Informação adicional

Peso 0.160 kg
Dimensões 14 × 21 × 1 cm
Autor

Páginas

96

Acabamento

Brochura

Ano

2020

ISBN

978-65-00-07251-8

A Soberania de Deus na Salvação dos Pecadores

R$25,00

Em estoque

Descrição

Sumário

Sermão 1
A Soberania de Deus na Salvação dos Homens

  1. O tratamento diferente de Deus para com os homens.
  2. O fundamento de Seu diferente tratamento para com a humanidade, a saber, Sua soberana vontade e prazer.

I.  Mostrarei o que é a soberania de Deus

  1. Em oposição a qualquer restrição.
  2. Em oposição a ela estar sob a vontade de outrem.
  3. Em oposição a qualquer obrigação própria.

II.  Em que a soberania de Deus na salvação dos homens implica

  1. Deus pode, sem prejuízo para a glória de qualquer um de Seus atributos, conceder a salvação para qualquer um dos filhos dos homens, exceto para aqueles que cometeram o pecado contra o Espírito Santo.
  2. Deus pode salvar qualquer um deles, sem prejuízo da honra de Sua santidade.
  3. Deus pode salvar qualquer um dos filhos dos homens, sem prejuízo da honra de Sua majestade.
  4. Deus pode salvar qualquer pecador em consistência com a sua justiça.
  5. Deus pode salvar qualquer pecador, sem qualquer prejuízo para a honra de Sua verdade.

III.  Deus realmente exerce a sua soberania na salvação dos homens

  1. Ao chamar um povo ou nação, e dar-lhes os meios da graça, e deixando outros sem esses.
  2. Deus exerce Sua soberania nas vantagens que ele concede a pessoas particulares.
  3. Deus exerce Sua soberania algumas vezes concedendo salvação aos pequenos e medíocres, e a nega aos sábios e grandes.
  4. Concedendo salvação a pessoas que tiveram poucas vantagens.
  5. Deus exerce Sua soberania em chamar alguns para a salvação, que têm sido muito horrendamente ímpios, e deixando outros, que foram pessoas morais e religiosas.
  6. Na salvação de alguns daqueles que buscam a salvação, e não outros.

IV.  Razões pelas quais Deus, assim, exerce sua soberania na salvação eterna dos filhos dos homens

  1. É agradável para o desígnio de Deus na criação do universo exercer cada atributo, e, assim, manifestar a glória de cada um deles.
  2. A mais excelente criatura está sob Deus, que é soberano; e quanto maior for a posição em que ela aparece, mais gloriosa é a sua soberania.

APLICAÇÃO

  1. Assim aprendemos que somos absolutamente dependentes de Deus nesta grande questão da salvação eterna de nossas almas.
  2. Vamos com a maior humildade adorar a terrível e absoluta soberania de Deus.
  3. Aqueles que estão em um estado de salvação atribuem à graça soberana somente, e dão todo o louvor Ele, que os faz diferente dos outros.
  4. Assim aprendemos por que causa temos de admirar a graça de Deus, pois Ele condescendeu a se ligar a nós por Pacto.
  5. E, por último, podemos fazer uso dessa doutrina para proteger aqueles que buscam a salvação de dois extremos opostos: presunção e desânimo.

Sermão 2
Pecadores nas Mãos de um Deus Irado

  1. Não falta poder a Deus para lançar os ímpios, a qualquer momento, no inferno.
  2. Eles merecem ser lançados no inferno, de modo que a justiça divina jamais se interpõe e nem oferece qualquer impedimento para que Deus use seu poder a qualquer momento para destruí-los.
  3. Eles já estão sob uma sentença de condenação ao inferno.
  4. Eles são agora os objetos do mesmo furor e da ira de Deus, que são expressos nos tormentos do inferno.
  5. O Diabo está pronto para cair sobre eles e abatê-los como possessão sua no momento em que Deus o permitir.
  6. Reinam nas almas dos ímpios aqueles princípios infernais, que agora mesmo os inflamariam e incendiariam no fogo do inferno, se Deus não os restringisse.
  7. O fato de que não haja meios visíveis de morte às vistas não representa segurança para os ímpios, nem sequer por um instante.
  8. A prudência dos homens naturais e seu cuidado para preservar a própria vida ou o cuidado de outros para preservá-las não lhes concede segurança nem por um instante.
  9. Todos os esforços e planos que os ímpios fazem para escapar do inferno, ao mesmo tempo em que insistem em rejeitar a Cristo e permanecem, portanto, na impiedade, não os livram um só instante do inferno.
  10. Deus não impôs nenhuma obrigação a si mesmo, por qualquer promessa, de manter os não convertidos fora do inferno por um momento sequer.

Aplicação

  1. De quem é essa ira: é a ira do Deus infinito.
  2. É à ferocidade de sua ira que você está exposto.
  3. A miséria a que vocês estão expostos é a que Deus infligirá com o propósito de mostrar qual é a ira de Yahwéh.
  4. É uma ira eterna.

Sermão 3
Perdão para os Maiores Pecadores

  1. Ele implora perdão por causa do nome de Deus.
  2. O salmista usa a grandeza de seus pecados como argumento para misericórdia.

I.  Devemos ver a nossa miséria, e nos sensibilizarmos da nossa necessidade de misericórdia.

II.  Eles devem ser sensíveis que não são dignos da misericórdia de Deus.

III.  Eles devem vir a Deus por misericórdia em e através de Jesus Cristo somente.

  1. A misericórdia de Deus é tão suficiente para o perdão de grandes pecados quanto para os menores; e isso porque Sua misericórdia é infinita.
  2. A satisfação do sacrifício de Cristo é tão suficiente para a remoção da maior culpa quanto da menor.
  3. Cristo não se recusará a salvar grandes pecadores, que de maneira correta vierem a Deus por misericórdia; pois esta é Sua obra.
  4. Aqui a glória da graça pela redenção de Cristo deve consistir em Sua suficiência para o perdão dos maiores pecadores.
  5. Perdão é tão oferecido e prometido para os grandes pecadores como para qualquer outro, se eles vierem de maneira correta a Deus.

APLICAÇÃO

 

 

Informação adicional

Peso 0.160 kg
Dimensões 14 × 21 × 1 cm
Autor

Páginas

96

Acabamento

Brochura

Ano

2020

ISBN

978-65-00-07251-8