Informação adicional

Autor

Sermão Nº 964, A Essência do Evangelho, por C. H. Spurgeon

REF: ac5fd2d4fbfc Categoria:

Descrição

Recomendamos a leitura deste solene Sermão. Que Deus nos abençoe, por amor de Jesus Cristo. Amém!

“Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” (João 3:18)

• Quando nosso Senhor Jesus Cristo vier pela segunda vez, diante dEle serão reunidas todas as nações, e Ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. Essa não será, no entanto, a primeira vez em que a presença do Senhor Jesus agiu como um separador; é sempre assim onde quer que Ele vá; os homens estão como um só corpo em sua condição caída, todos igualmente distantes de Deus, até que Ele aparece, então Sua vinda manifesta os escolhidos, e chama-os à parte, e, por outro lado, os incrédulos são também manifestados. Dois grupos são formados a partir da multidão, que uma vez esteve homogênea, cada pessoa vai para um dos grupos, cada um segundo seu tipo encontra seus companheiros, e entre os dois grupos há um abismo profundo, que os divide tão claramente quanto a luz é separada da escuridão, ou a morte da vida.

• Outras distinções afundam na insignificância na presença de Jesus, bens ou riqueza, instrução ou ignorância, poder ou fraqueza, são questões de pouca importância ao dividir a humanidade na presença do Grande Diferenciador de espíritos, apenas estes dois tipos: Crentes e incrédulos, destacam-se em claro relevo. Como está no nosso texto, assim o é na verdade em todo o universo; as duas únicas distinções realmente vitais para o tempo e para a eternidade são apenas essas, crentes e não crentes, os que recebem a Cristo e os que O rejeitam.

• Além disso, assim como hoje a presença de Cristo divide as multidões, e reúne os homens em grupos seletos, assim também é que essa presença garante um julgamento presente. Está escrito que Ele dirá àqueles que estiverem à sua direita: “Vinde, benditos”, e aos que estiverem à sua esquerda: “Apartai, malditos”, e assim mesmo acontece neste momento, Sua presença, com igual certeza, produz um julgamento, pois aqui no texto encontramos crentes não-condenados, ou em outras palavras, absolvidos, e encontramos os incrédulos já condenados. O “Vinde, benditos”, está antecipado na não-condenação, e o “Apartai, malditos” como se já fosse, assim como dito no veredito “já está condenado”.

• Conjuro-vos, portanto, nesta manhã, enquanto a Palavra é pregada aos vossos ouvidos, a lembrar-vos que uma divisão clara e muito importante será feita enquanto este sermão está sendo pregado. Neste dia, o Filho de Davi está entronizado, e nesta casa Ele estabelece seu tribunal.

• Na pregação do Evangelho, neste momento, Sua majestosa voz divide os pecadores dos santos, e se sensíveis à sua Presença, podemos tanto tremer como nos alegrar! Queira Deus que, enquanto essa divisão continuar sendo feita, como deve continuar, pois Ele será no dia de hoje um cheiro de morte para a morte, ou de vida para a vida para cada uma de nossas almas, possamos todos ser encontrados entre os crentes, e nenhum de nós excluídos como já condenados por sermos infiéis.

I. Eu peço a vocês, nesta manhã, em primeiro lugar, que CONSIDEREM A QUAL DAS DUAS CLASSES MENCIONADAS NO TEXTO NÓS PERTENCEMOS.

II. Agora, em segundo lugar, e por um breve momento, vamos CONSIDERAR A CONDIÇÃO DE CRENTE. “Quem crê nele não é condenado”. Que sentença mais alegre é esta! Se vocês verificaram que acreditam de fato em Jesus, volte a essa palavra de novo e de novo em suas almas, meus irmãos e irmãs! Não é deleitoso pensar que você a tem da própria boca de Deus por Inspiração, e notar que a inspiração é de gênero extraordinário, pois você a tem não só pelo Espírito de Deus, mas também do próprio Jesus Cristo a doce garantia de que você não está condenado! Que alegria, que paz essa Palavra deve trazer à sua alma!

• Deixe-me mostrar a vocês por um minuto como o Crente escapa da condenação.

