Informação adicional

Autor

O Reino de Cristo Não é deste Mundo no que se Refere aos Súditos de seu Justo Governo, por Abraham Booth

SKU: 0c048cb5cb53 Categoria:

Descrição

Graças a Deus por este é terceiro e-book da Série “O Reino de Cristo”, por Abraham Booth.

Este volume trata da questão mais solenes para cada ser humano: ou você é um súdito do Senhor Jesus Cristo e pertence ao Seu Reino; ou você é um súdito de Satanás e está debaixo do seu domínio.

Que Deus abençoe a cada um que pousar os olhos nestas linhas, e conduza-nos ao Senhor Jesus Cristo, segundo a Sua boa vontade. Amém!

***

Todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. (Isaías 59:20; Romanos 11:26).

***

Eis um trecho:

“Posto que o reino e as reivindicações de Cristo são muito diferentes dos de César, as qualificações e a obediência de Seus súditos reais devem ser assim também. Pois, as pessoas podem ser bons súditos de um soberano temporal e gozar dos direitos de tal caráter, enquanto eles estão tão longe de agir em verdadeira fidelidade a Jesus Cristo, a ponto de serem bastante hostis ao Seu domínio, e completos estranhos aos privilégios de Seu reino. O império de Cristo não é deste mundo, não é um reino temporal, mas um reino espiritual. Nosso Senhor, portanto, é um soberano espiritual; cujo domínio se estende à mente, consciência e coração, e nada menos do que ao comportamento externo. Consequentemente, todos os súditos de Seu governo devem ter disposições espirituais e prestar obediência espiritual proveniente de um entendimento iluminado, uma consciência despertada e um coração renovado. Pois, como é o Soberano, tais são os súditos, e tal é a fidelidade necessária. Um Soberano espiritual, e súditos que prestam uma obediência meramente exterior são manifestamente inconsistentes.

Visto que toda a humanidade nasce em um estado de apostasia de Deus e como a inclinação natural do coração, ou a mente carnal, não está sujeita à lei de Deus, e nem mesmo pode ser; nós devemos nascer de novo, não nascer do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus, antes de sermos autorizados a considerar-nos, ou sermos considerado por outros, como os súditos dAquele, cujo reino é de um tipo espiritual. Notáveis são as palavras de nosso Senhor, quando fala sobre Seus súditos leais: ‘não são do mundo, assim como eu não sou do mundo’ [João 17:14]. Não; eles são descritos pelos Apóstolos, como sendo da verdade, da fé e de Deus. Da verdade: iluminados, convertidos e santificados pelo Evangelho. Da fé: vivem por ela; derivando a paz e a santidade a partir de Jesus Cristo, através da fé nEle. De Deus: nascidos dEle; ou gerados de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos. Tais são os súditos do reino de nosso Senhor, em oposição a quem, o Novo Testamento representa o restante de nossa raça apóstata, como sendo das obras da lei, do mundo, das trevas e do Diabo2. Das obras da lei: buscando a aceitação de Deus por sua própria obediência imperfeita, o que os deixa sob uma maldição. Do mundo: seguindo as inclinações da carne, e em um estado de inimizade contra Deus. Das trevas: ignorantes de seu estado, de que estão perecendo, e não familiarizados com Jesus Cristo. Do Diabo: participantes da sua imagem, sujeitos de seu domínio e fazedores de sua vontade3. Isto mostra quão grande é o contraste formado pela Escritura entre aqueles que estão sob governo de nosso Senhor e o restante da humanidade!

Ninguém, portanto, senão aqueles que nascem do alto, são os súditos de Jesus Cristo, pois se o coração não está sob o Seu domínio, Ele não reina em absoluto, como um monarca espiritual.

Que ninguém, senão os verdadeiros Cristãos são os súditos do reino de nosso Senhor, é ainda mais evidente a partir das características descritivas daqueles que eram membros das igrejas apostólicas”.

 

Informação adicional

Autor