Informação adicional

Um Equilíbrio Bíblico: Pregando Para a Mente e o Coração, Carta Circular da ARBCA de 2002, Por Tom Lyon

REF: dfb16ec40645 Categoria:

Descrição

Importante e essencial meditação para nossos dias, alicerçado em Romanos 6:17, “Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues”.

Eis o seu esboço:

• Deus recebe ações de graças por toda a descrição complexa.

• Uma mudança de tempo verbal (do imperfeito para aoristo) é notada. Mudança radical da mente e coração.

• Esta forma de doutrina que havia invadido seus corações não foi entregue a eles; Paulo afirma que eles é que foram entregues a ela. Assim, cada frase é cuidadosamente construída para atribuir todo o processo complexo da conversão à graça soberana.

• Para Paulo, a doutrina não era considerada sem forma. Nem a mente nem o coração pode ser movido à obediência por uma coleção aleatória de fatos desconexos sem nenhuma forma perceptível. Afirmações inexpressivas e sem estrutura evidentemente não alcançam a mente, e não tendo chegado ali, não podem penetrar no coração.

• A grande mudança aqui efetuada foi composta por dois movimentos: um da cabeça e o outro do coração… a conversão envolve plenamente o homem todo: mente, coração e vontade.

• A depreciação atual da mente na Religião avançou por causa de quatro falsas afirmações:

1. Definição Falsa:

Reduzir o coração ao domínio do subjetivo, em oposição ao objetivo, ao sentir em vez do pensar, é algo estranho ao uso bíblico.

Sentimentos vêm e sentimentos vão,
E sentimentos são enganosos,
Nossa garantia é a Palavra de Deus,
Em nada mais vale a pena acreditar. — John Flavel

Animação vazia, de modo algum, faz parte da primeira criação ou da nova criação.

2. Compartimentalização Falsa (um ou outro):

Esquece-se que o primeiro pecado foi apenas isso: a busca da experiência, apartar-se da revelação. “[Satanás]… distingue entre teologia e religião, calorosamente defendendo esta última, a fim de induzir os homens a abandonar a primeira” (Horatius Bonar).

A verdadeira religião é mais do que noção,
Algo precisa ser conhecido e sentido. — Joseph Hart

3. Oposição Falsa:

Assim como o movimento Puritano do qual eles surgiram, os Batistas Calvinistas (os quais moldaram a nossa Confissão) estiveram completamente cientes do fato de que as brasas da ortodoxia são sempre necessárias para o fogo da espiritualidade. Onde a doutrina ortodoxa é considerada sem importância, o fogo da Piedade Cristã, inevitavelmente, se apagará (Michael Haykin).

4. Falsa Priorização:

Para a verdadeira Religião existir, a mente e o coração devem estar engajados.

• Nenhuma quantidade de deleites existenciais (ou celestiais) capturarão o coração por muito tempo sem uma apreciação intelectual pelo assunto.

• Tudo isso que foi dito não é para menosprezar a necessidade da Religião cordial. De modo nenhum! A Fé Reformada é mal representada como um arranjo indiferente de opiniões, por mais profundos que estes arranjos possam ser.

Spurgeon fala de uma classe de homens que “…tem credo, mas não credibilidade… Estou farto desses clamores de: a verdade, a verdade, a verdade, vindo das bocas de homens de vidas podres e temperamentos profanos. Há uma ortodoxa, bem como uma estrada heterodoxa para o Inferno, e o Diabo sabe como lidar com os Calvinistas, tanto como os Arminianos”.

• Deve haver uma agitação das afeições… [MAS] o coração nunca é atingido quando visamos diretamente a ele.

• Nada amolece o coração duro como concreto, “mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues”.

Tom Lyon.
Providence Reformed Baptist Church
University Place, Washington
Inverno de 2002.

 

Informação adicional