Implicações Práticas a Partir de Êxodo 15:11: “Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses?”

|

“Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?” (Êxodo 15:11)

Se não há ninguém semelhante a Deus, então a isso segue que não há ninguém semelhante ao povo de Deus… Seja o que for de bom que um homem escolha, ele é tão bom quanto o seu Deus é. Se um homem ambicioso torna as riquezas o seu deus, ele deve ser julgado como um homem voluptuoso ou um pagão. Agora, se os santos de Deus escolheram este Deus para ser o seu Deus, e se não há outro semelhante a Ele, então disto segue-se que não há povo nenhum semelhante ao povo de Deus.

Notem como o Espírito Santo faz esta inferência em várias porções da Escritura. Deuteronômio 33:26 e 29: “Não há outro, ó Jesurum, semelhante a Deus, que cavalga sobre os céus para a tua ajuda, e com a sua majestade sobre as mais altas nuvens”. Qual é a conclusão lógica do Espírito Santo? “Bem-aventurado tu, ó Israel! Quem é como tu? Um povo salvo pelo Senhor”. Assim, vocês veem que de acordo com a glória de Deus em qualquer particular, há uma reflexão nisto referente aos santos de Deus, e esta é a maravilhosa excelência dos santos de Deus, ter o reflexo de Deus sobre eles. Bem-aventurados são aqueles que têm a Deus por seu Deus. Se Deus é tão excelente, então eles o são! Se Deus é acima de tudo e não há ninguém semelhante a Ele, então eles são acima de todos e não há ninguém como eles!

Vocês têm a mesma inferência do Espírito Santo em 2 Samuel 7:22-23: “Portanto, grandioso és, ó Senhor Deus, porque não há semelhante a ti, e não há outro Deus senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos”. Observem o que segue, “E quem há como o teu povo, como Israel, gente única na terra”? Então não há ninguém semelhante ao povo de Deus, o que decorre disto, pois eles são semelhantes ao que o seu Deus é. Portanto, Moisés diz, falando sobre o povo de Deus em Êxodo 33:16: “Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso não é por andares tu conosco, de modo a sermos separados, eu e o teu povo, de todos os povos que há sobre a face da terra?”. Isto é como vocês leem em suas Bíblias, mas a palavra no original significa “maravilhosamente separado”. O povo de Deus é maravilhosamente separado do mundo. Como Deus é maravilhosamente elevado acima de todas as criaturas, assim é o Seu povo. Logo, em Números 27:9 é dito que o povo de Deus deve habitar sozinho, e não devem ser contados dentre as nações. Porquê? Pois eles são o povo de Deus, e o povo deste Deus o qual não há ninguém semelhante a Ele, e, portanto, não há ninguém semelhante a eles. Esta é a consolação dos santos de Deus.

Disso decorre que este deve ser o nosso cuidado, que ninguém possa fazer por seus deuses como o que nós fazemos pelo nosso. Pois, se não há ninguém como o nosso Deus, então é uma vergonha que alguém que escolhe outros deuses possa fazer por eles algo mais elevado do que nós fazemos pelo nosso Deus. Como para os idólatras, não há ninguém semelhante ao nosso Deus. Certamente todos os idólatras no mundo não têm um deus como o nosso, suas rochas não são como a nossa Rocha. Que vergonha seria, então, se nós não fizéssemos mais pelo nosso Deus do que eles fazem pelos deles. Sim, nós devemos labutar para fazer pelo nosso Deus o que irá alcançar o nível de excelência que nós observamos haver nEle.

Vocês verão o que os idólatras fazem pelos seus deuses? Primeiro, observem a seriedade do espírito dos idólatras após os seus deuses. Os seus corações são inflamados com os seus ídolos. Assim, nós temos em Isaías 57:5: “Que vos inflamais com os deuses debaixo de toda a árvore verde, e sacrificais os filhos nos ribeiros, nas fendas dos penhascos?” Seus corações eram inflamados pelos seus deuses ídolos que não são como o nosso Deus! Oh, como, então, os nossos corações deveriam ser inflamados pelo nosso Deus! Deveríamos nos contentar com isto, e descansar satisfeitos, em morta e friamente servir ao nosso Deus? Quanto impacto esta exortação do apóstolo, em Romanos 12:11, deveria ter sobre nós: “Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor”. Este é o Senhor a quem servimos, este é o nosso Deus, o grande e glorioso Deus, e portanto, nós deveríamos ser ferventes em espírito, servindo-O.

