Informação adicional

Autor

Formato

PDF

Páginas

14

Título Original

The Absurdity of Unbelief: A Worldview Apologetic of the Christian Faith (Capítulo 26)

Ano

2020

Iluminação Espiritual: Como o Espírito Santo nos Leva a Cristo

Descrição

Iluminação Espiritual

Como o Espírito Santo nos Leva a Cristo


(O texto deste eBook é o capítulo 26 do livro, O Absurdo da Incredulidade.)

 

Por causa da nossa condição de espiritualmente mortos, continuaremos a rejeitar Cristo até que o Espírito Santo vivifique os nossos corações e mentes. Não correremos para Cristo até que as trevas sejam removidas e possamos ver claramente. É por isso que a iluminação espiritual é necessária.

 

A Luz Divina

A iluminação espiritual é o poder influenciador do Espírito Santo agindo nas e através das Escrituras para dar luz e entendimento espiritual às mentes e corações do povo de Deus, o que os capacita a crer, receber e obedecer voluntariamente à verdade da Palavra de Deus. Assim, o testemunho do Espírito Santo não é uma nova revelação (independente da Escritura), mas o Espírito Santo falando nas palavras da Escritura.[1] A iluminação espiritual nunca vai além da verdade apresentada no texto. É a Palavra escrita que o Espírito usa para abrir os corações do nosso entendimento. Quando isso ocorre, os crentes sabem com certeza que estão ouvindo Deus pessoalmente falar com eles a partir das páginas da Escritura (Lucas 24:45, 1 Tessalonicenses 2:13-14).[2] Por causa do testemunho do Espírito que nos fala nas reivindicações da verdade das Escrituras, as Escrituras são autoautenticantes. Como Calvino explicou:

Aqueles a quem o Espírito Santo ensinou interiormente confiam de verdade na Escritura, e a Escritura realmente autentica a si mesma; portanto, não é correto sujeitá-la à prova e a arrazoamentos… Pois mesmo que ela admita reverência para si mesma por sua própria majestade, ela somente nos afeta seriamente quando é selada sobre nossos corações pelo Espírito… Não buscamos provas, nem marcas de autenticidade sobre as quais nosso julgamento possa se basear; mas submetemos nosso julgamento e compreensão a ela como a algo que está muito além de qualquer especulação![3]

Mas não nos confundamos, a iluminação espiritual não é o Espírito fortalecendo as Escrituras (como se fossem meras palavras mortas), mas o Espírito iluminando as mentes e os corações dos crentes pelas palavras da Escritura. O problema não está em nenhuma deficiência da Palavra escrita, mas nas trevas e rebelião de nossos corações (Efésios 4:18). Neste sentido, a iluminação é o Espírito de Deus falando em, por e através das Escrituras para trazer luz às mentes cegas e aos corações mortos para que eles possam receber e entender corretamente as Escrituras. É por isso que Edwards entendeu que a iluminação do coração não ocorre sem a iluminação da mente: “As santas afeições não são calor sem luz; mas sempre surgem da informação do entendimento, alguma instrução espiritual que a mente recebe, alguma luz ou conhecimento real”.[4]

Por essa razão, abraçamos as reivindicações da verdade da Bíblia não com base em evidências externas, argumentos racionais ou mesmo na apresentação coerente da cosmovisão cristã, mas no Espírito Santo iluminando a verdade da Palavra de Deus para nós. Como foi esclarecido por Calvino:

Que se considere, portanto, como estabelecido, que aqueles que são ensinados interiormente pelo Espírito Santo concordam implicitamente com a Escritura; que a Escritura, ao levar consigo a sua própria evidência, não pretende se submeter a provas e argumentos, mas deve ao testemunho do Espírito a plena convicção com que a devemos receber. Iluminados por Ele, já não acreditamos nem por nosso próprio julgamento nem pelos dos outros, que as Escrituras provém de Deus; mas, de uma forma superior ao julgamento humano, sentimo-nos perfeitamente seguros — tanto quanto se víssemos a imagem divina visivelmente impressa nela — de que ela veio até nós, pela instrumentalidade dos homens, a partir da própria boca de Deus. Não pedimos provas sobre as quais o nosso julgamento possa descansar, mas submetemos nosso intelecto e julgamento à Escritura como mais transcendente do que possamos estimar.[5]

 

A Fé Divina

A iluminação espiritual traz à luz o novo nascimento e a fé. Uma vez que os olhos de nossos corações possam ver claramente, nós nascemos de novo. E, uma vez que temos nova vida em Cristo, não podemos deixar de crer. O novo nascimento não nos força a crer contra a nossa vontade, mas transforma a nossa natureza ao renovar a Imago Dei com a infusão do amor de Deus, para que nos tornemos dispostos… [Continua, baixe o Ebook.]

 


[1] Edward Young afirmou que a Iluminação “não é a comunicação para nós de informações além do que está contido na Bíblia”. Não é a transmissão de novos conhecimentos. Não é uma nova revelação de Deus ao homem. Antes, é aquele aspecto da obra sobrenatural do novo nascimento, na qual os olhos do nosso entendimento foram abertos para que nós, que antes estávamos na escuridão e na escravidão do pecado, passemos a ver aquilo para o que antes estávamos cegos” (Thy Word is Truth. Edinburgh: Banner of Truth Trust, 1963., 34).

[2] John Owen escreveu o seguinte: “Uma vez que a mente de Deus foi reduzida à escrita, cada homem mortal e individual, que tiverem acesso às Escrituras, ouve a voz de Deus falando com ele não menos diretamente do que se ele estivesse ouvindo próprio Deus falando audivelmente com ele… Até mesmo a voz falada não pode alcançar os ouvidos dos homens senão através de um meio de comunicação, isto é, o ar do qual ela é formada; assim também não pode ser negado que a Escritura é a voz de Deus falando aos homens, embora ela seja transmitida por meio de comunicação escrita. A Palavra de Deus não é diminuída de modo algum pelo simples fato de ter sido reduzida à escrita” (Biblical Theology. 374-75).

[3] Institutes, trans. Henry Beveridge (Grand Rapids: Eerdmans, 1989), 1.7.5.

[4] Ibid.,192.

[5] Ibid.

Informação adicional

Autor

Formato

PDF

Páginas

14

Título Original

The Absurdity of Unbelief: A Worldview Apologetic of the Christian Faith (Capítulo 26)

Ano

2020