Devocional Banco da Fé • 24 de Novembro

|

Perdão

 

“Não reprovará perpetuamente, nem para sempre reterá a sua ira.” (Salmos 103:9)

 

Deus nos repreenderá, por vezes, ou Ele não seria um Pai sábio para tais pobres filhos pecadores como nós somos. Sua repreensão é muito dolorosa para aqueles que são sinceros, porque eles sentem tristemente que a merecem, e quão errado é de sua parte entristecê-lO. Nós sabemos o que significa esta ira e nos prostramos diante do Senhor, lamentando que devemos levá-lO a ficar com raiva de nós.

 

Porém, há um consolo que encontramos nestas linhas! “Não reprovará perpetuamente”. Se nos arrependermos e voltarmos a Ele com o coração quebrantado pelo pecado e contrito devido à iniquidade, Ele sorrirá para nós imediatamente. Ele não sente prazer em mostrar Sua face irada para aqueles a quem Ele ama com todo o Seu coração: a Sua alegria é que a nossa alegria seja completa.

 

Venham, vamos buscar a Sua face. Não há nenhuma razão para desespero, nem mesmo para desânimo. Amemos ao Deus que repreende e em breve nós cantaremos: “a tua ira se retirou, e tu me consolas” [Isaías 12:1]. Vão embora expectativas tristes, vocês são como corvos para a alma! Venham, ó humildes esperanças e gratas lembranças, vocês são como a pomba para o coração! Aquele que nos perdoou há muito tempo como um Juiz, novamente nos perdoará como um Pai, e nos regozijaremos em Seu doce e imutável amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.