O Que é a Santificação?

|

Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação.” (1 Tessalonicenses 4:3)

A palavra santificação significa consagrar e separar para uso sagrado. Por conseguinte, são pessoas santificadas as que estão separadas do mundo e separadas para o serviço de Deus. Santificação tem uma parte negativa e outra positiva.

  1. A parte negativa consiste na remoção do pecado. O pecado é comparado ao fermento, que leveda; e à lepra, que contamina. A santificação remove “o velho fermento” (1 Coríntios 7). Embora não tire a existência do pecado, no entanto, elimina o amor a ele.
  2. A parte positiva, que é a purificação espiritual da alma; que na Escritura é chamada de “renovação da nossa mente” (Romanos 12:2), e a “coparticipação da natureza divina” (2 Pedro 1:4). Os sacerdotes sob a Lei não eram apenas lavados numa grande pia, mas também adornados com um glorioso vestuário (Êxodo 28:2); assim também a santificação não só lava do pecado, mas adorna com pureza.

O que é santificação?

É um princípio da graça produzido de forma salvífica, pelo qual o coração se torna santo e feito segundo o coração de Deus. Uma pessoa santificada tem não só o nome de Deus, mas também Sua imagem. Na exposição da natureza da santificação, mostrarei as seguintes sete posições:

(1) A santificação é algo sobrenatural e é divinamente infundida. Estamos poluídos por natureza, e Deus toma para si a prerrogativa da limpeza: “Eu sou o Senhor que vos santifica” (Levítico 21:8). As ervas daninhas crescem por si mesmas, no entanto as flores são plantadas. A santificação é uma flor, resultado da plantação do Espírito, daí que é chamada “a santificação do Espírito” (1 Pedro 1:2).

(2) A santificação é algo intrínseco; encontra-se principalmente no coração. Ela é chamada de “o ornamento do homem encoberto no coração” (1 Pedro 3:4). O orvalho molha a folha, a seiva está escondida na raiz. Similarmente, a Religião de alguns consiste somente nas coisas externas, mas a santificação está profundamente enraizada na alma. “No oculto me fazes conhecer a sabedoria” (Salmos 51:6).

(3) A santificação tem seu aspecto extenso: ela se espalha por todo o homem. “O Deus de paz vos santifique em tudo” (1 Tessalonicenses 5:23). Como a corrupção original depravou todas as faculdades — “Toda a cabeça está doente, todo o coração fraco”, nenhuma parte está sã, como se toda a massa de sangue estivesse corrompida, assim, a santificação abrange toda a alma. Após a Queda, houve ignorância na mente; mas devido à santificação, nós somos “luz no Senhor” (Efésios 5:8). Após a Queda, a vontade depravou-se; não havia apenas impotência para o bem, mas também obstinação. Na santificação, há uma maleabilidade abençoada na vontade; ela simboliza e harmoniza-se com a vontade de Deus. Após a Queda, os afetos foram deslocados para objetos errados; na santificação, eles são transformados em uma doce ordem e harmonia, a tristeza é colocada sobre o pecado, o amor sobre Deus e a alegria no Céu. Assim, a santificação se espalha tanto quanto a corrupção original; ela vai ao longo de toda a alma: “o Deus de paz vos santifique em tudo”. Não é uma pessoa santificada, quem apenas é bom em alguma parte, senão quem é santificado em tudo como um todo; portanto, nas Escrituras, a graça é chamada de “novo homem”, não um novo olho ou uma nova língua, mas um “novo homem” (Colossenses 3:10). Um bom Cristão, embora seja santificado em parte, no entanto, ele é santificado em todas as partes.

(4) Santificação é algo intenso e ardente. Qualitates suint in subjecto intensivo [Suas propriedades ardem dentro do crente]. “Fervorosos no espírito” (Romanos 12:11). Santificação não é uma forma morta, mas está inflamada em zelo. Chamamos de água quente, quando esta chega ao terceiro ou quarto grau; desta maneira, santo é aquele cuja Religião é aquecida a tal ponto que seu coração se consome por amor a Deus.

(5) A santificação é algo belo. Faz Deus e os anjos caírem em amor por nós. “Os ornamentos de santidade” (Salmos 110:3). O que o sol é para o mundo, a santificação é para a alma, embelezando-a e adornando-a aos olhos de Deus. Aquilo que faz com que Deus seja glorioso é necessário que também faça em nós da mesma forma. Santidade é a joia mais brilhante da Divindade. “Glorioso em santidade” (Êxodo 15:11). A santificação é o primeiro fruto do Espírito; é o início do Céu na alma. A santificação e glória diferem apenas no grau: a santificação é a glória em semente, e glória é a santificação em flor. A santidade é a quintessência da felicidade.

(6) A santificação é algo permanente. “Sua semente permanece nele” (João 3:9). Aquele que é verdadeiramente santificado, não pode cair daquele estado. De fato, a santidade aparente pode ser perdida, as cores podem ser removidas; a santificação pode sofrer um eclipse. “Deixaste o teu primeiro amor” (Apocalipse 2:4). A verdadeira santificação é uma flor da eternidade. “A unção que vós recebestes permanece em vós” (1 João 2:27). Aquele que é verdadeiramente santificado não pode mais cair do que os anjos, que são fixos em suas órbitas celestes.

(7) A santificação é progressiva. Ela está em crescimento; ela é comparada a uma semente que cresce: primeiro a erva brota, depois a espiga, depois o milho maduro na espiga; assim os que já são santificados podem ser mais santificados (2 Coríntios 7:1). A justificação não admite graus; um crente não pode ser mais eleito ou justificado do que ele já é, mas ele pode ser mais santificado do que ele o é. A santificação sempre está progredindo, como o sol da manhã, que brilha gradualmente até ao meridiano completo. Diz-se do conhecimento que cresce e da fé que aumenta (Colossenses 1:10; 2 Coríntios 10:15). Um Cristão está continuamente adicionando um côvado à sua estatura espiritual. Não acontece conosco o que aconteceu com Cristo, que recebeu o Espírito sem medida; pois Cristo não poderia ser mais santo do que era. Temos o Espírito apenas em medida, e a nossa graça ainda pode ser aumentada. Como Apeles, que depois de haver pintado um quadro, ainda estava aprimorando-o com o seu pincel. A imagem de Deus está desenhada em nós, mas imperfeitamente, portanto, devemos ainda ser melhorados e pintados com cores mais vivas. A santificação é progressiva; se não cresce, é porque ela não está viva. Assim, você pode ver a natureza da santificação.

 

Trecho da Obra “Santificação“, pelo Puritano Thomas Watson.