Informação adicional

Autor

Formato

eBook/PDF

Ano

2020

O Dia do Senhor

Descrição

O Dia do Senhor

 

(O texto deste eBook é o cap. 9 do livro, Teologia Bíblia Batista Reformada)

 

Você tem uma esposa? Então precisa considerar como deve se comportar em relação a ela relação e, para fazer isso corretamente, você deve considerar se sua esposa é crente ou não…

Entendemos que Cristo não veio revogar a lei e que o cristão não está debaixo da lei como um pacto de obras, ele não se encontra mais debaixo da condenação ou maldição da lei. Portanto, Cristo não aboliu a lei moral, antes a cumpriu e a confirmou. Mas não somente isso, Ele também corrigiu a interpretação errônea dos fariseus acerca dela, sua hipocrisia e seu legalismo, e mostrou o real significado da lei. O problema não são os mandamentos em si, mas a deturpação deles, como os legalistas fizeram ao acrescentar regras e colocar um peso maior do que era exigido do povo nas Escrituras.

Outrossim, Cristo também explicou, no sermão do monte, que a raiz dos mandamentos é mais profunda do que se imaginava, Cristo expõe o verdadeiro significado da lei. Por exemplo, Ele demonstra que o “não matarás” não trata somente de não assassinar literalmente, mas que, desde o ódio no coração e o insulto com os lábios, o mandamento já está sendo quebrado e o transgressor se torna réu do juízo divino. Da mesma maneira, o mandamento “não adulterarás” não se limita à consumação do adultério, mas o mandamento já está sendo quebrado desde a cobiça com os olhos e o desejo do coração, e assim por diante. Cristo expõe a correta interpretação da lei.

Além disso, o cristão deve compreender que os mandamentos de Deus são para o seu próprio bem, e protegem aquilo que é mais valioso: a vida, o casamento, a glória de Deus entre outras coisas. Por exemplo, o mandamento “não matarás” protege a vida. Se alguém mata uma pessoa, está destruindo outro ser humano criado à imagem e semelhança de Deus e trará consequências para

ruins para sua própria vida. O mandamento “não adulterarás” protege o casamento, pois se alguém adultera, poderá destruir a própria família e não demonstrará corretamente o relacionamento de Cristo com a igreja, o qual o matrimônio deve expressar. Além disso, se alguém trabalhar de domingo a domingo, sem tirar um dia para descansar, para adorar e ter maior e mais profunda comunhão com Deus, trará, como consequência, malefícios para sua própria vida, tanto fisicamente quanto espiritualmente, e assim, é prejudicado em seu fim principal, viver para a glória de Deus. Obedecer aos mandamentos, no final das contas, produzirá benefícios para os próprios crentes e os privará de muito sofrimento. Consequentemente, a lei não exige nada além do que é bom para nós. Charles Spurgeon destacou esse ponto:

Não existe nenhum Mandamento da Lei de Deus que não signifique um sinal de perigo, como aquele colocado sobre o gelo fino. Cada um, por assim dizer, afirma com segurança: “Perigo!”. Fazer o que Deus proíbe nunca resulta em bem para o homem! Deixar uma ordem de Deus incompleta nunca resulta na sua felicidade última e verdadeira. As orientações mais sábias para a saúde espiritual e para se evitar o mal são aquelas providas pela Lei de Deus sobre o certo e o errado! (SPURGEON, C.H. A Perpetuidade da Lei de Deus)

 

Informação adicional

Autor

Formato

eBook/PDF

Ano

2020