Informação adicional

Autor

A Manifestação da Eleição, por A. W. Pink

REF: dd4112ab0433 Categoria:

Descrição

 

ARQUIVO TEMPORARIAMENTE INDISPONÍVEL PARA DOWNLOAD

_____________________________________________________________________

 

Nesta belíssima exposição sobre a Eleição Eterna de Deus, em Cristo Jesus, o querido Arthur Pink trata de uma verdade tão profunda, porém de forma mui simples e prática. Há luz e calor nestas linhas, irmãos!

As amáveis meditações sobre as operações graciosas de Deus ao chamar eficazmente e preservar o Seu povo, de modo a resgata-los da condição de morte espiritual e rebelião, e conduzi-los em plena segurança para a glória eterna, são instrutivas, consoladoras, e de uma sublimidade inefável! Quão maravilhoso é contemplar as evidências da manifestação no tempo, dos decretos eternos e insondáveis de Jeová! Ah, comamos da gordura, e bebamos da doçura! Que o Senhor possa fazer assim!

“Por Seu ato eletivo, Deus tomou a Igreja em uma relação definida e pessoal com Ele, de forma que Ele reconhece e considera seus membros como Seus filhos queridos e povo. Consequentemente, mesmo quando eles estão em um estado natural, antes de sua regeneração, Ele os vê e os possui como tal. Isso é muito abençoado e maravilhoso, embora, infelizmente, seja uma verdade que é quase desconhecida na atual Cristandade.”

“É bem verdade que os eleitos de Deus são “por natureza filhos da ira, como os outros também” (Efésios 2:3), no entanto, as suas pessoas foram amadas por Ele com um amor eterno. Consequentemente, antes que o Espírito seja enviado para vivifica-los em novidade de vida, o Senhor Deus contempla e fala sobre eles como Seus.”

“Na mente infinita de Jeová, todo o Seu amor sobre as pessoas dos eleitos foi concebido desde a eternidade, com as diversas formas e os meios pelos quais o mesmo deve ser apresentado e feito conhecido em uma condição de tempo, para que a Igreja possa ser mais claramente obtê-lo. Como aprouve ao Senhor, não obstante o Seu amor eterno por Seu povo em Cristo, o querer a sua queda de um estado de criatura pura em depravação, assim também a sua redenção do mesmo foi predeterminado. Uma transação da aliança eterna ocorreu entre o Pai e o Filho, no qual este último comprometeu-Se a assumir a natureza humana e agir como seu Fiador e Redentor. Sua encarnação, vida e morte foram estabelecidos como os meios da salvação deles.”

“O amor eterno de Deus por Seu povo escolhido é desvelado em uma variedade de formas e meios, o principal deles sendo os dons inestimáveis ??de Seu Filho por eles e de Seu Espírito neles. Assim, temos até agora permanecido acima, primeiro, a encarnação e a missão de Cristo como a principal abertura do coração do Pai para os Seus próprios, pois enquanto a glorificação da Trindade era Seu desígnio principal nisso, ainda assim, inseparavelmente conectado com isso estava a bênção de Seus santos. Em segundo lugar, o gracioso propósito de Deus manifesta-se pela comunicação do Espírito para os eleitos, segundo a que são feitos os sujeitos de um chamado sobrenatural. Em terceiro lugar, isso é ainda mais evidente realizado pela mudança sobrenatural neles, operada pela regeneração e santificação do Espírito.”?

“Agora o coração de Deus está tão estabelecido sobre esta glória como Sua primeira e última finalidade para o Seu povo que, quando Sua graça eletiva é feita conhecida em nosso chamado, Ele, então, nos concede o pleno direito à mesma. Embora Ele suspende o dar-nos a plena posse dela por alguns anos, mas Ele não suspende o pleno título da mesma, pois a totalidade da salvação é, então, estabelecido sobre eles. Um belo (e proposital) tipo disso é encontrado em 1 Samuel 16:18. À visão aberta de seus irmãos, Deus enviou Samuel a Davi, enquanto ele ainda era jovem, e o ungiu rei, investindo-o assim do seguro direito ao reino de Israel — sendo esta unção o penhor e garantia de todo o restante. Mas, por muitos anos a posse do reino de Davi foi adiada e, durante esse tempo, ele sofreu muito nas mãos de Saul; no entanto, Deus milagrosamente o preservou e trouxe-o com segurança para o reino.”

“Aqui, então, é como a eleição secreta de Deus na eternidade passada é manifestada abertamente ao Seu povo neste estado temporal: por meio de um chamado sobrenatural, e por milagrosamente conduzi-los através do mundo, que é tão hostil às suas almas quanto a fornalha da Babilônia era aos corpos dos três Hebreus.”

Que Deus Se agrade em abençoar muitos de Seus amados através deste escrito, e que muitas ações de Graça sejam elevadas a Ele, o Deus de toda Graça, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo, desde agora e por toda a eternidade. Cristo amado, sê exaltado! Amém.
 

Informação adicional

Autor