III. Lição. Todos estão convidados a vir a Cristo e beber: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

1. Pecadores negligentes são aqui convidados a vir a Cristo e beber. Homens em sua condição natural são muito negligentes com suas almas e sobre Jesus Cristo. Eles têm sede de prazer, eles têm sede de dinheiro, e eles têm sede do mundo; mas eles não têm sede de Cristo ou das coisas celestiais. No entanto, Cristo deseja que nós choremos em voz alta na audiência de tal: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. Deixe-me falar com tal. Você não tem ansiedade da alma, nenhum desejo por Jesus Cristo, nenhum desejo de receber o Espírito Santo. Você não está sedento por nada além das águas deste mundo; você é muito feliz onde você está, e como você está; no entanto, o dia pode vir quando você será uma alma cansada e sedenta. O que ele venha em breve! Agora Jesus diz: “Se alguma vez você sentir sede, lembre-se, venha a mim e beba”. “Até quando, ó simples, amareis a simplicidade? e vós escarnecedores desejarão zombaria, e insensatos odiarão o conhecimento? Convertei-vos pela minha repreensão; eis que derramarei o meu Espírito para vós outros; Farei minhas palavras conhecidas a vocês”.

 

2. Almas ansiosas e sedentas, são especialmente convidadas a ir a Jesus: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. Almas despertadas por Deus estão com sede de duas maneiras. (1). Eles têm sede pelo perdão dos pecados; eles têm sido despertados para conhecer a sua condição perdida; o peso da ira de Deus foi revelado a eles. Eles vão da montanha até a colina para procurar um lugar de descanso, e não o encontram. Por fim, eles se sentam, cansados e com sede. Eles sentem que tudo o que eles fazem não significa nada, que não podem se colocar mais perto da paz. Eles se sentem como se já estivessem naquele lugar onde eles pedirão, em vão, uma gota de água para esfriar a língua. Algum de vocês sabe o que esta condição é? Então, você é aqui citado por Cristo. (2). Eles têm desejo pela libertação do pecado. Pessoas despertadas geralmente lançam fora todo pecado exterior. Quando um bêbado ou mentiroso é despertado, ele deixa de lado seu pecado exterior; mas ele está longe de ser capaz de mudar seu coração. Pelo contrário, a maioria dos maus pensamentos e de ódio, por vezes, sobem à alma. O coração está cheio de tais desejos vis, que a alma é quase levada a distração. Ele vai da montanha até a colina procurando um novo coração, mas não o encontra. Ele senta-se, por fim, cansado e com sede. Será que algum de vocês sentem isso? É para você Cristo fala: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

Ó, almas sedentas! Aflitas, tempestuosas e desconsoladas, porque vocês não virão para Jesus, rocha ferida, para que bebam? Um diz, pequei muito, eu não me atrevo a vir como eu sou. Resposta: Mas você não está com sede? Cristo diz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”. Outro diz, pequei contra Cristo, eu não dava a ouvidos à Sua voz de advertência, tenho zombado de Seus mensageiros, eu profanei Seus sacramentos, comendo pão e vinho, quando eu estava vivendo em pecado; e, certamente, não me atrevo a vir. Mas você não está sedento? Ouça o que Cristo diz: “Se alguém tem sede”. Outro diz: Mas não estou disposto a vir a Cristo, eu tenho um coração orgulhoso e incrédulo, o meu coração se levanta contra vir até Jesus Cristo; certamente eu não me atrevo a olhar para Jesus. Mas você não está com sede? Cristo não chama o disposto ou o que crê, mas o que tem sede. Ele não solicita por mais: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

3. Crentes sedentos são aqui ordenados a se achegarem a Jesus. Entre a multidão no grande dia da festa, somos informados de que havia muitos que acreditavam em Jesus (v. 31); e foi por causa deles também que Ele disse estas benditas palavras: “Se alguém tem sede”. Todos os verdadeiros crentes são um povo sedento. Eles estão viajando em um deserto, e, portanto, eles precisam da pedra para segui-los. Oh! isso é um mau para uma alma: quando não há sede. Verdadeiros Cristãos são como bebês recém-nascidos; eles desejam o genuíno leite espiritual da Palavra; eles precisam de alimento, e precisam muitas vezes; eles não podem viver sem ele. Oh, então, ouça a palavra de Jesus: “Vinde a mim, e beba”.

 

(1). Lembre-se que você tem que vir a Cristo antes antes de poder beber. É só quando você tem uma visão de fé do Salvador que você pode receber o Espírito. É apenas quando o olho está fixado na rocha ferida que você pode beber da água viva. Não há alguns Cristãos me ouvindo que parecem receber muito pouco do Espírito de Deus? Não há alguns Cristãos entre vocês que muitas vezes apresentam um espírito mal e mundano? Alguns que são facilmente traídos por um ardente espírito apaixonado? Por que isso? Resposta: Você não vem a Jesus para beber; você não mantém os olhos da fé em Jesus Cristo; você não vive pela fé no Filho de Deus. Você está pensando em andar em santidade sem vir para Jesus dia a dia, e hora a hora. Você não olha para o Senhor, nossa força à mão direita de Deus; portanto, você recebe pouco do Espírito Santo.

