Jesus, o Salvador!

|

E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” (Mateus 1:21)

 

O NOME DE JESUS É UM NOME DIVINAMENTE DETERMINADO E EXPOSTO

De acordo com o texto, o anjo trouxe uma mensagem do Senhor e disse: “E lhe porás o nome de Jesus”. É um nome que desceu do Céu. Nosso Senhor tem outros nomes relativos a funções e relacionamentos, mas este é especial e peculiarmente Seu próprio nome pessoal e o Pai deu esse nome a Ele. Tenha certeza, portanto, que é o melhor nome que Ele podia receber! Deus não teria Lhe dado um nome de valor secundário, ou sobre o qual houvesse um traço de desonra. O nome é o maior, mais brilhante e mais nobre de todos os nomes: é a glória de nosso Senhor ser um Salvador. Para o melhor que já foi nascido de mulher, Deus deu o melhor nome que qualquer filho do homem poderia receber. JESUS ​​é o nome mais apropriado que o nosso Senhor poderia receber. Disso estamos muito certos, pois o Pai sabia tudo sobre Ele e poderia chamá-lO apropriadamente. Ele sabe muito mais sobre o Senhor Jesus Cristo do que todos os santos e anjos juntos, pois: “Ninguém conhece o Filho senão o Pai”.

Deus O conhecia perfeitamente e Lhe deu o nome de Jesus. Podemos estar certos, então, de que nosso Senhor é, mais do que tudo, o Salvador e é melhor descrito por esse termo. Deus, o Pai, que melhor O conhece, vê essa como sua maior característica, que Ele é o Salvador e é melhor representado pelo nome “Jesus”. Já que a infinita sabedoria o escolheu, podemos ter certeza de que é um nome que deve ser verdadeiro e deve ser verificada por fatos de nenhuma ordem mediana. Deus, que não pode ser confundido, o chama de Jesus, o Salvador e, por isso, Jesus, o Salvador Ele deve ser grandemente, continuamente, abundantemente e da forma mais notável! Nem irá Deus se recusar a aceitar a obra que Ele realizou, uma vez que pelo dom desse nome Ele O encarregou de salvar os pecadores. Quando suplicamos o nome de Jesus diante de Deus, nós trazemos-lhe sua própria Palavra e apelamos a Ele por Seu próprio decreto e ação.

O nome Jesus não deve ser visto com prazer reverencial por cada um de nós, quando nos lembramos de onde Ele veio? Ele não é um Salvador de nossa própria criação, mas Deus, o Pai eterno O designou como nosso Libertador e Salvador, dizendo: “E lhe porás o nome de JESUS”. É um nome que o Espírito Santo explica, pois Ele nos diz a razão para o nome de Jesus: “porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados”. “Salvador” é o significado do nome, mas tem um sentido mais completo e profundo escondido, pois em sua forma hebraica significa, “a salvação do Senhor”, ou “o Senhor da salvação,” ou “o Salvador”. O anjo interpreta, “Ele salvará”, e a palavra para “Ele”, é muito enfática.

De acordo com muitos estudiosos, o nome Divino, o título incomunicável do Altíssimo está contido em “Yeshua”, a forma hebraica de Jesus, para que, plenamente, a palavra signifique “Jeová Salvador”, e resumidamente signifique “Salvador”. Ele é dado ao nosso Senhor, porque “Ele salva”, não de acordo com qualquer salvação temporária e comum, dos inimigos e problemas, mas ele salva de inimigos espirituais e especialmente dos pecados. Josué no passado foi um salvador, Gideão foi um salvador, Davi era um salvador, mas o título é dado ao nosso Senhor acima de todas as outras pessoas, porque Ele é o Salvador, em um sentido em que ninguém é ou pode ser — Ele salva o Seu povo dos seus pecados! Os judeus estavam à procura de um Salvador, eles esperavam por um que iria quebrar o jugo romano e salvá-los de serem sujeito à servidão a uma potência estrangeira! Mas nosso Senhor Divino não veio para tal finalidade. Ele veio para ser o Salvador de um tipo mais espiritual e para quebrar completamente outro jugo, salvando o Seu povo de seus pecados. A palavra “salvar” é muito rica em significado, seu pleno e exato vigor dificilmente pode ser atribuído a palavras em português. Jesus é a salvação no sentido de libertação e também no de preservação. Ele dá saúde. Ele é tudo o que é salutar para o Seu povo. No sentido mais amplo e completo Ele salva o Seu povo.