Em segundo lugar, a Escritura afirma que idólatras, aqueles que adoram falsos deuses, são loucos pelos seus ídolos, Jeremias 50:38. O povo de Deus, então, deveria ter os seus corações apegados a Deus, de forma que aqueles que são carnais e incapazes de julgar olhassem para eles como loucos, e de fato eles o são. Sempre que os corações dos santos estão totalmente cheios de Deus, eles são considerados como loucos. São Paulo era considerado um homem louco por Festo, Atos 26:24, e nós não deveríamos ter receio das reprovações do mundo neste sentido, embora eles nos desprezem e pensem de nós como inferiores, vis, e fora de nossos juízos. Os idólatras são loucos pelos seus ídolos. Portanto, se há algo que Deus requer de nossas mãos, embora o mundo considere isto como loucura, ainda assim nossos corações devem trabalhar por Deus nisto. É uma vergonha que alguns corações de homens sejam mais por seus deuses do que os nossos corações são pelo nosso, pois não há ninguém semelhante ao nosso Deus.

Em terceiro lugar, a seriedade do coração dos idólatras pelos seus ídolos aparece em Jeremias 8:1-2: “Naquele tempo, diz o SENHOR, tirarão para fora das suas sepulturas os ossos dos reis de Judá, e os ossos dos seus príncipes, e os ossos dos sacerdotes, e os ossos dos profetas, e os ossos dos habitantes de Jerusalém; E expô-los-ão ao sol, e à lua, e a todo o exército do céu, a quem tinham amado, e a quem tinham servido, e após quem tinham ido, e a quem tinham buscado e diante de quem se tinham prostrado; não serão recolhidos nem sepultados; serão como esterco sobre a face da terra”.

Eu tenho frequentemente meditado nesta Escritura, que é sobremodo notável. Eu não conheço uma Escritura em todo o Livro de Deus que tenha tantas expressões para demonstrar a intensidade dos corações do povo de Deus em seguir a Deus como esta, a qual mostra a força do coração dos idólatras após os seus ídolos. E eles expô-los-ão ao sol, e à lua, e a todo o exército do céu… Notem isto: (1) a quem tinham amado; (2) a quem tinham servido; (3) após quem tinham ido; (4) a quem tinham buscado; (5) diante de quem se tinham prostrado, e tudo em tão poucas palavras. Assim, os seus corações seguiam os seus deuses ídolos. Quanto mais, então, deveria isto ser dito de nós em relação ao nosso Deus, a quem nós temos amado, a quem nós temos servido, e após quem nós temos ido, e a quem nós temos buscado, e diante de quem nós nos prostramos.

Observem como a Escritura descreve os espíritos dos homens após os seus ídolos em consideração ao custo o qual eles estão dispostos a lhes conceder. Isaías 46:6 diz: “Gastam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças; assalariam o ourives, e ele faz um deus, e diante dele se prostram e se inclinam”. Eles não se importam com o que custa para adorar os seus ídolos. Que vergonha isto seria se nós não desejássemos nos desprender de muitas de nossas propriedades para o verdadeiro culto ao verdadeiro Deus. Embora nós quase percamos os nossos bens, se nós podemos servir melhor a Deus e de uma forma pura, nós ficaríamos satisfeitos, pois os idólatras gastarão o ouro da bolsa de seus ídolos. Agora, não há ninguém semelhante ao nosso Deus, portanto, é uma vergonha que eles possam fazer mais por seus deuses do que nós pelo nosso.