 

(2). Lembre-se, quando você vem para Jesus você deve beber. Oh, quantos parecem vir a Jesus Cristo, e ainda assim não bebem. Quão poucos Cristãos são como a árvore plantada junto a ribeiros de água! O que você teria pensado dos judeus, se, quando Moisés feriu a rocha, eles se recusassem a beber? Ou o que você teria pensado se eles só tivessem colocado a água apenas em seus lábios? No entanto, é assim com a maioria dos Cristãos. Aprouve a Deus que nEle habite toda a plenitude. O Espírito foi dado a Ele sem medida. O comando é dado a nós para beber da Sua plenitude; no entanto, quem obedece? Nem um entre mil. Um Cristão em nossos dias é como um homem que tem um grande reservatório transbordando de água. Ele tem a liberdade de beber o quanto quiser, pois ele nunca pode beber dele seca; mas em vez de beber o fluxo total que flui a partir dele, ele o fecha, e se contenta em beber as poucas gotas que escorrem. Oh, que vocês tirassem da Sua plenitude, vocês que veem a Cristo! Não sejam avarentos da graça. Há muito mais que você usará na eternidade. As mesmas águas estão agora em Cristo. Águas que refrescaram Paulo, que deu a Pedro a sua ousadia, que deu a João a sua ternura afetuosa. Por que a sua alma está menos ricamente suprida do que a deles? Porque você não vai beber: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba”.

 

IV. Lição. A mudança em todos os que bebem: tornam-se fontes como Cristo: “Aquele que crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva” (João 7:38).

 

O Espírito Santo é um fluxo imperecível. Não é como esses rios de que você já ouviu falar que fluem através das areias estéreis até que se afundam na terra e desaparecem. Não é assim com o fluxo da graça. Quando ele flui de Jesus Cristo, flui para muitos corações estéreis; mas nunca é perdido lá. Ele surge mais uma vez, e brota do coração em rios de água viva. Quando uma alma é levada a crer em Jesus, e a beber no Espírito, frequentemente parece como se o Espírito se perdera naquela alma. A corrente flui em tal coração estéril, que é muito antes dele fazer a sua aparição; mas nunca é perdido. A Escritura deve ser cumprida: “Aquele que crê em mim, do seu interior correrão rios de água viva”.

 

1. Um novo motivo para vir a Jesus. Se você vai chegar a Jesus e beber, você deve tornar-se uma fonte, você deve ser transformado na imagem de Cristo. Há algum de vocês que vive em uma família sem Deus? Oh, venha a Jesus e beba! Você se tornará uma fonte de graça para a sua família. Através de seu coração, através das suas palavras, através de suas orações, o fluxo da graça fluirá para outros corações. Aqueles que você mais ama neste mundo, receberão graça dessa maneira. Oh, venha a Jesus e beba! Muitos de vocês vivem em um bairro sem Deus, venham a Jesus e bebam, e vocês se tornarão uma fonte de graça para o seu bairro. De você correrão rios de água viva. Oh, se todos vocês que conhecem o Senhor Jesus bebessem de Sua plenitude, mesmo este lugar negligenciado pode tornar-se como o jardim do Senhor, todo bem regado!

 

2. Novo teste, se você veio a Jesus. Se você crê em Jesus, depois de ter recebido o Espírito, e então de você deve fluir rios de água viva. É este o caso? Infelizmente quantos de vocês devem responder: Não; não sei o que dizer.

 

(1). Há alguns me ouvindo cujo coração é mais parecido com um poço de iniquidade do que uma fonte de água viva? Há alguns que enviam de seus corações rios que poluem e envenenam todos os lugares para onde eles vão? Há alguns que enviam os fluxos de imaginação horríveis e desejos impuros? Há alguns que enviam conversa contaminadoras, tolas, brincadeiras lascivas, que não são convenientes? Ah, como vocês nunca foram levados a Jesus! O rio da graça nunca foi derramado neste seio imundo.

 

(2). Não existem alguns que são como uma fonte selada? Eles parecem vir a Jesus, mas eles não dão qualquer fluxo de viver. Eu fico em dúvida sobre você.

 

Todo aquele que crê no Senhor Jesus deve receber o Espírito. Todo aquele que recebe o Espírito tornará manifesto, enviando os rios de água viva. Não vos enganeis, meus queridos amigos. Aquele que pratica a justiça é justo. Se você está vivendo uma vida inútil e morta, você não é Cristão. “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” [2 Coríntios 13:5].

 

São Pedro, 23 de outubro de 1837.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.