Uma Exposição da Epístola de Judas, por C.H Spurgeon

|

Verso 1. Judas. Isso quer dizer Judas, não o Iscariotes.

 

1. Servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago. Ele não diz, “e irmão de nosso Senhor”, pois sabemos que Tiago e Judas estavam, ambos, entre parente do Senhor segundo a carne. Mas agora, segundo a carne, ele não mais conhece a Cristo, mas está contente e feliz por ser conhecido como “o servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago”.

 

1. Santificados em Deus Pai. Pelo decreto da eleição, a definição dos eleitos é geralmente atribuída a Deus, o Pai.

 

1. Aos chamados […] e conservados por Jesus Cristo. Temos aqui uma descrição muito abençoada de toda a obra da nossa salvação: separados pelo Pai, unidos a Cristo e preservados nEle, e então, no devido tempo, chamados pelo Espírito de Deus.

 

2. Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados. As cartas Cristãs devem estar cheias de amor e boa vontade. A dispensação Cristã respira beneficência, é plena de bênção! “Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados”. Que a Trindade Divina lhes conceda uma tripla bênção!

 

3. Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. No sentido de ser uma vez dada aos santos, a fé dos Cristãos não é algo variável. Não é uma coisa que muda de dia em dia, como alguns parecem supor, em vão imaginam que uma nova luz é concedida a cada nova geração. Não, a verdade de Deus foi dada uma vez, foi estereotipada, fixa e devemos guardá-la tão firmemente quanto Deus nos conceda.

4. Porque se introduziram alguns. Eles covardemente não confessaram a sua heresia quando eles vieram, eles não teriam sido autorizados a entrar, se o tivessem feito, mas furtivamente, subiram ao púlpito, professando ser pregadores do Evangelho, quando eles reconhecem, em tudo, que tinham a intenção de miná-lo. Os mais vis de todos os homens são aqueles que agem assim! “Há certos homens se introduziram com dissimulação”.

 

4. Que já antes estavam escritos para este mesmo juízo. Proscritos por Deus como traídores há muito tempo! Aqueles que não são corajosos de suas convicções, provavelmente, não têm convicções em absoluto, mas procuram minar a fé que eles professam sustentar.

 

4. Homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo. Antinomianos, que “convertem em dissolução a graça de Deus”, falsamente declarando que a Lei não tem força reguladora para a vida do Cristão e dizendo que podemos fazer o mal para que venha o bem. E Socinianos, que negam “a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo”.

 

5. Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram. Se não temos fé real, nós podemos aparentar seguir um longo caminho para o Céu, mas não entraremos na Canaã celestial.

 

6. E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia. Vejam, então, a necessidade da estabilidade, a necessidade de permanecer na fé e permanecer na prática da mesma, para que não nos tornemos como os israelitas, que, embora saíram do Egito, deixaram suas carcaças no deserto, ou como os anjos, que, embora estivessem na presença de Deus na glória, caíram para as profundezas do abismo por causa de sua apostasia!

 

7, 8. Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades. Eles lançam fora todas as restrições; eles afirmam ter liberdade para fazer o que gostam e quando repreendidos, eles proferem palavras maledicentes contra aqueles que honestamente os repreendem!

 

9. Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda. A que isto se refere? Eu tenho certeza que não sei. Eu não posso pensar que se refere a qualquer coisa registrada no Antigo Testamento, mas a algum fato, conhecido por Judas, que aqui fala pela Revelação e o registra. Nós acreditamos nisso e aprendemos com isso que quando um arcanjo disputa com o diabo, ele não usa palavras duras mesmo contra ele, pois palavras duras são uma evidência de fraqueza da causa que eles costumam apoiar! Argumentos duros suavemente colocados, são armas realmente eficazes, mas para alguns de nós, leva-se muito tempo para aprender isso e geralmente, em nossos dias de imaturidade, nós desgastamos nossa própria força pela violência que empregamos.

 

10 Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem. É algo horrível quando o pecado de um homem passa por toda a extensão de seu conhecimento e ele peca até o nível de suas possibilidades!

