Faça O Que Puder, por R. M. M?Cheyne

|

“Esta fez o que podia; antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura” (Marcos 14:8)

 

Doutrina. Faça o que puder.

 

A partir do Evangelho de João (11:2) ficamos sabendo que esta mulher era Maria, irmã de Lázaro e Marta. Nós já aprendemos que ela era uma crente eminente, que ela: “assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra” (Lucas 10:39). O próprio Jesus disse a ela: “Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” [Lucas 10:42]. Agora, é interessante ver essa mesma eminente Maria de outra maneira, não só como uma crente contemplativa, mas como uma crente ativa.

 

Muitos parecem pensar que ser crente é ter certos sentimentos e experiências; esquecendo todo o tempo que estes são apenas as flores, e que a fruta deve sucedê-las. O enxerto do ramo é bom, o influxo da seiva é bom, mas o fruto é o objetivo almejado. Assim também a fé é boa, e paz e alegria são boas, mas o santo fruto é o fim para o qual somos salvos.

 

Eu confio que muitos de vocês, no Sabath passado, eram como Maria, sentados aos pés do Redentor, e ouvindo a Sua palavra. Agora eu irei persuadi-los a ser como Maria, em fazer para Cristo o que você pode. Se você foi comprado por um preço, então glorifique a Deus no vosso corpo e no espírito, que são dEle. Rogo-vos, pela misericórdia de Deus.

 

 

I. Estas são as coisas que podemos fazer.

 

1. Podemos amar a Cristo, orar e louvar mais. O que essa mulher fez, ela fez a Cristo. Jesus tinha salvado sua alma, tinha salvado seu irmão e irmã, e ela sentiu que não podia fazer muito por Ele. Ela trouxe um vaso de nardo puro, muito valioso, e quebrando o vaso o derramou sobre a Sua cabeça. Não há dúvida de que ela amava Seus discípulos, o santo João e o franco Pedro, mas amava ainda mais a Cristo. Não há dúvida de que ela amava a pobreza de Cristo, e muitas vezes era gentil para com eles, mas ela amava mais a Jesus. Em Sua cabeça abençoada, que brevemente seria coroada de espinhos; em Seus pés abençoados, que tão logo seriam perfurados com pregos, ela derramou o nardo precioso. Isto é o que devemos fazer. Se nós fomos salvos por Cristo, devemos derramar nossos melhores sentimentos sobre Ele. É bom amar os Seus discípulos, amar os Seus ministros, amar o pobre, mas o melhor é amar a Ele mesmo. Não podemos agora chegar à Sua cabeça abençoada, nem ungir Seus pés sagrados, mas podemos cair aos Seus pés e derramar nossas afeições sobre Ele. Não era pelo unguento que Jesus se importava, o Rei da Glória se importaria com um pouco de unguento? Porém foi o coração amoroso derramado aos Seus pés; é a adoração, louvor, amor e orações do coração contrito de um crente, com o que Cristo se importa. O novo coração é o vaso de nardo que Jesus ama.

 

Oh, irmãos, vocês não poderiam fazer mais disto? Vocês não poderiam dedicar mais tempo para derramar o seu coração a Jesus, quebrando o vaso de alabastro e enchendo a sala com o perfume de seu louvor? Vocês não poderiam orar mais do que vocês fazem para serem cheios do Espírito Santo, para que o Espírito seja derramado sobre os ministros, e o povo de Deus, e em um mundo não-convertido? Jesus ama as lágrimas e gemidos de um coração quebrantado.

 

2. Nós podemos viver vidas mais santas. A Igreja é, assim, descrita no Cântico dos Cânticos: “Quem é esta que sobe do deserto, como colunas de fumaça, perfumada de mirra, de incenso, e de todos os pós dos mercadores?” [Cânticos 3:6]. A santidade do crente é como o mais precioso perfume. Quando um crente santo anda pelo mundo, cheio do Espírito Santo, feito mais que vencedor, o perfume enche o lugar, “como se um anjo balançasse suas asas”. Se o mundo fosse cheio de crentes ele seria como uma cama de especiarias; mas, oh! quão poucos crentes carregam este perfume do Céu consigo. Quantos de vocês poderiam ser meios de salvação, se vocês vivessem uma vida de constante santidade, se vocês evidenciassem um sacrifício sobre o altar de Deus. As esposas, assim, poderiam, sem a palavra, ganhar seus maridos, quando elas seguissem sua vida casta, em temor; os pais podem, desta forma salvar seus filhos, quando eles vissem vocês santos e felizes; crianças, muitas vezes, desta foram salvam seus pais. Servos, adornem a doutrina de Deus seu Salvador em todas as coisas; resplandeçam a vossa luz diante dos homens. Os mais pobres podem fazer isso, assim como os mais ricos, o mais jovem, bem como o mais velho. Oh, não há nenhum argumento como uma vida santa.

