Informação adicional

Autor

A Porção dos Ímpios, por Jonathan Edwards

REF: dda554149d56 Categoria:

Descrição

Este sermão é uma solene exposição, alicerçada em Romanos 2: 8-9: “Mas ira e indignação aos facciosos, que desobedecem à verdade e obedecem à injustiça. Tribulação e angústia virão sobre a alma de qualquer homem que faz o mal, ao judeu primeiro e também ao grego.”

Eis o seu esboço:

1. Uma descrição dos ímpios, na qual podem ser observadas aquelas suas características que têm a natureza de uma causa, e as que têm a natureza de um efeito.

2. Encontramos também a punição dos ímpios, na qual podem ser também notados a causa e o efeito.

Doutrina: Indignação, ira, miséria e angústia de alma são a porção que Deus reservou aos ímpios.

I. Descreverei a ira que frequentemente acompanha os ímpios nesta vida. Indignação e ira, com frequência, os alcançam ainda aqui.

1. Deus, com frequência, na Sua ira, os entrega a si mesmos.

2. Indignação e ira são, às vezes, exercidas contra eles neste mundo, sendo amaldiçoados em todas as suas ocupações.

3. Depois de um tempo devem morrer.

4. Os ímpios são, às vezes, objetos de muita tribulação e angústia de coração nos seus leitos de morte.

II. Descreverei agora a ira que acompanha os ímpios no porvir.

1. A alma, quando separada do corpo, será lançada no inferno.

2. Aqui, as almas dos ímpios sofrerão miséria extrema e incrível, em um estado separado [do corpo], até ao dia da ressurreição.

3. As almas separadas dos ímpios, além da miséria presente que sofrem, estarão em terrível medo de seu julgamento mais pleno no Dia do julgamento.

4. Quando vier o dia do julgamento, deverão levantar-se para a ressurreição da condenação.

5. Então, aparecerão diante do seu Juiz para prestar contas.

6. Então a sentença da condenação será pronunciada pelo Juiz sobre eles.

7. Então a sentença será executada.

8. Nesta condição permanecerão por todas as infindáveis eras da eternidade.

Aplicação

I. Assim, que cuidado temos que ter que nosso fundamento para a eternidade esteja assegurado!

II. Também podemos derivar um argumento para o despertamento dos ímpios.
1. Você não tem razão alguma para questionar a realidade destas misérias e tormentos futuros, que são ameaçados na Palavra de Deus.
2. Não há razão para pensar que seja possível que os ministros [do Evangelho] apresentem este assunto além do que realmente seja; que possivelmente não seja tão horrível e terrível como se pretende, e que os ministros forçam a sua descrição além dos limites justos.

III. Da mesma maneira, pode ser derivado um argumento para convencer os ímpios da justiça de Deus ao reservar-lhes tal porção.
1. Como seria justo se Deus o abandonasse a si mesmo: seria muito justo se Deus rejeitasse estar com você ou ajudá-lo.
2. Como seria justo se você fosse amaldiçoado em todos os seus interesses neste mundo!
3. Como seria justo se Deus o cortasse e pusesse um fim a sua vida!
4. Como seria justo se você morresse no maior horror e espanto!
5. Como é justo que você deva sofrer a ira de Deus em outro mundo!
6. Como seria justo se você fosse entregue nãos mãos do diabo e seus anjos, para ser atormentado para sempre, já que voluntariamente se entregou para servi-los aqui!
7. Como seria justo se o seu corpo fosse feito objeto do tormento do porvir, o mesmo corpo que você tornou instrumento do pecado neste mundo!
8. A maior objeção dos ímpios contra a justiça do futuro castigo que é ameaçado por Deus advém da grandeza desse castigo.
(1) Esta punição, tão terrível quanto seja, não é maior do que o grandioso e glorioso Ser contra quem você pecou.
(2) Sua natureza não abomina mais esta miséria que você ouviu, do que a natureza de Deus abomina o pecado de que você é culpado.
(3) Você não se preocupou com o quanto a honra de Deus tem sofrido; e por que Deus deveria se preocupar que a sua miséria não fosse tão grande?
(4) Tão grande quanto seja esta ira, não é maior do que o amor de Deus que você desprezou e rejeitou.
(5) Se você reclama desta punição como sendo muito grande, então por que ela não foi grande o suficiente para o impedir de pecar?
(6) Você não tem motivo para reclamar da punição ser injusta; pois muitíssimas vezes provocou a Deus com o seu pior.

***

Que o Senhor aplique Sua Palavra com poder aos nossos corações, por amor de Cristo Jesus, que nos livra da Ira Vindoura. Amém.
 

Informação adicional

Autor