Meditações Diárias | 18 de Agosto | J.C. Philpot

|

❝ E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho.❞ (1 João 5:11)

Quantas vezes estamos olhando e procurando em vão a vida em nós mesmos. É verdade que se Deus vivificou as nossas almas, somos participantes da vida divina, da vida espiritual, da vida eterna, da vida que está em Cristo e vem de Cristo; e, no entanto, com que frequência procuramos em vão encontrá-la pulsante em nossos seios. Se uma vez dada, nunca morre; porém, muitas vezes, ela está escondida sob as cinzas e, embora se queime lentamente e brilhe vagamente, as cinzas a escondem da vista, e só sabemos que está lá por alguns restos de calor. “Vossa vida está escondida com Cristo em Deus” (Colossenses 3:3); e, portanto, não apenas escondida, mas guardada em segurança em Deus, ainda que oculta do mundo e até mesmo escondida dos olhos de seu possuidor.

Cristo é a nossa vida. Não há outro. Olhar, pois, para a vida em nós, independente e distinta da fonte da vida, é procurar na criatura aquilo que está no divino Criador, é procurar no homem o que habita no Deus-homem; procurar em si mesmo aquilo que está fora de si, escondido na plenitude do Filho de Deus.

E não é meramente que a vida está Jesus, mas Ele é a própria vida. Como o sol não tem apenas luz e calor, mas é a própria luz e calor em si, o bendito Senhor não apenas concede a vida, mas Ele concede a Si mesmo. Como uma fonte não apenas dá água, mas é ela mesma toda a água, assim Cristo não apenas dá o que Ele é, mas Ele é tudo o que dá. Portanto, Ele não é apenas a “ressurreição”, centrando em Si tudo, tanto para o tempo como para a eternidade, que a ressurreição contém e o que a ressurreição implica, mas Ele é “a vida”, sendo a fonte da vida, da qual Ele dá de Sua própria plenitude aos membros de Seu corpo místico.

 

Título original: Daily Portions — Via: GraceGems.org: • Traduzido e publicado com permissão. Tradução por Juliana e Ana Beatriz Oliveira Meninel • Revisão por Camila Teixeira