Cristo, A Porta Para A Igreja, por R. M. M’Cheyne

|

“Jesus disse-lhes esta parábola; mas eles não entenderam o que era que lhes dizia. Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram. Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10:6-10)

 

Cristo é o mais gentil de todos os mestres. Ele estava falando a uma multidão de judeus ignorantes e preconceituosos, e ainda quão gentilmente Jesus lida com eles. Ele disse-lhes uma parábola, mas eles não compreenderam. “Jesus disse-lhes esta parábola; mas eles não entenderam o que lhes dizia. Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes”. E ainda, nos é contado que Cristo disse-lhes novamente. Ele lhes deu uma descrição de um verdadeiro e de um falso pastor, e da porta para o aprisco das ovelhas; mas eles pareciam estar perdidos para compreender o que significava a porta, portanto, ele diz: “Em verdade, em verdade eu vos digo: eu sou a porta das ovelhas”. Vejam vocês quão gentilmente Ele tenta instrui-los. Meus irmãos, Cristo ainda é o mesmo tipo de mestre. Não há muitas pessoas estúpidas, e preconceituosas aqui? E ainda Ele não lhes deu “mandamento sobre mandamento, mandamento sobre mandamento, regra sobre regra, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali” (Isaías 28:10). Ele tem partido o pão por você.

 

Examinemos agora esta parábola explicativa: (1) Cristo é a porta para a Igreja. (2) O convite aqui é feito para entrar. (3) A promessa para aqueles que entram.

 

 

I. Cristo é a porta para a Igreja. “Eu sou a porta”. O único caminho para a Igreja de Deus, seja para ministros ou membros é por Cristo e pela fé nEle. Muitos entram pelo conhecimento; o conhecimento não deve ser desprezado, contudo ele não é a porta. Há muitos que entram no ministério, por terem dons eminentes, mas estes não são a porta, e aqueles que entram de tal forma são ladrões e salteadores, pois não entram pela porta. Mais uma vez, muitos entram pela porta do favor mundano, alguns pelo favor dos ricos, alguns pela vida das pessoas comuns, alguns pelo favor do patrono; mas ainda assim eles continuam sendo ladrões e salteadores, pois não entram pela porta.

 

Lembrem-se, então, e nunca esqueçam, que o caminho certo para o ministério é através de Jesus Cristo. Ninguém pode falar do pecado, senão aqueles que sentiram o seu fardo. Ninguém pode falar de perdão, senão aqueles que provaram disso. Ninguém pode falar do poder de Cristo para santificar, a não ser aqueles que têm a santidade em seus corações. Irmãos, se apeguem a isso em reverência, fujam de todos os outros, eles podem ter o conhecimento, eles podem ter dons, eles podem ter os elogios das pessoas comuns, mas eles são ladrões e salteadores.

 

Mas, além disso, há muitos membros que entram no rebanho de outra forma; eles também são ladrões e salteadores. Há muitos que entram pela porta do conhecimento, eles estão familiarizados com conhecimento da Bíblia, eles podem falar sobre como o pecador pode ser aceito por Deus; mas se você não entrou no rebanho por ser lavado no sangue de Cristo, você é um ladrão e salteador.

 

Alguns entram no rebanho por uma boa vida. No tocante à lei, eles são como Paulo, irrepreensíveis. Você não é um ladrão, você não é um blasfemador, você não é um bêbado, você acha que tem o direito de entrar, o direito de sentar-se à mesa do Senhor; mas Cristo diz uma e outra vez que você é um ladrão e salteador. Ah, irmãos, lembrem-se de que se vocês são admitidos no rebanho por causa de vossa moralidade, vossa decência exterior, vossa boa vida, vocês são ladrões e salteadores. Irmãos, há um dia vindouro, quando aqueles que entraram no aprisco das ovelhas, porém não pela porta, mas de alguma outra forma, em que olharão para trás e verão sua culpa quando eles entrarem em uma eternidade de perdição.

 

Observem, porém, irmãos, antes de eu deixar esta parte do assunto, que Cristo é uma entrada presente. Irmãos, há um tempo na sua história em que a porta do aprisco está aberta para você: “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á”, mas o tempo passará. É apenas um momento em comparação com a eternidade. Esta é uma verdade solene. Irmãos, se eu pudesse prometer-lhes que a porta ficará aberta por cem anos, mas ainda seria sábio para vocês entrarem agora; mas eu não posso garantir que ela ficará aberta nem por um ano, eu não posso garantir nem por um mês, nem um dia ou sequer por uma hora; tudo o que eu posso garantir é: ela está aberta agora, amanhã pode estar fechada para sempre.

