Informação adicional

Autor

Sobre a Necessidade e a Prática de Confessar a Fé, Samuel Renihan

REF: 9ccba7b8e66b Categoria:

Descrição

Louvamos a Deus por este maravilhoso Artigo sobre a tão urgente e vital Necessidade e Prática de Confessar a Fé Bíblica, pessoalmente, e coletivamente em nossas comunidades Cristãs. Esperamos no Senhor que este escrito de Dr. Samuel Renihan seja abençoado por Deus para muitos de Seus amados e para o avanço de Seu Reino. Amém!

Eis o seu esboço:

• “A unidade sem verdade é antes uma conspiração.”

• A verdade é tão imutável como o Autor da verdade.

• É dever da igreja conhecer, acreditar e proclamar essa verdade.

A Necessidade de uma Confissão de Fé

A comunhão é sempre construída sobre a união. A Confissão de Fé é, portanto, necessária para a unidade das igrejas individuais e para a unidade de várias igrejas.

• A igreja, local e coletivamente, deve confessar a fé.

• A Confissão de Fé é necessária. Não pode haver unidade significativa, sem acordo doutrinal e compromisso, e a própria Escritura nos ordena a reter firmemente e guardar o corpo das verdades contidas nas Escrituras.

• A Prática de Confessar a Fé

• Padrão de Subscrição.

• A necessidade de unidade sobre uma base de verdade não muda, assim, a necessidade de confessar a fé não muda.

• A fé experimentada e verdadeira da Igreja de Jesus Cristo vale a pena ser confessada. Assim, históricas Confissões de fé são dignas de serem confessadas. E, embora elas possam exigir certa quantidade de ensino e contextualização a fim de apreender a sua riqueza e valor verdadeiros, contudo, elas não são mistérios criados com o fim de dissimular. Elas são confissões projetadas para instruir e revelar.

• Quando um grupo de pessoas ou igrejas pactuam entre si para existir com base em um fundamento da unidade doutrinal, eles estão confessando uma só fé.

• No que concerne às exceções em relação a uma Confissão de Fé, embora elas devem ser tratadas caso a caso, expressar seus desacordos é de grande importância por várias razões.

• Mas o que deveria ser feito quando uma exceção surge, a qual não somente contradiz o ensino da Confissão, mas também o destrói?

• Se uma aberração doutrinária grave surge, então, deixe que ela seja claramente indicada. Que aquele(s) que sustentam tal posição submetam-se à prestação de contas de sua igreja/associação/denominação, estando sabiamente dispostos a cederem à e abrirem-se à razão (Tiago 3:17), que fique claro que, se houver persistência no erro eles devem abandonar ou serem removidos, e deixarem que todos os envolvidos sinceramente confessem a fé.

• Os Pré-requisitos de um Confessionalismo Robusto

A Igreja deve confessar a fé. Isto é necessário. A Igreja deve confessar a fé. Isto é necessário. A fim de conseguir isso, é preciso:

1. Uma boa Confissão de Fé.
2. Cristãos que entendem e confessam a Confissão.
3. Cristãos que individualmente se apegarão de forma responsável à Confissão.

• Nós não nos submetemos a qualquer homem, mas à Escritura. No entanto, nós nos submetemos a um entendimento específico, interpretação e sistematização da Escritura, ou seja, uma Confissão de Fé. Consequentemente, nós mutuamente sustentamos uma outra responsabilidade para com este padrão de verdade. Nós não podemos fazer o contrário. Nossas consciências estão obrigadas, desde que firmamos estes compromissos. Somos todos responsáveis ​​por reter a confissão da nossa esperança, de permanecermos firmes e fiéis nos nossos postos e por fazermos a nossa parte para manter o navio flutuando e funcionando perfeitamente, sabendo e confiando que Jesus Cristo está ativo e presente entre Suas igrejas em e pelo Seu Espírito Santo.

• Conclusão

Em conclusão, podemos não ser capazes de garantir a ortodoxia da próxima geração, mas podemos fazer tudo que estiver em nosso poder, com a bênção de Deus, para deixar uma igreja ortodoxa de herança para eles. “O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos” (Provérbios 13:22). Assim então, o que quer que nós confessamos, vamos confessá-lo juntos. Afinal, “Não pode haver Paz Evangélica sem a verdade, nem Comunhão dos Santos, sem um acordo de princípios fundamentais da Religião Cristã”. Ao fazermos isto, à medida que enfrentamos os ataques de nossos próprios corações, o mal, e o mundo, seremos capazes de ficar lado a lado, retendo firmemente a confissão da nossa esperança, dizendo uns aos outros o que escudeiro de Jônatas disse a ele: “Faça tudo que está em seu coração. Faça como quiser. Eis que eu sou contigo de coração e alma” (1 Samuel 14:7, ESV).
 

Informação adicional

Autor