Informação adicional

Autor

Sinais do Amor de Seu Pai, por Anne Dutton

REF: 19aa03d58cb0 Categoria:

Descrição

Consolador!

Cara Senhora,

Embora o Senhor tenha provado você com muitos meses de aflições, não pense que isso é estranho, desde que você é colocada entre os filhos de Deus, assim, você tem e deve ter a sua própria porção de aflições — elas são, elas devem ser os sinais do amor de Seu Pai! Satanás e a incredulidade muitas vezes deturpam Deus para os Seus filhos aflitos. “Se Deus fosse seu Amigo, seu Pai”, eles dizem, “se Ele amasse você, Ele não permitiria que tais coisas severas se abatessem sobre você. Ele não toma conhecimento de você; Ele faz surdos os ouvidos às suas orações, quem dentre os filhos de Deus são tão grandemente aflitos quanto você é? Essas coisas mostram que você tem sido enganado, que você não está entre o número dos filhos de Deus, que não tem nenhuma participação salvífica em Seu favor especial, mas Ele coloca estes pesados golpes sobre você em desagrado irado?”. E, especialmente, eles incitam essas coisas contra os atribulados filhos de Deus a partir daquele pecado que, infelizmente, eles encontram operando neles sob duras dispensações. E se eles conseguem, apenas que os filhos de Deus deem ouvidos a eles, esses inimigos obtêm sua finalidade sobre eles: enfraquecem a sua fé, amortecem o seu amor, matam a sua mansidão e paciência, e os levam a murmurar e a perturbarem-se diante da providência que aflige.

É sabedoria, então, nos filhos de Deus, imediatamente clamarem a Ele por sabedoria e força para discernirem e resistirem a esses inimigos diante de sua voz mentirosa, na primeira audiência desta; pois, disso podemos estar muitos seguros: “Que tudo o que provém de Deus, conduz a Ele; e tudo o que nos incita a nos afastarmos dEle como o Deus de toda graça, provém da incredulidade e de Satanás”. Nada como a fé no amor de Deus por nós, como Seus filhos amados em Cristo, fortalece nosso espírito para suportarmos as aflições pacientemente, para a Sua glória e nossa alegria.

E, portanto, diz o apóstolo Paulo: “… o Senhor corrige o que ama”. Ele estabelece “amor de Deus em corrigir”, como o fundamento da fé de um crente, para sua força em sofrimento paciente. E diz Tiago: “Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência”. Se a fé tiver um impedimento na luta, Deus virá com a Sua assistência de auxílio para socorro de Seu filho, e dará à sua fé força renovada; e, então, instantaneamente, a sua fé atribulada, sendo erguida em Deus e por Ele, após a sua frustração e em sua aflição, o filho da fé é a paciência. Diz a fé: “O amor de Deus está no mais duro golpe!”. Então, diz a paciência: “Eu o suportarei até que o amor traga frutos alegre a partir da presente tristeza”. E, para que a paciência não desfaleça quando as tribulações são grandes e duradouras, o apóstolo acrescenta: “Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma”. É como se ele dissesse: Você deve ser feito perfeito em toda graça, e toda graça aperfeiçoada redundará em sua glória eterna, portanto, pacientemente suporte a maior e mais duradoura aflição aqui, de modo que isso adequará você para a coroa imortal, a seguir, para que você seja perfeito e completo, sem faltar em coisa alguma — nada faltando no exercício da graça, e nada faltando em sua coroa de glória!
 

Informação adicional

Autor