E-BOOKS RECENTES


     TEXTOS RECENTES

Graça Por Graça, por C. H. Spurgeon

 

Graça Por Graça, Sermão Nº 2087. Pregado na manhã do Dia do Senhor, dia 5 de maio de 1889. Por C. H. Spurgeon, no Tabernáculo Metropolitano, Newington.

“Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.” (1 Coríntios 2:12)


O curso de nossa raça caída tem sido uma sucessão de fracassos. Sempre que houve um progresso aparente, isso foi seguido por uma queda real. Em sempre crescente escuridão a mente humana parece decidida a precipitar-se em suas lutas por uma falsa luz. Quando os homens têm sido tolos, eles dançaram em um delírio de pecado. Quando eles têm sido sóbrios, eles se entregaram a uma sabedoria fantasma de si próprios, o que revelou sua insensatez mais do que nunca. É uma história triste, a história da humanidade! Leia-a à luz da Palavra de Deus e ela trará lágrimas de seu próprio coração.

Veja mais

Um Verdadeiro Mapa do Estado Miserável do Homem por Natureza, por Christopher Love

 

Eu vos mostrarei as oito características particulares de um homem sem Cristo.

1. Todo homem sem Cristo é um homem vil;
2. Ele é um escravo;
3. Ele é um homem miserável;
4. Ele é um homem cego;
5. Ele é um homem deformado;
6. Ele é um homem desconsolado;
7. Ele é um homem morto; e
8. Ele é um homem condenado;

Veja mais

A Palavra De Deus, Nossa Única Regra, por João Calvino

 

“Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados. Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra.” (Tito 1:15-16)


São Paulo mostrou-nos que devemos ser governados pela Palavra de Deus, e considerar os mandamentos de homens como vãos e tolos; pois, a santidade e a perfeição da vida não pertencem a eles. Ele condena alguns de seus mandamentos, como quando eles proíbem certos alimentos, e não permitem que usemos aquela liberdade que Deus concede aos fiéis. Aqueles que perturbavam a igreja no tempo de São Paulo, por estabelecerem tais tradições, usavam os mandamentos da lei como um escudo. Estas eram apenas invenções dos homens; porque o templo devia ser abolido pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Aqueles na Igreja de Cristo, que sustentam esta superstição, de ter certos alimentos proibidos, não têm a autoridade de Deus, pois era contra a Sua mente e propósito que o Cristão estivesse sujeito a tais cerimônias.

Veja mais

A Igreja: Jardim e Fonte Selada de Cristo, por R. M. M'Cheyne

 

“Jardim fechado és tu, minha irmã, esposa minha, manancial fechado, fonte selada.” (Cânticos 4:12)


O nome dado aqui aos crentes é “minha irmã, minha esposa”. Há muitos nomes doces nos lábios de Cristo dirigidas aos crentes. “Ó, mais formosa entre as mulheres” (1:8), “minha amiga” (2:2), “Ó, amiga minha, formosa minha” (2:10), “irmã minha, amiga minha, pomba minha, imaculada minha” (5:2), “ó, filha dos príncipes” (7:1). Mas aqui está um que supera todos estes em ternura: “Minha irmã, minha esposa” (4:9), e outra vez (v. 10) e a leitura como texto (v. 12. Que o mundo fale bem de nós constitui pouco atrativo para que nós o desejemos, mas se Cristo disse tais palavras a nosso respeito, é o suficiente para encher os nossos corações de gozo celestial. Vocês devem compreender o significado à luz do que Paulo diz em 1 Coríntios 9:5: “Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos?”. O apóstolo quer dizer se não é um direito seu casar-se com alguém que seja sua semelhante, uma irmã no Senhor, uma irmã que seja tanto uma esposa como uma irmã em Cristo Jesus, uma esposa por lei, uma irmã por nascimento espiritual do mesmo Pai celestial. Assim como Cristo aqui diz dos crentes: “minha irmã, minha esposa”, porque eles não estão apenas unidos a Ele por uma eleição e pelo Pacto, mas também porque eles Lhe são semelhantes.

