Informação adicional

Autor

Formato

PDF

Páginas

11

Título Original

A Word to Parents

Edição

Ano

2020

Uma Palavra aos Pais

REF: PPAWP Categorias: ,

Descrição

Uma das características mais tristes e trágicas de nossa “civilização” do século XX é a terrível prevalência da desobediência dos filhos aos seus pais durante os dias da infância bem como a sua falta de reverência e respeito, depois de crescidos. Infelizmente, isso é evidenciado de muitas maneiras até mesmo nas famílias daqueles que professam ser cristãos. Em suas extensas viagens durante os últimos trinta anos, este escritor tem peregrinado em muitas casas. A piedade e a beleza de algumas delas permanecem como memórias muito marcantes e perfumadas, porém outras delas deixaram impressões muito dolorosas. Crianças que são obstinadas ou mimadas, conduzem a si mesmas em um caminho de perpétua infelicidade, causam problemas para todos os que entram em contato com elas e são um anúncio de coisas más para os dias vindouros.

Na vasta maioria dos casos, as crianças não devem ser tão rigorosamente culpadas quanto os pais. A falha em honrar pai e mãe, onde quer que seja encontrada, acontece em grande medida devido aos pais haverem se afastado do padrão bíblico. Hoje em dia o pai considera que cumpriu as suas obrigações ao fornecer alimento e vestuário para os seus filhos bem como por agir ocasionalmente como uma espécie de policial moral. Muito frequentemente a mãe se contenta em ser uma trabalhadora doméstica e se coloca como um escrava de seus filhos — em vez de treiná-los para serem úteis — e em realizar muitas tarefas que as suas filhas deveriam fazer e, assim, as mães dão liberdade para suas filhas se entregaram à frivolidade.

A consequência disso foi que a casa, que deveria ser — por sua ordem, sua santidade e seu reino de amor — um pequeno paraíso na terra, degenerou-se em “um lugar para satisfazer as necessidades do dia e um dormitório à noite”, como alguém laconicamente expressou. Antes de delinear os deveres dos pais em relação aos filhos, devemos ressaltar que eles não podem disciplinar apropriadamente os seus filhos a menos que eles tenham primeiro aprendido a governarem a si mesmos, pois como eles podem esperar subjugar a vontade própria em seus pequeninos e discernir o surgimento de um temperamento irritado, se permitem que suas próprias paixões os dominem livremente? O caráter dos pais será grandemente reproduzido nos filhos: “E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem…” (Gênesis 5:3). Os pais devem — ele mesmo ou ela mesma — estarem submissos a Deus, se eles é que eles legitimamente desejam esperar obediência de seus pequeninos. Esse princípio é aplicado nas Escrituras repetidamente: “Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo?” (Romanos 2:21). Sobre o bispo ou pastor está escrito que ele deve governar “bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)” (1 Timóteo 3:4-5). E se um homem ou mulher não sabem como governar seu próprio espírito (Provérbios 25:28), como eles cuidarão de seus filhos.

Deus confiou aos pais um privilégio muito precioso, contudo também muito solene. Não é exagero dizer que estão depositadas em suas mãos a esperança e a bênção ou então a maldição e a ruína da próxima geração. As suas famílias são os berçários tanto da Igreja e do Estado, e sua produtividade futura será de acordo com o que estão cultivando agora. Eles devem buscar cumprir o dever que lhes foi cofiado com oração e cuidado. Pois certamente Deus exigirá que os pais prestem contas de como criaram seus filhos, pois eles pertencem a Deus e estão apenas emprestados para que serem cuidados e criados pelos pais. A tarefa atribuída a vocês não é fácil, especialmente nestes dias superlativamente maus. No entanto, se vocês buscarem com confiança e sinceridade, verão que a graça de Deus é suficiente tanto para esse quanto para outros casos. As Escrituras nos fornecem regras para agir bem, promessas das quais devemos nos apropriar e alertas sobre coisas terríveis que não devemos tratar de modo leviano.

Informação adicional

Autor

Formato

PDF

Páginas

11

Título Original

A Word to Parents

Edição

Ano

2020