A palavra original significa preservar, manter, proteger do perigo e assegurar. Os significados grandiosos geralmente habitam nas palavras mais curtas e, neste caso, a palavra “salvar” é um poço onde o prumo demora a encontrar um fundo! Jesus realiza uma grande salvação, ou como diz Paulo: “tão grande salvação”, assim como ele sentiu que nunca poderia estimar sua grandeza (Hebreus 2:3). Ele também fala dela como “salvação eterna” (Hebreus 5:9), e mesmo como disse Isaías: “Israel será salvo no Senhor, com uma salvação eterna” (Isaías 45:17). Imensuravelmente glorioso é o nome “Jesus”, como é divinamente exposto para nós, pelo que a própria exposição do Deus eterno garante o sucesso do Salvador!

 Ele declara que Ele salvará Seu povo e salvar o Seu povo Ele irá. Deus O coloca diante de nós como:

“Jesus, Salvador, Filho de Deus,

Aquele que leva o fardo do pecador.”

Assim, temos um nome, queridos amigos, que não temos de explicar por nós mesmos. Como não o escolhemos, então não somos deixados para o expor, Deus foi quem deu o texto e quem pregou-nos o sermão! Aquele que deu o nome foi quem nos deu a razão para isso, de modo que não somos deixados na ignorância ou incerteza. Poderíamos ter dito: “Sim, seu nome é Jesus, mas se refere a uma salvação que estava em rigor na antiguidade”. Mas não, a Palavra do Senhor nos diz: “E lhe porás o nome de JESUS, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados”, e isto é para todos os tempos, já que Ele sempre tem um povo e essas pessoas sempre precisam ser salvas dos seus pecados! Alegremo-nos por termos um tal Salvador e pelo nome de Jesus reter toda a doçura e poder que ele já teve e deve retê-los até que todas as pessoas escolhidas sejam salvas; e, será assim para todo o sempre.

Além de expor este nome, o Espírito Santo, pelo evangelista Mateus, se agradou de nos referir ao sinônimo dele e assim dar-nos o seu significado por comparação. Deixe-me ler os próximos versículos. “Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco” [Mateus 1:22-23]. Se quando nosso Senhor nasceu e foi nomeado, “JESUS”, a antiga profecia que dizia que ele deveria ser chamado de Emanuel foi cumprida [veja Isaías 7:14], segue-se que o nome “JESUS”, tem um significado equivalente ao de “EMANUEL” e que seu significado potencial é “Deus conosco”.

Na verdade, irmãos e irmãs, Ele é Jesus, o Salvador, porque Ele é o Emanuel, Deus conosco! E assim que Ele nasceu e assim se tornou o Emanuel, o Deus encarnado, Ele tornou-se por isso mesmo, Jesus, o Salvador! Ao descer do Céu para esta terra e tomar sobre Si nossa natureza, Ele transpôs o abismo, de outra forma intransponível, entre Deus e o homem! Sofrendo nessa natureza humana e transmitindo, através de Sua natureza Divina, uma eficácia infinita a esses sofrimentos, Ele removeu o que teria nos destruído e nos trouxe vida e salvação eterna! Ó Jesus, o mais querido de todos os nomes na terra ou no Céu, eu amo Sua música mais do que tudo porque é de tal doce harmonia com outro que toca melodiosamente em meus ouvidos, o nome de Emanuel, Deus conosco! Nosso Salvador é Deus e, portanto, capaz! Ele é Deus conosco e, portanto, inspira piedade! Ele é Divino e, portanto, infinitamente sábio! Mas Ele é humano e, portanto, cheio de compaixão!

Esta, então, o nosso primeiro ponto é: este encantador nome de Jesus é uma joia do cofre dos Céus. Ele vem a nós como uma maçã de ouro e é tratada por uma exposição que a coloca em uma salva de prata! O nome é precioso como o propiciatório dourado e sobre ele queima a luz da glória Divina, para que possamos não tropeçar nela, mas possamos nos alegrar com a grande luz! Ele nos permite conhecer o próprio coração de Deus, em referência ao Seu Filho, porque Ele O enviou… A salvação é o som alegre que toca desde os sinos do vestuário de nosso Sumo Sacerdote à medida que Ele vem para nos abençoar! Deus, que falou aos nossos pais pelos Seus profetas, agora fala-nos por Seu Filho, cujo nome é a Salvação! Não há uma fonte de alegria nisto?

***

Trecho do sermão “Jesus!” ( Nº 1434), pregado na manhã do Dia do Senhor, 15 de setembro de 1878, por C. H. Spurgeon, no Tabernáculo Metropolitano, Newington.