Informação adicional

Autor

Os Braços Eternos, por Anne Dutton

REF: 4de97f71eeb2 Categoria:

Descrição

Preciosa carta por Anne Dutton sobre a bendita segurança que sempre temos em Cristo Jesus: Os braços eternos estão sempre debaixo de nós.

***

Cara senhora,

Você pensou corretamente que eu deveria ter compaixão de você, quando eu soubesse da causa da deficiência de suas mãos. Pois, quem que ama pode reprimir a maior piedade a um amigo digno que foi afligido mui cruelmente? Este foi um tratamento cruel a partir da criatura, mas um golpe de amor de Deus seu Pai! Você tem visto por meio disto as maravilhas de Sua infinita bondade que Ele tem operado por você através do suporte ao abrigo e libertação daquelas muitas e grandes angústias que, atualmente, são a sua admiração, alegria e louvor, e serão para o avanço de sua felicidade em eterna glória e para a honra de Deus, pelos séculos sem fim!

Acho que minhas aflições não são nada se comparadas com aquelas que você passou. Afligida no corpo, da cabeça aos pés severamente — aterrorizada na alma tão excessivamente — trazida à beira da morte e sepultura a princípio, e isso foi, no ventre do inferno posteriormente; e ainda assim, os braços eternos embaixo de você durante tudo isso, as consolações que Deus deu para o seu coração, e grande livramento ao seu corpo de seu sofrimento penoso como uma resposta a orações sociais — quão grande, quão maravilhosa foi a graça! E quando ergueu-se um pouco, logo foi mergulhada em angustia pela terrível aflição de sua querida irmã, e desde então é testada com várias cenas de aflição através da qual vocês foram chamados a passar, e ainda mantidos em vida — na vida da natureza e na vida da graça, e favorecidos com o uso de seus sentidos naturais e espirituais, quão brilhantes em sua direção têm sido as exibições de excelente benevolência do Senhor! Você pode muito bem dizer: “na morte muitas vezes; perturbado por todos os lados”.

Mas quando você alcançar a última de suas grandes tribulações — tendo lavado as suas vestes e as branqueado no sangue do Cordeiro, e for apresentada irrepreensível diante do trono de Deus — quão doce, quão inefavelmente doce, será o seu eterno e glorioso descanso! Então você vai refletir com o maior dos prazeres em cima todos os seus sofrimentos do passado, e em desconhecidas comunicações de alegria e louvor para sempre adorando aquela sábia graça que a conduziu em segurança e vantajosamente através de todos os terrores e perigos do deserto. Mui certamente, sua alegria e glória, e alegria e glória de Deus em você, deve ser excessivamente grande, ou você não teria se encontrado com essas grandes misérias e tristezas no estado atual.

Fico feliz que você quis, querida senhora, devotar a você mesmo e tudo seu a DEUS, e estar a serviço especial para o Seu louvor, que tem mostrado para você maravilhosas da graça. E, que as manifestações de Deus a você no passado, em suas muitas e penosas tribulações, encorajem você a confiar nAquele que lhe dará graça, até a última de suas angústias. Pois, Aquele que lhe disse: "Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus”, ainda é o mesmo. E assim Ele será através de todas as suas necessidades terrenas, e até uma eternidade sem fim. É a Sua aliança com você "opera maravilhas”.

E pense, ó mulher de sofrimentos, pense e pense novamente: Cristo, a árvore da vida, é lançado em todas as suas mortes, e Ele adoçará bem essas águas amargas. Oh, o que é Cristo, seu Cristo? "Nele habita toda a plenitude da Divindade corporalmente!”. Ele é Deus em Sua natureza, um Pai, um Irmão, um Marido, um Amigo, que vive sempre, e sempre ama! Quanto ao amor, em todas as relações, Ele é imenso e infinito; quanto à vida, Ele é o Senhor dela — uma imensidão, uma eternidade de vida habita nEle para você, para perpetuar e aperfeiçoar a sua vida de graça, e para amadurecê-la dentro de uma vida de glória! Sim, para manter sua felicidade desconhecida para uma eternidade sem limites. E tendo Ele, que é amor, que é a vida, seu amor e vida com você em todas as suas mortes — Ele não fará de todos os amargos doce, e engolirá todas as suas mortes no infinito do Seu amor e da vida? Sim, em verdade, Ele fará por você, tanto em alma quanto em corpo, tragando a morte na vitória, estabelecendo e mantendo você em uma gloriosa imortalidade para uma abençoada eternidade. E tão maravilhosamente Ele trabalhará por você, Ele vai trazer a vida, e um aumento da mesma, em cada morte que passar sobre você.

Não é melhor, infinitamente melhor ter Cristo com você como seu próprio Senhor Jesus, em meio a dez mil mortes, por este pequeno momento de tempo, o Qual tragará todos eles em perfeita vitória e eterna glória no mundo por vir — do que para estar cercada com toda felicidade exterior do presente estado, com todos os esplendores de honras e prazeres mundanos — aquelas “glórias resplandecentes” que, de repente, não são mais — e envia para longe de Cristo no final, com um “Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno”? Você estará habilitada para se alegrar na sua porção então, no sustento da sua alma, na porção de vida dada, e caminhar dignamente em sua porção, por uma dependência constante nEle e uma expectativa alegre dEle, até que você seja totalmente abençoada com a posse completa dAquele que preenche tudo em todos, e encherá até a sua borda de luz e de vida, de alegria e de glória, infinita e desconhecida!

Oh, querida senhora, você está em dificuldades quanto a mim, um pequeno bebê, uma criança pequena, que não pode falar; mas você não está em embaraço para a felicidade imensa e eterna em seu Jesus. As línguas dos anjos e arcanjos, em todos os seus inumeráveis exércitos, não podem nunca, nunca dizer a uma milésima parte de Sua infinita plenitude, belezas e glórias! O que pode, então, um verme de terra, pensar ou falar sobre o infinitamente e glorioso Senhor? Quando tudo for dito, que pode ser proferido pelo maior dos homens, pode ser apropriadamente dito em seus discursos mais abrangentes a respeito dEle: "Lá estava o esconderijo da Sua glória!". Sim, quando o próprio Senhor é apresentado em uma brilhante demonstração do Seu poder, é dito: "E ali estava o esconderijo de Sua glória!" O que, na demonstração do mesmo? Sim, no que diz respeito à infinidade do que em Sua própria essência é imenso e insondável!

Mas é o suficiente, senhora, para fazê-la inconcebivelmente abençoada, que nEle, nesse infinito Ele, você tenha uma participação plena e eterna. Que Deus lhe conceda a alegria desta felicidade inefável. Eu lamento que eu não posso dizer mais nada deste vasto e infinito celeiro de bênçãos. A confusão vem sobre mim, que eu tenha assim O velado, quando de bom grado gostaria de ter lhe dado um vislumbre de Sua glória. Que Deus lhe conceda "o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dEle" para a sua alegria indescritível!
 

Informação adicional

Autor