 

 

II. Venho agora para segunda coisa proposta, que é: mostrar-lhes o convite de Cristo.

 

“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á”. Há muitos convites doces para os pecadores na Bíblia. Frequentemente tenho sentido serem estas palavras as mais doces. Há convites amorosos endereçados para aqueles que têm sede. Diz-se em Isaías: “Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas” (Isaías 55:1a). Cristo disse, no último dia, aquele grande dia da festa: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7:37). E Ele diz, próximo ao final do livro do Apocalipse: “A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida” (21:6). Há também alguns convites que são endereçadas para aqueles que têm um fardo: “Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). Há também alguns que são dirigidos para aqueles que estão presos: “Voltai à fortaleza, ó presos de esperança” (Zacarias 9:12).

 

Mas este me parece o mais doce de todos, pois é dito: “Se alguém”. Não é dito, se algum homem sedento, se algum homem cansado ou se alguém com um fardo, mas é dito: se alguém entrar, ele será salvo. Eu tenho visto as portas de certo homem rico, onde ninguém podia entrar, senão o rico; e onde o mendigo deveria permanecer no portão. Mas a porta de Cristo está aberta a qualquer pessoa, qualquer que seja a sua vida, qualquer que seja o seu caráter. Cristo não é como a porta de algumas igrejas, onde ninguém pode entrar, exceto os ricos; a porta de Cristo está aberta aos pobres: “Aos pobres é anunciado o Evangelho” (Mateus 11:5). Alguns, talvez, podem dizer: “Eu sou o mais vil nesta congregação”, mas Cristo diz: “Entre”. Alguns, talvez, podem dizer: “Pequei mais do que todas as outras pessoas; pequei contra meu pai, pequei contra minha mãe, pequei contra as misericórdias e contra os julgamentos, contra os convites do Evangelho, e contra a luz”, ainda assim, Cristo diz: “Entre”.

 

Vão ainda mais longe, e observem que o convite não é para olhar para a porta, mas para entrar. Há muitos que ouvem sobre a porta, mas isso não é suficiente, deve-se entrar nela. E há muitos que gostam de ouvir sobre a porta, mas, ainda assim, eles não entram. Ah, meus irmãos, isto é uma grande fraude do Diabo. Estou convencido de que muitos de vocês vão embora hoje mui satisfeitos porque ouviram falar sobre a porta, mas vocês não entram. Há muitos que dão um passo a mais, eles olham para a porta, contudo, eles não entram. Eu acredito que muitos de vocês são muitas vezes trazidos para lá; mas quando chegam ao ponto, que vocês devem deixar os seus ídolos, que devem deixar seus pecados, vocês não entram. “Se alguém entrar por mim, salvar-se-á”.

 

Mais uma vez, há alguns que veem as outras pessoas entrarem, mas eles mesmos não entram. Você, talvez, tem visto um pai, ou uma mãe, ou um vizinho entrar; você já viu a transformação que veio sobre eles, e a paz apoderou-se de suas mentes, e você diz: “Eu gostaria de ser como eles”, mas você não entra. Ah! se você deseja ser salvo, você deve entrar pela porta; convicções, lágrimas e semelhantes não lhe farão entrar pela porta. E esta é a razão pela qual muitos de vocês não são felizes: vocês não entram.

 

 

III. Agora, eu venho ao terceiro e último ponto, e é este: a promessa.

 

“Se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens… eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”.

 

A primeira parte da promessa é: “Eles serão salvos”. Cristo empenha a Sua Palavra nisso: aqueles que entram serão salvos. Aqueles que não entrarem serão condenados. Se você não é de Cristo, você está fora, e “ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira” (Apocalipse 22:15). Mas aqueles que entram serão salvos.

 

Há perdão imediato. Não haverá, mesmo agora, nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus. Ó, meus irmãos, é perdão imediato que lhe oferecemos da parte do Pai: “Se alguém entrar, salvar-se-á”. E, em seguida: “entrará, e sairá, e achará pastagens”. Ou seja, vocês terão todos os privilégios de uma ovelha; ela sai para o poço e para o pasto. Então, se vocês são dEle, vocês podem entrar e sair para encontrar pastagens. Meus queridos irmãos, pode chegar um tempo na Escócia, em que haja pouco, quando não haverá sub-pastor, quando as testemunhas serão assassinadas. Contudo, o Senhor será o vosso Pastor, Ele vos alimentará. Vocês “sairão e entrarão, e acharão pastagens”. Amém.

 

Manhã de Sabath, 11 de setembro de 1842.

 

 

Extraído da edição de 1975 de Um Cesto de Fragmentos.

Editado pela Christian Focus Publications.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.