III. E agora, em terceiro lugar, e aqui vem a nossa mais solene obra, que o Espírito Santo de Deus nos ajude nisso. CONSIDERAR A CONDIÇÃO DO DESCRENTE. “Quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus”. Observem o fato, em si, que está aqui declarado: “Quem não crê acredita já está condenado”. Permitam-me discursar sobre esta verdade muito solene de Deus.

• Em primeiro lugar, o descrente se oferece para julgamento.

• O incrédulo, ele mesmo, dá provas pessoais para sua própria condenação.

• Meus irmãos e irmãs, se vocês olharem para o texto novamente, vocês verão que aquele que não crê, rejeita a mais exaltada Pessoa, pois ele não crê no nome “do Unigênito Filho de Deus”, isto é, não crê em “Jesus, que é Filho Unigênito de Deus”. Eu gostaria de obter uma linguagem adequada para expressar um pensamento que flui do meu próprio espírito, como fiz no último domingo à noite. Que Deus enviasse um Salvador, e por Salvador o Unigênito, o Senhor do Céu e da terra, sem o qual não existiria nada do que é feito, e que Ele viesse com testemunho de amor, o amor de Deus pelos pecadores, e selasse esse testemunho com Seu sangue, e que os homens se recusassem a crer nEle! Esta é a iniquidade mais monstruosa que poderia ser imaginada!

• Você não vê, pecador, qual a situação?

• Lembre-se com profunda preocupação que Deus está irado com você agora mesmo!

• O Senhor lhe disse que a única forma de salvação é crer em Jesus, mas se você tentar encontrar uma outra; você acha que tal conduta irá agradá-lO, que tal procedimento irá torná-lO menos irado com você? Você insulta Seu Filho, quando você acha que pode salvar-se por suas lágrimas e orações, isso afastará de você a ira do Senhor?

• Quando você imagina que o seu comparecimento à igreja e à capela o salvará, você faz uma estimativa baixa sobre o que Jesus fez; você estará desrespeitando a cruz enquanto permanecer incrédulo. Você diz: “Nós estamos fazendo o que podemos”. Você não está fazendo nada que possa aplacar a ira de Deus! Você está, ao invés disso, através dessas suas mesmas ações, que você acha que são boas, criando uma oposição a Ele, um anticristo para o qual Ele olhará com horror! Ele diz que salvará por Cristo, e por nenhuma outra maneira, e enquanto você procurar uma outra maneira, você, na verdade, estará cuspindo na própria face do Unigênito pela insolência de sua justiça própria! Enquanto isso, deixe-me lembrá-lo que a ira de Deus, embora ainda não venha sobre você, é como um fluxo que está represado; a cada momento reúne mais força, se Ele não estoura o dique, contudo a cada hora se intensifica, cada dia e cada momento de cada dia em que você permanece incrédulo, você está acumulando ira para o dia da ira quando a medida de sua iniquidade estiver cheia! Quão seriamente eu o persuado a escapar da condenação!

• O Cristo de Deus deve ser digno dos afetos de nossos corações, Sua própria mensagem na terra como parece-me, se não estivéssemos loucos, garantiria a nossa confiança, pois Ele veio para SALVAR, para PERDOAR, para passar por cima do pecado do passado! Por que você se coloca contra Ele, e dessa forma atrai sobre sua cabeça a ira de um Deus irado? Permitam-me recordar-lhes o caminho para escapar. A única forma de escape para qualquer homem ou mulher aqui é crer em Jesus Cristo.

• Eu o ouvi dizer: “Eu espero que eu creia”? Senhor, não tenho nada a ver com isso, e eu não tenho nenhuma esperança para você! “Espero que me arrependa um dia”. Eu desespero de você enquanto você fala assim! É hoje que Deus separa esta congregação em duas partes, o crente e o incrédulo. Hoje Ele abençoa o crente, e testemunha que ele não é condenado! Hoje Ele amaldiçoa o incrédulo, e diz que ele já está condenado! Meu negócio não é com amanhãs, nem posso prometer que a bandeira branca da misericórdia será estendida amanhã.

• Hoje, a cruz é o estandarte da graça, olhe para ela e viva! É a escada que chega ao céu! O Salvador crucificado é a porta da salvação! Ah! se você O recebesse! Que Deus queira que você O aceite, e Ele será glorificado por você nesta vida, e no mundo por vir! Deus os abençoe. Amém.
 

Informação adicional

Autor