Informação adicional

Autor

Os Dois Problemas do Homem, a Condenação e o Poder do Pecado, por Paul Washer

SKU: ad2291fa8356 Categoria:

Descrição

Neste excelente Sermão, o amado pastor Paul David Washer trata da Justificação e Regeneração, e suas consequências.  Eis o seu esboço:

• Você precisa compreender que o homem só tem dois problemas, apenas dois: o problema da condenação devido ao pecado e o problema do poder do pecado. Mas quando você se torna Cristão, ambos os problemas são resolvidos através da obra de Deus. Encontramos a resposta para ambos nas obras da justificação e da regeneração.

• Antes de virmos a Cristo, antes da nossa conversão, o nosso pecado permanece diante de Deus. Nascemos em pecado, praticávamos o pecado todos os dias da nossa vida, estávamos debaixo da ira de Deus e merecíamos eterna condenação. Tudo isso por causa do nosso pecado. Mas na obra da justificação realizada por Cristo este problema ficou resolvido, foi retirado. O Filho de Deus tornou-Se Homem e como Homem — o Deus-Homem — viveu toda a Sua vida terrena em obediência a Deus, viveu uma vida perfeita. Ouviu sempre o Pai dizer: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Ele tinha uma justiça própria, Ele viveu em perfeita obediência e estava sempre agradando perfeitamente a Deus. O que precisam compreender é que Ele não apenas o fez para a glória de Deus, mas também o fez por você. Enquanto Homem perfeito, Ele foi à cruz e na cruz carregou os nossos pecados.

• O poder do pecado.

Deus declarou o Seu povo como justo, em Cristo; mas Ele fez alguma coisa por nós, para nos ajudar a vencer o pecado? A resposta é sim. É a regeneração.

• No momento em que você crê em Cristo, é justificado, mas a obra da salvação também envolve regeneração, nascer de novo. Mas sabe o que isto significa? O que acontece quando uma pessoa nasce de novo? Paulo nos diz. Essa pessoa torna-se uma nova criatura. Isto é somente poesia? Paulo quer apenas dizer algo muito bonito, mas sem significado? O que isso significa? Significa que o Cristão, pelo poder regenerador do Espírito Santo, tornou-se, de forma sobrenatural, numa nova criatura. Não apenas não é mais a mesma pessoa, como também não é mais a mesma criatura, foi transformado. O que mudou? A sua própria natureza mudou. Houve uma mudança ontológica. A palavra ontologia vem do grego ontov (on’-tos), e refere-se ao ser humano em si, a própria essência de quem é.

• Antes de você estar em Cristo, é controlado por uma natureza pervertida, que ama o pecado e odeia a Deus. E é isso que você era: um pecador ímpio, depravado, que odiava a Deus e amava o pecado. Mas quando Deus operou a obra da regeneração no seu coração, você se tornou uma nova criatura que ama a Deus, que ama a justiça, que odeia o pecado e que tem o poder de andar em novidade de vida.

• Antes de nos tornarmos Cristãos, éramos pecadores por natureza. Por natureza éramos filhos da ira, filhos da desobediência, filhos do Diabo. Odiávamos a Deus, odiávamos a justiça e amávamos o pecado. Amávamos a impureza moral. Mas no momento em que fomos transformados, começamos a odiar as coisas que amávamos. E começamos a amar o Deus que ignorávamos. Tornamo-nos novas criaturas, com um novo coração.

• Às vezes, ouço pregadores dizerem isto: “Oh, o pecado é divertido por algum tempo; somos pessoas que amam o pecado, e temos que resistir aos prazeres da tentação e pecado”. Isso simplesmente está errado. Você acha sinceramente que o pecado é divertido? Eu não. Você deseja sinceramente rebelar-se contra Deus? Sério? Está constantemente à procura de formas de rebelar-se e não ser flagrado? Para você o pecado é mais agradável do que a justiça? Se isso é verdade, então questiono-me se Deus alguma vez fez uma obra na sua vida. O pecado não é divertido para o crente. Leva à morte. É repugnante. E quando o verdadeiro crente peca, odeia o que fez, sente-se miserável. Porquê? Porque é uma nova criatura.

• Vamos orar:

 

“Pai, que grande salvação a nossa: Tu levaste a nossa condenação e colocaste-a sobre o Teu Filho; Ele morreu de uma vez por todas pelos pecados do Seu povo; Ele expiou o nosso pecado; Ele carregou-o fora das portas da cidade, para que não fosse mais nosso. Tu levaste os nossos pecados e removeste-os para longe, como está longe o oriente do ocidente (veja Salmos 103:12).

E, Pai, estamos diante de Ti vestidos na justiça de Jesus Cristo. Não nos gloriamos na nossa própria justiça, mas no que Tu fizeste por nós e aceitamo-lo, regozijamo-nos e permanecemos nisso. Senhor, agradecemos-Te pela obra da regeneração, através da qual nos transformaste, tiraste o nosso coração, que Te odiava, e substituíste-o por um coração que Te ama. Tiraste o nosso coração que amava os pecados e odiava a justiça, e substituíste-o por um novo coração recriado à Tua imagem, em verdadeira justiça e santidade.

Agradecemos-Te, Senhor, já não pertencermos ao reino das trevas, mas fomos transportados para o reino do Teu Filho amado. Estimamos tanto, querido Deus, já não sermos escravos do pecado, mas podermos oferecer os membros do nosso corpo como servos da justiça, e termos a vitória — até sobre o pecado, até sobre o Diabo, até sobre este mundo caído — não pelas nossas próprias mãos, mas pelo poder, glória, honra e grandeza de Jesus Cristo.

Permanecemos nesta herança que nos deste, e, Senhor, não vamos permitir que ninguém nos roube este grande presente ou retire a nossa alegria.

Sê glorificado, Senhor, no Teu povo, e que o Teu povo saiba que é amado, perdoado, que é transformado, que está sendo transformado de glória em glória, e que naquele dia estará diante de Ti sem mancha, nem mácula.

Oh, Deus, aquele que tem o menor arrependimento, aquele que tem a menor fé, que venha e beba livremente daquela Fonte.

Oh, Deus, talvez estejam aqui pessoas esta manhã que estão dizendo: “‘Mas isto é para mim? É para mim?”. Oh, querido amigo, você quer isto? Deseja-o? Então venha. Tem sede? Venha. Tem fome? Venha, beba livremente e coma sem preço.

Oh, Deus, que a salvação possa visitar muitas, muitas famílias, em nome de Jesus. Amem”.

Não me importa quem você é. Não me importa o que você fez. Jesus Cristo é um Salvador poderoso.

Há um antigo hino Calvinista que diz o seguinte:

 

Pecador, não espere até achar que está preparado,
Ou até achar que está arrependido o suficiente,
Ou até achar que crê o suficiente,
Porque, se esperar até estar pronto, nunca virá.

E você? Está sentado aqui pensando: “Estou perdido, estou perdido”? Como sabe isso? Os pecadores não sabem disso. Corações ímpios e endurecidos não sabem que estão perdidos. Mas se realmente sabe que está perdido, isso é uma evidência da obra de Deus.

“Oh, eu desejo ser salvo”. Deseja? De onde acha que vem esse desejo? Vem dEle. Então, venha a Ele. Creia nEle. Lance-se sobre Ele. Clame a Ele: “Oh, Deus, salva-me”.

E Ele é poderoso para salvar. Ele é um grande Salvador.
 

Informação adicional

Autor