Devocional Banco da Fé • 19 de Outubro

|

Castigo com medida

 

“…castigar-te-ei com medida.” (Jeremias 30:11)

 

Ser deixado sem correção seria um sinal fatal: isso provaria que o Senhor declarou: “…está entregue aos ídolos; deixa-o” [Oséias 4:17]. Queira Deus que tal nunca possa ser a nossa porção! Prosperidade ininterrupta é algo que devia causar temor e tremor. Todos aqueles a quem Deus ama ternamente, Ele repreende e castiga: aqueles a quem Ele não tem nenhuma estima, Ele permite que engordem, como bois para o matadouro. É em amor que o nosso Pai celestial usa a vara sobre os Seus filhos.

 

Ainda assim, veja, a correção é “com medida”: Ele nos ama sem medida, mas castiga “com medida”. Como sob a lei antiga nenhum israelita poderia receber mais do que “quarentenas açoites menos um”, o que garantia contagem cuidadosa e sofrimento limitado; assim é com cada membro aflito da família da fé — cada tribulação é contada. É a medida da sabedoria, a medida da compaixão e a medida do amor pelo que o nosso castigo é regulado. Longe de nós nos rebelarmos contra designações tão divinas. Senhor, se Tu estás medindo as gotas amargas em meu cálice, devo alegremente tomar esse cálice da Tua mão e beber de acordo com Tuas designações, dizendo: “Seja feita a Tua vontade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.