Oferta!

A Malignidade do Pecado

R$23,94

Em estoque

Descrição

Leitor cristão, o que inicialmente me fez pensar no tema deste livro foi o excesso de impiedade que tem ultrapassado os limites da civilidade e da modéstia comuns. Os espíritos dos homens estão fermentados com o ateísmo e as suas vidas estão manchadas com a devassidão. Não sei como lhes chamar, a não ser de pagãos batizados. Tenho a certeza de que as inundações do pecado estão aumentando, chegando ao nível de um dilúvio. Há uma geração entre nós, sobre a qual posso dizer, que militam contra o evangelho. São tão profanos que estimam a Bíblia como sendo uma fábula e gostariam de banir toda a santidade para fora do mundo! O “príncipe da potestade do ar” opera agora nos filhos da desobediência (Efésios 2:2).

Nos dias do nosso Salvador, muitos corpos de homens estavam possuídos por demônios. Mas agora é são as almas das pessoas que estão possuídas. Um está possuído de um demônio blasfemo, outro de um demônio rancoroso e ainda outro de um demônio de embriaguez. Este é um grande sinal de que o último dia se aproxima: “a multiplicação da iniquidade” (Mateus 24:12). As cobiças dos homens tornaram-se fortes e insaciáveis e, tal como as víboras, elas os envenenam. Mas, ah, quão terríveis e tremendos serão os efeitos do pecado!

“Foram abatidos pela sua iniquidade”. O pecado é como um comércio e quem quer que se envolva nele certamente irá à falência. O que Acã conseguiu com a sua cunha de ouro? Aquela cunha separou a sua alma de Deus! O que Judas conseguiu com a sua traição? Ele comprou uma corda! O que o rei Acaz obteve ao adorar os deuses de Damasco? Eles foram a ruína dele e de todo o Israel (2 Crônicas 28:23). O pecado é primeiramente agradável e finalmente trágico! Posso aplicar adequadamente estas palavras de Salomão ao pecado: “A muitos feridos derrubou” (Provérbios 7:26). Ah, quão grande é a colheita de almas que o Diabo provavelmente terá! “O inferno grandemente se alargou” (Isaías 5:14). Foi a cobiça que abriu espaço para os seus convidados. É algo a ser lamentado que Dragão tenha tantos seguidores enquanto o Cordeiro tenha tão poucos!

Cipriano retrata o Diabo insultando a Cristo da seguinte maneira: “Quanto aos meus seguidores, eu nunca morri por eles como Cristo morreu pelos seus. Nunca lhes prometi uma recompensa tão grande como Cristo fez aos seus; no entanto, tenho mais seguidores do que ele e os meus seguidores se arriscam mais por mim do que os dele por ele”!
Alguns pecam por ignorância, mas até mesmo os cegos podem encontrar o caminho para o inferno. Entretanto, a maioria dos pecados é por escolha. Eles conhecem que o fruto proibido, contudo ainda o cobiçam, embora saibam no dia em que o comerem certamente morrerão!

O meu propósito neste pequeno tratado é estimular os pecadores autoexame e fazer um alerta piedoso aos ouvidos deles para os dissuadir da busca por suas impiedades. Se apesar de todas as minhas admoestações, eles contrariarem a Palavra de Deus e se prostituírem com as suas luxúrias sórdidas então eles são suicidas da alma e o seu sangue estará sobre a própria cabeça deles! E Deus lhes dirá em sua ira: “O que morrer, morra; e o que for destruído, seja destruído” (Zacarias 11:9).

A pedido de alguns amigos tornei esse discurso público. Reconheço que ele não está cheio de recursos retóricos e nem embelezado com as flores da eloquência. A pregação de Paulo não consistia “em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder” (1 Coríntios 2:4). A clareza é sempre o melhor recurso para derrotar o pecado! Quando uma ferida é feita, é melhor tratá-la do que cobri-la com seda.
Leitor, que Deus lhe abençoe por meio dessas breves meditações e as torne eficazes ao seu coração. Essa é a oração daquele que é seu amigo e que se dedica pelo seu bem-estar eterno.

— Thomas Watson

Informação adicional

Peso 0.120 kg
Dimensões 21 × 14 × 0.7 cm
Autor

Páginas

128

Acabamento

Brochura

Ano

2022

Você também pode gostar de…