 

3. Você poderia buscar a salvação dos outros. Se vocês realmente foram levados a Cristo e salvos, então vocês sabem que há um inferno, vocês sabem que todos os não-convertidos ao seu redor estão correndo velozmente para ele; vocês sabem que há um Salvador, e que Ele está estendendo Suas mãos todo o dia para os pecadores. Vocês não poderiam fazer mais nada para salvar os pecadores do que vocês fazem? Vocês fazem tudo que vocês podem? Você diz que ora por eles; mas não é hipocrisia orar e não fazer nada? Será que Deus ouve essas orações? Você não teme que as orações sem labores só estejam provocando a Deus? Você diz que não pode falar, que não é erudito. Será que essas desculpas subsistirão no Juízo? É preciso muito conhecimento para contar aos seus companheiros pecadores que eles estão se perdendo? Se a sua casa estivesse pegando fogo você precisaria de muito conhecimento para acordar quem estivesse dormindo?

 

Comece em casa. Você não pode fazer mais pela salvação dos de sua casa? Se houver crianças ou funcionários, você fez todo o possível por eles? Você já fez tudo o que podia para trazer a verdade diante deles, para trazê-los sob um ministério vivo, para levá-los a orar e renunciarem ao pecado?

 

Você faz o que pode por seus vizinhos? Você pode passar por seus vizinhos por anos juntos, e vê-los no caminho largo, sem avisá-los? Você faz um uso completo de folhetos, dando os adequadamente àqueles que deles necessitam? Você persuade os profanadores do Sabath a irem para a casa de Deus? Você faz qualquer coisa na Escola Dominical? Você não poderia dizer às criancinhas o caminho da salvação? Você faz o que pode pelo mundo? O campo é o mundo.

 

4. Alimentando os pobres de Cristo. Estou longe de pensar que os pobres ímpios devem ser preteridos, mas os pobres de Cristo são os nossos irmãos e irmãs. Você faz o que pode por eles? No Grande Dia, Cristo dirá aos que estiverem à sua direita: “Vinde, benditos, pois eu estava com fome e não me destes de comer” [Mateus 25]. Eles estão no lugar de Cristo. Cristo não mais necessita do unguento de Maria ou da sua hospitalidade, ou de beber a água da samaritana. Ele está além do alcance destas coisas, e nunca mais precisará delas; mas Ele deixou muitos de Seus irmãos e irmãs por este mundo, alguns doentes; alguns coxos; alguns, como Lázaro, todo coberto de chagas; e Ele diz: O que vocês fizerem a eles farão a mim. Você vive modestamente, a fim de ter mais para poder dar? Você afasta a vaidade e roupas extravagantes, para que você seja capaz de vestir o despido? Você é parcimonioso na gestão do que você tem, não dado ao desperdício?

 

 

II. Razões pelas quais devemos fazer o que pudermos.

 

1. Cristo fez o que pôde por nós. Isaías 5:4: “Que mais se podia fazer à minha vinha, que eu lhe não tenha feito?”. Ele pensou que nada mais poderia ter sido feito para sofrer por nós. Cristo morreu por nós sendo nós ainda pecadores. Ninguém tem maior amor do que este Homem. Toda a Sua vida, entre a manjedoura de Belém e a cruz do Calvário, foi gasta em trabalhos e sofrimentos infinitos para nós. Tudo o que precisávamos sofrer, Ele sofreu; tudo o que precisávamos obedecer, Ele obedeceu. Ele se esvaziou de toda a Sua glória por nós. Ele sempre vive para interceder por nós. Ele é o Cabeça sobre todas as coisas para nós, Ele faz tudo em todos os mundos contribuírem juntamente para o nosso bem. É quase inacreditável o que cada Pessoa da Trindade tornou-se por nós para ser nosso. O Pai diz: “Eu sou o teu Deus”; o Filho: “Não temas, porque eu te remi”; o Espírito Santo nos torna um templo: “Neles habitarei e entre eles andarei”. E, portanto, devemos fazer tudo o que pudermos para Ele, não devemos nos entregar Àquele que se entregou por nós?

 

2. Satanás faz tudo o que pode. Ás vezes, ele vem como um leão. O diabo vosso adversário anda ao derredor rugindo como um leão buscando a quem possa tragar; às vezes como uma serpente, “como a serpente enganou Eva” [2 Coríntios 11:3], às vezes como um anjo de luz [2 Coríntios 11:14]. Ele faz tudo o que pode para tentar e enganar os santos, levando-os para longe por falsos mestres, injetando blasfêmias e pensamentos poluídos em suas mentes, lançando dardos inflamados em suas almas, despertando o mundo para os odiar e perseguir, incitando pai e mãe contra os filhos, e irmão contra irmão. Ele faz tudo o que pode para levar os homens ímpios cativos, cegando suas mentes, não permitindo que eles ouçam o Evangelho, embebendo-os em banhos de concupiscências, levando-os ao desespero. Quando ele sabe que seu tempo é curto, ele se enfurece ainda mais. Oh, não devemos fazer tudo o que pudermos, se Satanás faz tudo o que pode?