E então, o que os idólatras desejam sofrer pelos seus ídolos? Em 1 Reis 18:28, os sacerdotes de Baal se retalhavam com facas e com lancetas, conforme ao seu costume, até derramarem sangue, para demonstrarem respeito aos seus ídolos. Disponhamo-nos, então, a sofrer qualquer coisa a que Deus nos chamar. E quão constante eles eram por seus ídolos. Desta forma, Deus diz em Jeremias 2:10-11: “Pois, passai às ilhas de Quitim, e vede; e enviai a Quedar, e atentai bem, e vede se jamais sucedeu coisa semelhante. Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, ainda que não fossem deuses? Todavia o meu povo trocou a sua glória por aquilo que é de nenhum proveito”. Quão perverso Deus considera isto, que os idólatras não troquem os seus deuses os quais são infinitamente inferiores a Ele, e ainda assim o Seu povo troca o seu Deus, que é infinitamente superior aos deles!

Novamente, vamos tomar cuidado para que aqui não sejam encontrados alguns que têm posto os seus corações em suas paixões mais do que nós temos posto em Deus. Junte todas as excelências do mundo, e elas são infinitamente inferiores a Deus. Quanto mais, então, é a luxúria inferior a Deus? Pois o que é uma paixão em comparação a todas as criaturas no céu e na terra? Ainda assim, quantos corações de homens estão postos em suas paixões? Sim, quanto do seu próprio coração tem sido posto em paixões ímpias diante disto? Então, pense consigo mesmo que coisa infinitamente insensata é esta que o coração de algum homem no mundo, ou o seu próprio coração, possa ser mais posto numa paixão inferior, ao invés de no vivo, eterno e infinito Deus.

É dito de Acabe que ele vendeu a si mesmo ao que é mau aos olhos do Senhor, em 1 Reis 21:20. Então, vocês devem dispor a venderem-se a si mesmos a Deus, a entregarem-se a si próprios para Deus. Eclesiastes 8:11 diz que os corações dos filhos dos homens são dispostos, e inteiramente dispostos para fazer o mal. Não satisfaça-se com alguns fracos desejos e anseios por Deus, mas faça o seu coração ser disposto, e inteiramente disposto, para Deus. Em Miquéias 7:3 é dito… todos eles tecem o mal diligentemente. Note isso. Eles fazem o mal, e eles tecem o mal diligentemente, e eles tecem o mal diligentemente com ambas as mãos. Agora, então, que vergonha! Não seja vagaroso ao fazer o serviço para o seu Deus. Faça o que é bom, e faça isto com ambas as mãos, e o faça diligentemente com todo o seu coração.

Nós temos mais uma notável porção da Escritura que demonstra como os corações dos homens são inclinados ao que é mau. Provérbios 19:28 diz: “O ímpio escarnece do juízo, e a boca dos perversos devora a iniquidade”. Esta é uma bela expressão do Espírito Santo. É uma metáfora tomada da prática de criaturas rudes. Considere uma fera que foi deixada sem bebida por um longo tempo e está excessivamente sedenta. Se você trouxer água, ela enfiará a sua cabeça dentro da água como se pudesse beber todo o rio e nunca estar satisfeita. Esse é o significado da frase “a boca dos perversos devora a iniquidade”. Quando vem até o seu pecado, ele é como ávido por isto, como a fera que foi deixada sem água é ávida por água. Como os nossos corações deveriam ser infinitamente mais ávidos por Deus e por Seu serviço do que o homem perverso é, ou pode ser, a serviço de suas paixões.

Para concluir, vocês têm, por fim, Êxodo 30, versículo 34. Havia um perfume aqui a ser feito pela composição de perfumista, mas havia esta ordem prescrita… para o perfume que tu farás, o farás não por vós mesmo, de acordo com a composição disso, isto será para ti santo ao Senhor. Então, eu concluo esse ponto: não há ninguém semelhante ao Senhor, Ele é acima de todos. Quando os seus corações, portanto, estão em algum bom empreendimento para Deus, perfumados e elevados em direção a Deus, tomem cuidado para que eles não sejam inclinados da mesma maneira em direção a nenhuma criatura, como são em direção a Deus, pois o seu serviço a Deus deve ser adequado à natureza de Deus. Agora, não há ninguém semelhante ao Senhor, portanto, não deve haver serviço algum ofertado a alguém como este é ofertado a Deus. Esse tanto, para o primeiro aspecto pelo qual o nome de Deus é exaltado aqui: Quem é como Tu, Ó Senhor, entre os deuses!

 

Trecho de “A Incomparável Excelência e Santidade de Deus“, por Jeremiah Burroughs.