 

11, 12. Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré. Estes são manchas. Estes são “espoliadores”, por isso podem ser entregues.

12. Em vossas festas de amor. Eles estragam as vossas festas de amor na Mesa da Comunhão. Estragam a sua comunhão quando se reúnem para adorar.

 

12. Banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor. Alguns dos melhores Cristãos que vêm à mesa do Senhor, chegam ali em grande temor e tremor. E eu conheci alguns que tiveram um direito inquestionável de estar ali, quase receosos em vir. No entanto, essas mesmas pessoas que têm um medo santo de que não venham mal, são aqueles que realmente deveriam vir. “Apascentando-se a si mesmos sem temor” é a marca daqueles que estão mais longe de Deus.

 

12. São nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte. Eles acreditam de acordo com o que lhes é dito pelo último homem que fala com eles, eles são facilmente persuadidos a esta ou aquela doutrina, ou a outra.

 

12. São como árvores murchas, infrutíferas. Eles parecem carregar frutos, mas eles caem antes que amadureçam.

 

12, 13. Duas vezes mortas, desarraigadas. Ondas impetuosas do mar. Eles não têm nada a dizer por Cristo, mas eles devem dizer alguma coisa, por isso são “ondas impetuosas do mar”.

 

 13. Que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas. Estes são os falsos professos da religião, os membros da igreja para quem há assentos reservados no inferno! Este é um pensamento terrível: “para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas”, não para os gentios, e não para os rejeitadores abertos do Evangelho, mas para tais como se arrastando descuidados nas igrejas, ensinam falsas doutrinas, vivem vidas profanas!

 

14, 15. E destes profetizou também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; Para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele. Como Judas sabia que Enoque disse isso, eu não posso dizer, é outro exemplo da inspiração Divina.

 

16. Estes são murmuradores, queixosos. Vocês conhecem o tipo de pessoas aqui mencionadas, nada os satisfaz. Eles estão descontentes, mesmo com o Evangelho. O Pão do Céu deve ser cortado em três pedaços e servido em guardanapos delicados, ou então eles não podem comê-lo! E muito em breve a sua alma abomina mesmo este pão leve. Não há nenhuma maneira pela qual um Cristão possa servir a Deus de modo a agradá-los. Eles observarão buracos nos casacos de cada pregador e se o grande Sumo Sacerdote, Ele mesmo, estivesse aqui, eles encontrariam falha na cor das pedras de Seu peitoral!

 

16-19. Andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. Mas, amados, lembrem-se das palavras que foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo, como eles lhes disseram existiriam escarnecedores nos últimos tempos, que falariam segundo as suas ímpias concupiscências. Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito. Pessoas que, se elas fazem uma profissão de fé em absoluto, devem estar continuamente dividindo igrejas e mantendo-se distantes dos outros, não tendo comunhão com ninguém, senão com aqueles que podem dizer “Chibolete” tão claramente quanto eles possam, e soar o “h” bastante alto.

 

20-22. Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento. Alguns desses professos que não estão vivendo de forma consistente com a sua profissão, em quem vocês podem ver sinais e provas de pecado, ainda assim podem ter algum traço de arrependimento, alguma razão para esperar que eles abandonarão o mal quando enxergarem que isso seja mau, “apiedai-vos” deles.

 

23. E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne. Quando vocês tiverem que lidar com professos imundos, deve haver uma aversão e ódio ao seu pecado, mesmo quando há uma grande gentileza para com o pecador. Nunca devemos ser tão crentes no arrependimento do culpado como estando dispostos a relevar o seu pecado, pois o pecado é um grande mal, em qualquer caso, e o arrependimento não pode limpá-lo. E embora caiba a nós que sejamos ternos com o pecador, nunca devemos ser ternos com o pecado. Quão belamente termina esta breve e dolorosa Epístola! Tendo descrito a muitos que, depois de fazer uma confissão, ainda se desviam, Judas irrompe com essa jubilosa doxologia!

 

24, 25. Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória, Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.