Veja mais

A Gloriosa Bem-Aventurança Proposta no Evangelho, por A. W. Pink

 

[Capítulo 14 do livro The Total Depravity of Man • Editado]


A entrada do mal no domínio de Deus é, reconhecidamente, um profundo mistério, no entanto, o suficiente é revelado nas Escrituras para nos prevenir de formar pontos de vista errôneos em relação a isto. Por exemplo, é terminantemente contrário à Palavra da verdade apoiar a noção de que a Queda de Satanás e seus anjos ou dos nossos primeiros pais pegaram Deus de surpresa e arruinaram Seus planos. Desde toda a eternidade Deus projetou esta terra como devendo ser o palco sobre o qual ele mostraria as Suas perfeições: na criação, na providência e na redenção (1 Coríntios 4:9). Assim, Ele predestinou tudo o que viria a acontecer neste cenário (Atos 15:18; Romanos 11:36; Efésios 1:11). Deus não é um espectador ocioso, olhando à distância os acontecimentos deste mundo, mas é o próprio Ordenador e Modelador de tudo para a promoção final de Sua glória, não só, apesar da oposição dos homens e Satanás, mas por meio deles, tudo está sendo feito para servir ao Seu propósito. Nem a introdução do mal no universo ocorre simplesmente pela simples permissão do Altíssimo, pois nada pode acontecer em oposição à Sua vontade decretiva. Em vez disso, devemos acreditar que, por razões sábias e santas, Deus predestinou Suas criaturas mutáveis a cair, e, assim, gerar uma ocasião para Ele demonstrar mais e plenamente os Seus atributos.

Veja mais

A Obra Do Espírito Santo, por C. H. Spurgeon

 

A Obra Do Espírito Santo, Sermão Nº 178. Um sermão proferido na quinta-feira, 5 de novembro de 1857. Por C. H. Spurgeon, em New Park Street Chapel, Southwark.

“Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?” (Gálatas 3:3)


SIM, somos tão insensatos. A estultícia está ligada não somente ao coração de uma criança, mas até mesmo ao coração de um filho de Deus! E, embora da vara possa ser dito tirar a insensatez de uma criança, levará muitos golpes da vara da aflição sobre os ombros de um Cristão antes que a insensatez seja retirada dele. Acho que nós somos, todos nós, muito sãos quanto à questão teórica sobre este ponto. Se qualquer um deve perguntar-nos como nós esperamos ter a nossa salvação operada em nós, sem a menor hesitação declararíamos a nossa crença de que a salvação é do Senhor somente E gostaríamos de declarar que, como o Espírito Santo antes de tudo, começou nossa piedade em nós, olhamos somente por Sua força para continuar, preservar e, finalmente, aperfeiçoar o trabalho sagrado. Eu digo que somos sãos o suficiente sobre esse ponto como uma questão de teoria, mas nós somos, todos nós, muito heréticos e doentios no que diz respeito a uma questão de prática! Infelizmente, você não vai encontrar um Cristão que não lamenta suas tendências hipócritas! Você não descobrirá um crente que não tem, em certos períodos da sua vida gemido, porque o espírito de autoconfiança cresceu em seu coração, e o impediu de sentir a necessidade absoluta do Espírito Santo. Ele, então, deposita sua confiança na mera força da natureza, a força das boas intenções, a força das resoluções fortes em vez de confiar no poder de Deus, o Espírito Santo somente...

Veja mais

II Coríntios 4

  • Por isso, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus... Veja mais

Reflexões

"Então respondeu Jó ao SENHOR, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido... Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te veem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza."    
(Jó 42:1-6)
Sola Scriptura!
"Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém."
(Mateus 28:19-20)
Sola Scriptura!
"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescen-tadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal."
(Mateus 6:33-34)
Sola Scriptura!

A Confissão De Fé Batista de 1689

  • ebook

    Uma Palavra dos Editores A fé é a base da alegria verdadeira. O Objeto da Verdadeira Fé Evangélica é o Senhor Jesus Cristo, segundo as Escrituras test... Download