Informação adicional

Autor

Sendo Uma Testemunha, por Paul Washer

REF: ff87b4b04613 Categoria:

Descrição

Um Sermão repleto de exortações e consolo, alicerçado na Grande Comissão de nosso Senhor.

***

Eis alguns trechos:

Vamos abrir as nossas Bíblias no livro de Mateus. Mateus 28, versículos 18 a 20:

E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. 19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.

Vamos olhar para o nosso texto. Aqui temos a Grande Comissão. Reparem que não é o grande mandamento. A obediência à Grande Comissão flui do grande mandamento. Você deve ser, antes de mais, alguém que ame o Senhor seu Deus de todo o coração. E deve ser alguém que foi tão transformado que ama o seu próximo como a si mesmo. Então, para ser uma verdadeira testemunha de Jesus Cristo, tem que conhecer a Deus, tem que passar tempo com Ele e ser transformado. […]

Mais uma vez: a Grande Comissão não pode funcionar, a menos que que seja uma pessoa que anda com Deus. Você tem que conhecer a Sua vontade para a sua vida. Tem que conhecer os seus dons. E deve ministrar no poder e graça o que Deus lhe deu. Mas não importa para o que você foi chamado; é chamado para se dedicar à Grande Comissão. É a maior obra de Deus neste mundo. À nossa volta estão pessoas morrendo e indo para o Inferno. Há cidades de centenas de milhares de pessoas que não têm o testemunho do Evangelho. O que fará em relação a isso? Isso faz você perder o sono à noite? Você ficou perturbado quando os Estados Unidos foram atacados e milhares de pessoas foram mortas em Nova Iorque? Isso o incomodou por alguns dias? Bem, entende isto: todos os dias centenas de milhares de pessoas estão morrendo sem Cristo. Então, carros e roupas novas não são assim tão importantes, são? Conforto e facilidade não são assim tão importantes, ou são? Os seus planos para a sua vida não são assim tão importantes, são? Os seus hobbies e desejos não são assim tão importantes, ou são? Não quando compara todas estas coisas com a grande necessidade que o mundo tem da pregação do Evangelho. Às vezes, vejo jovens que são grandes atletas. Eles estão no estádio e todos aplaudem. Mas eu dir-lhes-ia isto: “Deixem a vaidade do estádio. Usem a sua força física para andar para cima e para baixo nas Montanhas dos Andes, carregando 45 Kg de Bíblias às costas e pregando o Evangelho àqueles que nunca o ouviram”. Se tem dons, tem força, use-os por amor a esta Grande Comissão. Não para si mesmo. Para a Grande Comissão.

Ele diz: “Ide, fazei discípulos…” (v. 19). É aqui que isso se torna difícil… Eu estava pregando há alguns anos numa igreja no Texas, e eles não tinham pastor. Depois do meu primeiro sermão, saí do púlpito e um grupo de líderes veio falar comigo imediatamente. E disseram: “Você precisa ser o nosso pastor”. Eu olhei para eles e disse: “Estão doidos?”. “O que quer dizer?”. Eu disse: “Vocês não sabem se eu amo a minha mulher”. O que eu queria mostrar era: “Vocês não sabem nada sobre o meu carácter. Só porque preguei um bom sermão não significa que seja um homem de Deus. O Diabo é um bom pregador. Vocês não sabem nada de mim enquanto discípulo”. Veem? É fácil pregar. É dizer coisas às pessoas. Eu lhes disse coisas esta semana. Mas, vocês não conhecem a minha vida. Não sabem como eu vivo. Não sabem mesmo nada. Então, se quer ser um pregador, é muito fácil. Mostre-se às pessoas três vezes por semana, e diga-lhes que façam coisas. Mas fazer discípulos é algo muito diferente. Fazer um discípulo é ganhar alguém para Cristo, e depois incluí-lo na sua vida. Não apenas encontrá-lo algumas vezes por semana e ter uma aula, mas convidá-lo a entrar na sua vida para ver como você vive. Um discípulo é um seguidor, um aprendiz de Jesus, aprendendo não apenas os Seus ensinamentos, mas a forma como Ele vive. Paulo diz a mesma coisa. “Sejam meus imitadores” [1 Coríntios 11:1]. […]

Agora vamos num instante ao verso 16 do Capítulo 3, e falemos sobre como usar a Palavra de Deus, não apenas para testemunhar, mas também no discipulado. Versos 16 e 17 dizem: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2 Timóteo 3:16-17). Quero que notem duas coisas aqui que são extremamente importantes. Diz que toda a Escritura é inspirada, no verso 16. Você crê nisso? Não pode ministrar no poder do Santo Espírito pela Palavra de Deus se não acredita que a Palavra de Deus é inspirada, que tem o fôlego de Deus, que é sobrenatural, que é pura. A Palavra de Deus é provada. É sem erro. Se não acredita nisso, há muito pouco que possa alcançar no Reino dos céus. A maioria de vocês já ouviu sobre a doutrina da inspiração das Escrituras. Mas ouviram desta doutrina: a doutrina da suficiência das Escrituras? Está no verso 17: “para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra”. O que precisa para realizar o ministério Cristão? Uma compreensão correta e completa das Escrituras. O que precisa mais? Nada!
[…]

Pai, agradecemos-Te por este tempo e oramos para que abençoes o Teu povo. Que trabalhes nas suas vidas para seu bem e para o bem das gerações seguintes. Que levantes um povo piedoso aqui, que tenha influência, que sirva ao Senhor seu Deus na sua geração. No nome de Jesus, Amém. 
 

Informação adicional

Autor