Informação adicional

Autor

A Gloriosa Bem-Aventurança Proposta no Evangelho, por A. W. Pink

REF: b238ff48e1d1 Categoria:

Descrição

Neste belíssimo artigo que concluiu seu Livro, a Depravação Total do Homem, Arthur Pink, compõe uma umas das exposições mais belas sobre a Queda do homem e a Redenção que há em Cristo Jesus, sobre a entrado do Pecado no mundo e Vitória da Graça.

Segundo o autor:

A entrada do mal no domínio de Deus é, reconhecidamente, um profundo mistério, no entanto, o suficiente é revelado nas Escrituras para nos prevenir de formar pontos de vista errôneos em relação a isto. Por exemplo, é terminantemente contrário à Palavra da Verdade apoiar a noção de que a Queda de Satanás e seus anjos ou dos nossos primeiros pais pegaram Deus de surpresa e arruinaram seus planos. Desde toda a eternidade Deus projetou esta terra como devendo ser o palco sobre o qual ele iria mostrar Suas perfeições: na Criação, na Providência e na Redenção (1 Coríntios 4:9). Assim, Ele predestinou tudo o que viria a acontecer neste cenário (Atos 15:18; Romanos 11:36; Efésios 1:11). Deus não é um espectador ocioso, olhando à distância os acontecimentos deste mundo, mas é o próprio Ordenar e Modelador de tudo para a promoção final de Sua glória, não só, apesar da oposição dos homens e Satanás, mas por meio deles, tudo está sendo feito para servir ao Seu propósito. Nem a introdução do mal no universo ocorre simplesmente pela simples permissão do Altíssimo, pois nada pode acontecer em oposição à Sua vontade decretiva. Em vez disso, devemos acreditar que, por razões sábios e santos, Deus predestinou Suas criaturas mutáveis a cair, e, assim, gerar uma ocasião para Ele demonstrar mais e plenamente os Seus atributos.

Partindo da perspectiva de Deus, o resultado da provação de Adão não deixa espaço para nenhuma incerteza. Antes de formá-lo do pó da terra e de haver soprado o fôlego da vida em suas narinas, ele sabia exatamente como a referida provação iria suceder. Sim, e ainda mais: ele decretou que ele deveria comer do fruto proibido. Está claro em 1 Pedro 1:19-20 que nos diz que o derramamento do sangue de Cristo foi, na verdade, “conhecido ainda antes da fundação do mundo” (cf. Apocalipse 13:8). Como Witsius corretamente afirmou em relação ao pecado de Adão: “se ele foi conhecido foi também predestinado, assim Pedro une 'determinado conselho e presciência de Deus’ (Atos 2:23)”. Em plena harmonia com esta verdade, é preciso lembrar que foi o próprio Deus quem colocou no Éden a árvore do conhecimento do bem e do mal! Além disso, o célebre Moderador da Assembleia de Westminster perguntou: “O Diabo não incitou Adão e Eva contra Deus estando no Paraíso? Deus não poderia ter mantido o Diabo fora d Paraíso? Por que Ele não fez isso? Porventura não é manifestamente aparente que era a vontade de Deus que eles fossem tentados, e incitados ao pecado? E por que não?” (W. Twisse, 1653). Deus negou-lhes uma maior manifestação da Sua glória. Assim como se não houvesse noite não poderíamos admirar a beleza do dia, este fundo era necessário escuro no qual a graça e misericórdia Divina pudessem brilhasse mais resplandecente (Romanos 5:20).

Agora é no Evangelho que o remédio maravilhoso para todos os nossos males é revelado. Este glorioso Evangelho proclama que Cristo é capaz de salvar perfeitamente aquele que se achegam a Deus por Ele. Ele nos diz que o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido. Ele anuncia que os pecadores, até mesmo o maior dos pecadores, são os únicos que são livremente convidados a vir. Ele proclama a libertação aos cativos de Satanás e a abertura das portas para os prisioneiros do pecado. Ele revela que Deus escolheu os maiores pecadores para serem os monumentos eternos da Sua misericórdia. Ele declara que o sangue de Jesus Cristo, Filho de Deus, purifica os crentes de todo o pecado. Ele fornece esperança para os casos mais desesperados. Os prodígios que Cristo realizou sobre os corpos dos homens eram tipos de Seus milagres de graça sobre as almas dos pecadores. Nenhum caso estava além de poder para curar. Ele não só deu a vista aos cegos e purificou o leproso, mas libertou o endemoninhado e deu vida aos mortos. Ele nunca recusou um único apelo feito à Sua compaixão. Qualquer que seja o passado do leitor, se ele confiar no sacrifício expiatório de Cristo, ele será salvo, agora e para sempre.

***

Oh mui benigno Salvador, Eterno e Bendito Deus Trino! Santificado seja o Teu nome e Feita a tua vontade, porque Teu é o poder, o reino e a glória para sempre.

A Graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja contigo. Cristo te ilumine. Amém!
 

Informação adicional

Autor