Informação adicional

Autor

Anciãos Bíblicos, Nomeação, Função, Características e Encorajamento, por Nehemiah Coxe

REF: a4530398733f Categoria:

Descrição

Recomendamos com alegria esta publicação sobre o sublime chamado dos ministros do Evangelho! Este volume é composto de um Excerto da preciosa obra “Anciãos e Diáconos Bíblicos”. 

Eis o seu esboço:

“Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei” (Tito 1:5).

A. A Continuação dos Anciãos.

Bispos ou anciãos são oficiais comuns na igreja, de direito e designação Divinos, e devem ser ali continuados até o fim do mundo.

B. Bispos, Presbíteros, Anciãos, Pastores e Professores.

C. As Qualificações Exigidas da Pessoa que Realiza este Ofício.

Em primeiro lugar, quanto às qualificações necessárias de um ancião ou bispo, elas são particular e integralmente descritas para nós em Tito 1:6-9 comparado com 1 Timóteo 3:2-7.

Esta é a regra de julgamento que todas as igrejas são obrigadas a ter em sua vista e diligentemente atender em sua eleição de anciãos. Ao fazê-lo, Cristo aprova a sua escolha, e o Espírito Santo torna-os presbíteros; pois os dons, graça e autoridade de um ministro do Evangelho são a partir dEle; e nenhum homem ou sociedade de homens sob o Céu pode, de jure2, constituem como ministro aquele a quem Cristo não qualificou para tal serviço. A validade de todos os atos da igreja depende, e é determinada por sua conformidade com a regra da santa vontade e testamento de Cristo.

D. As Funções de um Ancião.

1. Os Deveres Públicos.

a. O pastor se destaca como uma pessoa intermediária entre Deus e o povo.

1) Orações públicas.

2) Pregação.

a) Seja cuidadoso ao lidar com as almas e consciências dos homens, como sabendo que é pela salvação das almas que você está trabalhando, a cura das almas está confiada a você, e você terá que fazer uma prestação de contas, por elas, a Deus.

b) Para que isso possa ser feito, certifique-se de que você fala “segundo as palavras de Deus” (1 Pedro 4:11), e pregue ao povo a doutrina que é retirada da pura fonte da Palavra de Deus. Nada menos do que a evidência da autoridade Divina é que irá operar sobre a alma, e conduzir a consciência de um homem, seja por meio de conforto, exortação ou reprovação — é o carimbo do Céu sobre as coisas pregadas por você que as tornará poderosas.

c) Lembre-se de que o dever requerido por sua posição não é pregar a você mesmo, mas ao Senhor Jesus Cristo (2 Coríntios 4:5).

b. É seu dever administrar as Ordenanças.

c. É seu dever exercer a disciplina na igreja.

2. Os Deveres Privados.

O Dever De Um Pastor Para Com Seu Povo.

A. Um Ministro De Cristo Ao Povo.

B. Se você tiver recebido o seu ofício de Cristo, você deverá ser responsável para com Ele para executá-lo; o mordomo um dia prestará contas ao seu Senhor, e três vezes feliz é aquele a quem Cristo dirá no dia do acerto de contas: “Bem está, servo bom e fiel… entra no gozo do teu senhor” (Mateus 25:21).

C. Aqueles que Cristo emprega em Seu trabalho podem esperar Sua presença e assistência graciosa em todas as dificuldades que a acompanham.

D. Vendo ele está envolvido no serviço de Cristo, o galardão da fecundidade nisso é certo; Cristo não deixará de mostrar ser um generoso Senhor e Mestre para aqueles que O servem.

B. O Cuidado E Encargo De Almas.

O Dever Das Pessoas Em Relação Aos Seus Pastores.

Pastores capazes e fiéis são uma grande bênção e frutos especiais do amor de Cristo à Sua Igreja, e Ele também espera e exige o aperfeiçoamento de um tão grande talento, e o alegre desempenho de seu dever para com os seus ministros, assim como Ele os encarrega estritamente a aplicarem-se com plenamente e com toda a fidelidade e diligência nas suas posições.

A. Os Deveres Da Congregação.

1. Você deve ter grande amor para com seu pastor por causa do seu trabalho.

2. Você deve submissão a eles no desempenho das suas funções.

3. Vocês Devem Orar Continuamente A Deus Por Eles.

4. Vocês São Obrigados A Fornecer Um Sustento Confortável Para Eles.

a. Lembre-Se Das Obrigações Pastorais.

1) Um ministro é obrigado a atender inteira e somente à sua vocação ministerial, e não se enredar nos negócios desta vida, para ele possa agradar a Deus que o chamou para esta guerra espiritual — e nada, senão uma real necessidade pode dispensar o contrário (2 Timóteo 2:1-7).

2) Não é menos dever de um ministro do que de outros homens, sustentar a sua própria família, e (aqueles que fazem parte dela) cuidar de sua esposa e filhos, os quais não podem ser deixados expostos a mil misérias e tentações caso ele lhes falte.

3) Um ancião ou bispo está sob um encargo especial de ser hospitaleiro, e fazer de si mesmo um padrão de caridade e generosidade compassiva para com as pobres almas. E

b. Razões Pelas Quais A Congregação Está Obrigada A Desempenhar Este Dever.

1) Pela Lei Eterna Da Natureza.

2) Por Ordem Expressa E Nomeação De Cristo.

3) Por Conta Do Grande E Manifesto Mal E Inconveniência Que Segue A Negligência Dos Mesmos.

B. Como A Congregação Pode Incentivar O Pastor.

1. Em primeiro lugar, lembre-se de que seu pastor é o ministro de Cristo, que dispensa os mistérios de Deus para você em Seu Nome; e, portanto, quando o ministro está agindo em sua posição, de acordo com o seu dever, o Senhor Jesus reputa como Ele mesmo tendo feito aquilo por Seu ministro — pois Jesus disse: “Quem vos ouve a vós, a mim me ouve; e quem vos rejeita a vós, a mim me rejeita; e quem a mim me rejeita, rejeita aquele que me enviou” (Lucas 10:16).

2. Em segundo lugar, é no negócio da vossa salvação, e no cuidado com as vossas almas preciosas e imortais, que um ministro está empenhado; e, portanto, é muito mais do que seu próprio interesse do que do dele que você execute o seu dever conscientemente.

“Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver” (Hebreus 13:17).
 

Informação adicional

Autor