Informação adicional

Autor

A Oposição à Doutrina da Eleição, por A. W. Pink

REF: 2eaa6d57dc8f Categoria:

Descrição

Nesta defesa formidável da Doutrina Bíblica da Eleição de Deus, frente aos que a ela se opõem, A. W. Pink busca refutar muitas calúnias levantadas a esta doutrina por aqueles que não a conhecem ou a odeiam.

Esta doutrina tem sido muito odiada ao longo dos tempos e muitos são aqueles que a negam, embora isto se deva a mera ignorância, você a nega? Você sabe o que ela significa?

Leia algumas palavras do autor:

Onde quer que a doutrina da Eleição seja biblicamente apresentada reunir-se-ão contra ela com oposição feroz e clamor amargo. Tem sido assim ao longo de todo o curso desta era Cristã, e isto, entre todas as raças e classes de pessoas. Deixe as altas prerrogativas de Deus serem estabelecidas, deixe a soberania de Sua graça ser proclamada, deixe ser dito aos homens o que eles nada mais são do que barro nas mãos do Oleiro Divino para serem moldados em vasos de ira ou vasos de misericórdia, conforme bem parecer aos olhos de Deus, e no mesmo instante há um tumulto e gritos de protesto. Deixe o pregador insistir que a criatura caída não tem qualquer direito sobre o seu Criador, que ela está diante dEle como um criminoso condenado, e não possui nenhum direito, exceto o de ser eternamente condenado, e deixe-o declarar que todos os descendentes de Adão são tão absolutamente depravados que suas mentes estão em “inimizade contra Deus” e, portanto, em um estado de insubordinação desenfreado, que seus corações são tão corruptos que não têm desejo pelas coisas espirituais, e que suas vontades estão tão completamente sob o domínio do mal que eles não podem converterem-se ao Senhor, e tal pregador será denunciado como um herege.

Mas isso não deve nem surpreender e nem ser estranho para o filho de Deus. À medida que ele se torna mais familiarizado com as Escrituras, ele vai descobrir que em cada geração os servos fiéis de Deus têm sido odiados e perseguidos, alguns por proclamar uma parte da verdade, e alguns por proclamarem a outra parte. Quando o sol brilha sobre um monturo, um fedor odioso é a consequência; quando os seus raios caem sobre as águas estagnadas de um pântano, os germes insalubres são multiplicados. Mas neste caso o sol deve ser responsabilizado? Certamente que não. Assim, quando a espada do Espírito, corta pela raiz o orgulho humano, e revela que o homem é um ser caído e sujo, e o reduz a uma criatura impotente, colocando ele no pó como um mendigo miserável, e declara que ele é totalmente dependente do beneplácito de distinção de um Deus soberano, então há uma tempestade de oposição evocada, e um esforço resoluto é feito para silenciar tais ensino que são fulminantes para a carne.

O método que é geralmente seguido por aqueles que rejeitam esta verdade é a deturpação. A doutrina da Eleição é tão grande e gloriosa que para que seja produzida qualquer oposição contra ela deve ser por meio de sua perversão. Aqueles que a odeiam nem podem olhar para e nem falar dela como ela realmente merece. A Eleição é tratada por eles como se não incluísse uma designação para a fé e para a santidade, como se através desta não fôssemos conformados à imagem de Cristo; sim, como se os eleitos de Deus pudessem continuar a cometer todo tipo de maldade e ainda ir para o céu; e que quanto aos não-eleitos, não importa quão virtuosos eles sejam, ou quão ardentemente eles desejem e lutem por justiça, eles certamente perecerão. Inferências falsas são esboçadas, paródias grotescas são exibidas e táticas inescrupulosas são empregadas para criar preconceitos.

É por tais esforços diabólicos que os inimigos de Deus procuram distorcer e destruir esta bendita doutrina. Eles a mancham com lama, buscam sobrecarregá-la com as coisas odiosas, e apresentá-la ao olhar indignado de homens como algo a ser rejeitado e abominado. Um monstro de iniquidade é assim criado e chamado de “Eleição”, e, em seguida, é apresentado ao mundo como algo a ser repudiado como algo maligno. Assim, as multidões foram enganadas a respeito de uma das porções mais preciosos da verdade Divina, e, assim, alguns do próprio povo de Deus têm sido extremamente perplexos e perseguidos. Que os adversários confessos de Cristo devem insultar a doutrina ensinada por Ele e Seus apóstolos é de se esperar; mas quando aqueles que professam ser Seus amigos e seguidores se juntam ao e falam contra esta verdade, isto serve apenas para demonstrar a astúcia da antiga serpente, o Diabo, que nunca está mais satisfeito do que quando ele pode persuadir cristãos nominais a fazer seu trabalho vil para ele. Então não se deixe o leitor ser abalado por tal oposição.
 

Informação adicional

Autor