Informação adicional

Autor

Um Chamado à Separação, por A. W. Pink

REF: 651cc878d38d Categoria:

Descrição

Poucas de nossas publicações são tão aplicáveis aos nossos dias e tão carregada de uma mensagem tão solene para nossos dias nos quais há um silêncio quase que total sobre a santa separação, entre o puro e o impuro, entre o verdadeiro e o falso, entre o que agrada a Deus o que não agrada. Todos sabem que um dos significados da palavra santo é “separado”, mas para a maior parte dos “crentes” modernos a palavra “separado” não significa separado, separar-se te tudo que Deus ordena na Bíblia.

Tal é essa geração perversa e destemperada que por um lado temos os idólatras de igrejas que dizem: “Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este”. (Jeremias 7:4). E confiam no templo com para lhes conferir algum favor e aceitação diante de Deus. E por outro lado temos os desigrejados que se juntam a Satanás na luta contra as congregações da Igreja de Cristo.

Não somos por estes e nem por aqueles. Somos por Cristo e pela Sua verdadeira igreja que é invisível, mas também visível, que não é um edifício ou um lugar físico, mas que sempre possuiu um edifício e um lugar físico para adoração, o qual é denominado igreja ou templo. Porém esta igreja que se reúne em um espaço físico também é marcado por ser uma congregação de adoradores que adoram em espírito e em verdade, pois “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” [João 4:24]. Isto é, de pessoas que não oferecem uma adoração carnal e humana, mas espiritual e verdadeira, conforme as Escrituras prescrevem.

Porém se você está em uma igreja que ensina a doutrina de Mamom, isto é, a famigerada teologia da prosperidade material, se você está em uma igreja que lhe manda “determinar” a bênção, dar a “volta da vitória”, participar de “Fogueira santa”, fazer Campanha absurdas e avarentas farás bem em observar a mensagem deste e-book e aplicar este do Sr. Pink conselho em à vida:

“Não vos prendais em jugo desigual”. Isto aplica-se em primeiro lugar para nossas relações religiosas ou eclesiásticas. Quantos cristãos são membros das chamadas “igrejas”, onde muito está acontecendo, que, eles sabem está em desacordo direto com a Palavra de Deus, ou o ensino do púlpito, as atrações mundanas usadas para atrair o ímpio, e os métodos mundanos utilizados para financiá-lo ou o recebimento constante em sua membresia daqueles que não dão nenhuma evidência de ter nascido de novo. Os crentes em Cristo que permanecem em tais “igrejas” estão desonrando o seu Senhor. Eles respondem: “Praticamente todas as igrejas são iguais, e se renunciarmos o que poderíamos fazer? Temos de ir a algum lugar aos domingos”, essa linguagem iria mostrar que eles estão colocando seus próprios interesses antes da Glória de Cristo. Melhor ficar em casa e ler a Palavra de Deus, do que ter comunhão com aquilo que Sua Palavra condena.”
 

Informação adicional

Autor