Informação adicional

Autor

A Infinita Condescendência de Jeová Manifesta em Habitar na Terra, por John Gill

REF: 41e5a7b2de96 Categoria:

Descrição

 

“Mas, na verdade, habitará Deus com os homens na terra? Eis que os céus, e o céu dos céus, não te podem conter” [2 Crônicas 6:18a].

Amados, este texto de John Gill trata das abundantes riquezas da Graça de Jeová, pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus [Efésios 2:7], demonstrada em que Deus veio habitar na terra, isto em referência a: 1. Encarnação de nosso Senhor Jesus Cristo e 2. Habitação de Deus entre o seu povo, ou a sua Presença divina na Igreja de Cristo.

Gill, a partir do relato do Capítulo 8 de 1 Reis, sobre a Edificação do Tabernáculo para a habitação da Arca da Aliança de Deus, faz uma bela exposição sobre este tipo da natureza humana do Messias, que seria, séculos depois, desvelado plenamente na vinda de Cristo Jesus ao mundo!

Ao longo da tessitura preciosa composta pela habilidosa e piedosa pena de Gill, somos convidados a adorar a Deus por Sua Infinita Bondade, exclamando com Salomão, e juntamente com todos os santos: “Ó Senhor Deus de Israel, não há Deus como tu, em cima nos céus nem em baixo na terra […] Mas, na verdade, habitará Deus com os homens na terra? Eis que os céus, e o céu dos céus, não te podem conter!”

Como é possível? Que surpreendente é que o Deus Eterno e Três vezes Santo que habita em luz inacessível, tenha Se dignado a humilhar-Se, assumindo a forma humana, forma de Servo, vindo à Terra, para padecer morte vergonhosa e tão terríveis e inexprimíveis humilhações, neste lugar corrompida pelos pecados, tendo permanecido em meio a pecadores, e isto para Redimir, para operar a salvação de tais vis inimigos Seus! “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!”

“Será que Deus, de fato, habitará em tal terra como esta? Ela foi contaminada pelo pecado do homem; foi amaldiçoada por causa dele; Maldita é a terra por tua causa (diz o Senhor a Adão); espinhos e cardos também produzirá [Gn 3:17, 18]. Ela foi cada vez mais contaminada e corrompida pelos pecados dos homens em tempos posteriores, como por aqueles dos homens do velho mundo. Toda a terra foi corrompida e cheia de violência, pois todos os homens haviam corrompido o seu caminho nos tempos de Noé; razão pela qual um diluvio foi trazido sobre a terra. Em tempos depois, a corrupção aumentou, e de fato, em todos os períodos de tempo, tem havido abundâncias do pecado, pelo que a terra se lamenta, por causa da maldição, jurando, mentindo, derramando sangue, e assim por diante. A terra, portanto, está reservada ao fogo, para o dia do juízo, e perdição dos homens ímpios (2 Pedro 3:7). Será que Deus realmente habitará sobre tal terra como esta? Que maravilhoso isto é!”

Sobre a Encarnação de nosso Senhor Jesus Cristo, observe esta maravilhosa afirmação:

“Agora é incrível, que esta grande, gloriosa, e ilustre pessoa habitasse na terra. Na verdade, habitaria Deus na terra? Deus, a Palavra, o Criador de todas as coisas, o qual é sobre todos, Deus bendito para todo o sempre, que habita no mais alto dos céus, e habitará na terra? Em verdade, ele irá, e certamente ele habitou na terra. Foi proposto a ele no antigo conselho e pacto de paz, que ele deveria assumir a nossa natureza, e habitar na terra com os homens mortais: ele concordou com isso, e disse: ‘Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu’ [Salmos 40:7-8], Eu venho em natureza humana: Eu vim ao mundo, e entre os homens; Agrada-me fazer a tua vontade; isto é, obter a redenção para os pecadores perdidos […] Quão impressionante é isso! Será que Deus, em verdade, o Deus do céu e da terra, Deus sobre todos, bendito para sempre, habitaria na terra? e para tal finalidade?”

