Informação adicional

Autor

A Incomparável Excelência e Santidade de Deus, por Jeremiah Burroughs

REF: 116fe570d046 Categoria:

Descrição

“Ó Senhor … Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?” (Êxodo 15:11).

Lembro-me de anelar por conhecer cada trecho deste escrito pela pena piedosa de Jeremiah Burroughs, assim que li este lindo título… Como pode iluminar a alma o meditar na Grandeza, Beleza e Excelência singulares de nosso Deus!

Agradeço muitíssimo ao Senhor por mais esta tradução que Ele nos concedeu. Lembro-me de realizá-la, não eu, mais a Graça de Deus por mim, em meio a algumas adversidades pessoais e até mesmo dificuldades relativas ao tempo, mas, louvado seja Deus, pois foi ainda mais doce conseguir finaliza-la, e com a Santa Ajuda de nosso Deus, que vai “realizando maravilhas” no meio de Seu Povo, conseguirmos divulgá-la para tantos irmãos!

Espero que todos que passarem os olhos por estas linhas possam ter o mesmo ímpeto maravilhado que saltou de meu coração, linha após linha, parágrafo após parágrafo desta luminosa leitura: “Ó Senhor… quem é como Tu?”.

Você sabia que aquele versículo lá em cima, compõe a primeira canção da Escritura? Eu nunca havia pensado nisso antes de que Jeremiah desvelasse alguns de seus sentidos, belamente assim:
 

“… o espírito de Moisés, admirando e bendizendo a Deus pelas grandes coisas que Ele fizera por Seu povo, não espera pelo fim, mas irrompe bem no meio, em aclamação à glória de Deus, Ó Senhor, quem é como Tu entre os deuses? Quem é como Tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas! Vejam, então, que as palavras são uma porção da canção de Moisés, ocasionada pela bondade de Deus em retirar o Seu povo do Egito e conduzi-los através do Mar Vermelho.

Esta é a mais antiga canção do mundo. É a primeira na Escritura, e nós não conhecemos autor anterior a Moisés. Aqueles que eram habilidosos em poesia vieram centenas de anos depois de Moisés. É uma canção espiritual e sobremodo excelente. O estilo é repleto de elegância, o assunto da mais grandiosa variedade. É eucarística, triunfante, profética, e é de uma piedade que nós não temos tal excelente cântico como este metrificado para ser cantado em nossas congregações. É uma canção mui deleitável, e, portanto, observem que quando Deus promete a misericórdia ao Seu povo, na qual eles poderiam regozijarem-se extremamente, Ele refere-se a esta canção, Oséias 2:15: “E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias de sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito”.

Quando Deus decretava alguma grande misericórdia ao Seu povo, Ele queria que eles cantassem a canção de Moisés. Então depois, se Deus está em um meio de misericórdia, se Ele está abrindo uma porta de esperança para nós, vocês podem ver quão oportuna é esta canção. É uma canção simbólica, como a libertação do povo de Deus do Egito é uma figura da libertação do povo de Deus da escravidão do Anticristo”.

 

***

Não é lindo? Nem preciso explicar porque este é um dos meus trechos preferidos deste Sermão!

Oh, queridos, Deus nos abriu a Porta de nossa Esperança, louvemos desde já ao nosso Senhor: “Ó Senhor … Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?”
 

Informação adicional

Autor