 

3. Nós fizemos tudo o que podíamos em nosso estado não-convertido. Esta foi uma das grandes motivações de Paulo para fazer tudo o que podia: “Dou graças ao que me tem confortado, a Cristo Jesus Senhor nosso, porque me teve por fiel, pondo-me no ministério; a mim, que dantes fui blasfemo, e perseguidor, e injurioso” [1 Timóteo 1:12-13]. Ele nunca poderia esquecer como ele havia perseguido a Igreja de Deus, e prejudicado; e isso o fez tão diligente em edifica-la, e chamar homens e mulheres a Cristo. Ele pregou a fé que antes destruía. Assim, com Pedro: “Para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus. Porque é bastante que no tempo passado da vida fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachices, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias” [1 Pedro 4:2-3]. Assim, como disse John Newton: “Como pode o velho blasfemador Africano ficar em silêncio?” Assim, com muitos de vocês; vocês correram avidamente buscando o pecado; vocês empregavam grande esforço e custo, e não poupavam saúde, dinheiro nem tempo para obter alguma gratificação pecaminosa. Como você pode agora ter má vontade em algo por Cristo? Tão somente sirva a Cristo tão zelosamente como você já serviu ao Diabo.

4. Cristo reconhecerá e recompensará o que fazemos. O trabalho que Cristo abençoa é labor em fé. As flechas de Deus não são palavras de sabedoria humana, mas palavras de fé. A palavra de uma pequena empregada foi abençoada na casa de Naamã, o Sírio. “Segue-me”, foi a seta preparada para perfurar o coração de Mateus. Porque para Deus é fácil salvar, seja com muitos ou com os que não têm poder. Se você fizesse tudo que que pode, a cidade seria cheia com a fragrância. Cristo vai recompensá-lo. Ele defendeu o labor de amor de Maria, e disse que isso deveria ser anunciado por todo o mundo, e ainda será dito no julgamento. Um copo de água fria não ficará sem recompensa. “Muito bem, servo bom e fiel”.

 

5. Se você não fizer tudo o que puder, como você pode provar a si mesmo que é um Cristão? “A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo” [Tiago 1:27]. Você está muito enganado se pensa que ser Cristão é apenas ter certos pontos de vista e convicções, e deleites espirituais. Isto tudo é bom; mas se isto não te leva a uma vida dedicada, eu temo, que seja tudo uma ilusão. Se alguém está em Cristo, nova criatura é.

 

 

III. Vamos responder às objeções.

 

1. Todo o mundo zombará de nós. Resposta: Isto é verdade. Eles zombaram de Maria, chamaram-lhe de desperdiçadora e extravagante; e ainda, Cristo disse que ela fez bem. Então, se você faz o que pode o mundo rirá de você, mas você terá o sorriso de Cristo. Eles zombaram de Cristo, quando ele estava cheio de zelo; eles disseram que ele estava louco, que tinha demônio. Eles zombaram de Paulo, e disseram que ele estava louco; e é assim com todos os membros vivos de Cristo. “Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo” [1 Pedro 4:13]; “Se sofrermos, também com ele reinaremos” [2 Timóteo 2:12].

 

2. O que eu posso fazer, eu sou uma mulher? Maria era uma mulher, mas ela fez o que pôde. Maria Madalena era uma mulher, e ainda assim ela foi a primeira a ir ao sepulcro. Febe era uma mulher, mas foi uma auxiliadora de muitos, e de Paulo também. Dorcas era uma mulher, contudo ela fez túnicas e roupas para os pobres em Jope. “Eu sou uma criança”, da boca de pequeninos e crianças de peito Deus suscita o perfeito louvor. Deus tem usado frequentemente crianças na conversão de seus pais.

 

3. Eu tenho poucas graças para ser bom. “A alma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido” [Provérbios 11:25]. “Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse” [Colossenses 1:19]. Há pleno suprimento do Espírito para lhe ensinar a orar, uma provisão completa de graça para matar seus pecados e vivificar as suas graças. Se você usar as oportunidades de falar aos outros, Deus lhe dará muito. Se você der muito aos pobres de Deus, você nunca deixará de ser ricamente suprido. “Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda a boa obra” [2 Coríntios 9:8]. “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro… e depois fazei prova de mim nisto” [Malaquias 3:10]. “Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos; e se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares” [Provérbios 3:9-10].

 

26 de abril de 1812.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.