Não arde o Seu coração, amado, ao lembrar os grandes e soberanos feitos do Senhor, permeados por Suas ternas misericórdias? Ó, querido Irmão, se você pertence a Cristo Jesus, saiba que, ao vir à Terra, o Seu nome estava gravado na palma de sua Mão e em Seu Amoroso coração! Jesus Cristo, o Filho de Deus, o Rei da glória, “vendo que ninguém havia, maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; por isso o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve” [Isaías 59:16]. Ele arrebatou você, como um tição tirado do fogo, pelo Grande amor eternou com que te amou! Quem não se renderia a tão Maravilhosa Pessoa, sempre Bendita! Ó, Senhor, nos regozijamos por tão grande Salvação!

Quanto à habitação de Deus entre o seu povo, observe que preciosidade:

“O Filho de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, habita nos santos, nos seus corações, pela fé [Efésios 3:17]. Quem crê em Cristo, come sua carne, e bebe [seu] sangue; habita em Cristo, e Cristo nele [João 6:56]. Ele habita em todas as suas igrejas, como em sua própria casa, de acordo com isso dizendo, a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim [Hebreus 3:6]. Ele habita entre eles como a sua família, e providencia-lhes comida, roupa, e cada coisa que eles necessitam; ou que é para o seu prazer e deleite espiritual. Ele habita no meio deles, como em seu palácio; sendo eles a cidade do grande rei. Ele habita entre eles como em seu reino: pois um estado da igreja evangélica é chamado o reino dos céus [Mateus 25:1], onde Cristo é reconhecido como rei pelos seus santos; e onde ele reina como rei, e o seu domínio, por todo o sempre. Ali ele habita, e ali ele habitará para sempre; pois ele prometeu estar com suas igrejas e ministros até o fim do mundo […] Ele habita com o seu povo para todo o sempre; pois embora eles possam estar em uma perda de sua presença sensível, às vezes, e perguntam onde ele está, ainda assim ele não se retira deles, de fato. Ele habita com eles ainda; como com Maria, quando ela disse, levaram o meu Senhor e não sei onde o puseram [João 20:13]. Cristo estava naquele momento apenas a seu lado, mas ela não o conheceu. Cristo nunca deixa nem abandona o seu povo: ele habita neles e eles nele.”

Ó, que grande consolo, o fato de que perto está o Senhor! Ele não nos deixou órfãos, mas Ele nos deu o Seu Espírito! Ó, gloriosa bem-aventurança: Ele habita em nós, e estará em nós para sempre!

Crente, por fim, o autor nos lembra sobre o uso de meios estabelecidos pelo nosso Deus, para que busquemos mais doce comunhão com Ele, enquanto estamos no corpo desta morte.

Este texto é um banquete para a alma de todos os pecadores redimidos pelo sangue do Cordeiro, feitos filhos de Deus, pela Graça, por meio da fé em Cristo Jesus nosso Senhor. Mas, você, pecador não-convertido, não ouse aproximar-se desta mesa, sem antes correr para Jesus, e lavar-se em Seu precioso sangue, e ser feito mais alvo do que a neve! Ó, não despreze tão Maravilhoso Salvador! Venha para Jesus, e depois, então, coma e beba dEle, que é verdadeiro Pão e Água da Vida!

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada” [João 14:23].

***

Jeová, Deus eterno, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Tu és Santo, Alto e Sublime. Louvado seja o Teu nome, para sempre, pois Tu habitas na eternidade num Alto e Santo lugar, mas também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e o coração dos contritos. Ajuda-nos a te amar mais, pois quão vil é o lugar aonde vieste morar. Cria em nós, Senhor, um coração puro, limpo, e perfeito diante de Ti. Que repousemos em Ti, somente. Abençoa a todos os que lerem este sermão, transforma aqueles que já escolhestes antes da fundação do mundo, em templos vivos aonde Tu possas habitar e reinar para sempre, isto para louvor e glória de Tua Graça. Tem compaixão de nós, por causa do Amado Jesus. Amém.

Informação adicional

Autor